Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

uma esplanada em cima do mar, com óptimo sushi, um fantástico prego de atum e uma televisão para ver o euro

IMG_6144 (1).jpg

Caros concidadãos, tenho um importante anúncio a fazer à Nação.

Pausa...

Silêncio...

Suspense...

Bocejo...

Ups, é melhor acabar com a expectativa senão corro o risco de chegar à sétima linha de texto com a concidadania a dormir profundamente.

 

11111142_1638198183065161_1933359412767180590_n.jp

Voltando ao anúncio: esta é uma das mais maravilhosas esplanadas de Cascais. Não só por estar mesmo em cima do mar, nem sequer por ficar no meio de um pinhal, nem ainda por ser rodeada por casas de madeira e por um palacete antigo, nem tão pouco porque tem um óptimo sushi, fresquíssimo e bem preparado, e um delicioso prego de atum servido num magnífico bolo do caco de alfarroba – mas, mais importante de tudo, porque tem uma televisão gigante montada ao ar livre para vermos amanhã o jogo de Portugal. Com os pauzinhos numa mão e um copo de sangria na outra. E isso é tudo o que precisamos para ganhar à Áustria – ou quase tudo... (Se quiser outras sugestões de restaurantes e bares para ver os jogos do Euro, siga o link aqui).

13417462_1796742830544028_877365464057925827_n.jpg

O ambiente

O restaurante chama-se LovIt e fica no jardim da Casa da Guia, em Cascais, uma propriedade enorme com um pinhal mesmo em cima do mar. E é no meio desse pinhal que encontra um antigo palacete, onde existem algumas lojas, e várias casas de madeira que antes eram cavalariças e barracas de apoio e que hoje estão transformadas em restaurantes. É numa dessas casas que está o LovIt.

A esplanada não é sequer limitada, fica no meio do pinhal e tem uma inacreditável vista para o mar. Então se apanhar uma noite quente, com o luar reflectido na água do mar, já não precisa de mais nada.

10514658_1505772656307715_7673283649094721946_n.jp

Não fosse o pequeno detalhe de as mesas e as cadeiras da esplanada estarem inundadas com autocolantes da Heineken e tudo seria perfeito. O interior do restaurante é muito mais pequeno mas também charmoso, decorado de forma simples com mesas e cadeiras de madeira rústica.

12347920_1725360221015623_6668414951054700593_n.jp

A ementa

Aqui há ceviches, tártaros, tatakis, temakis e um óptimo sushi de fusão. Tudo feito com um peixe fresquíssimo, daquele que brilha tanto como o cabelo do Cristiano Ronaldo. Depois também tem uns deliciosos pregos de atum em bolo do caco de alfarroba e uma estonteante sangria de espumante com pepino. Mas, para evitar indigestões, vamos devagarinho.

Nós já lá fomos mais do que uma vez, em excursão tipo Família Aveiro, desde que haja um raio de sol. Da última vez, pedimos uma mistura de ceviches, sushi e tatakis para nós e para os Mini-Misteriosos em vias de se tornarem seniores, e uns temakis e pregos de atum para os mais novos.

10993433_1599498440268469_8273340473426680895_n.jp

O couvert

Antes de pedir, trouxeram para a mesa uns grissini de pacote (€0,60) sem muita graça, uma maionese de alho que não achei brilhante e umas óptimas azeitonas temperadas (€2,50).

13124825_1784377188447259_7388631527946130157_n.jp

O sushi

E foi assim, com alguma fome, que chegámos ao fantástico sushi. Primeiro, chegou um fabuloso ceviche (€7,90) feito com cubos fininhos de salmão e corvina e com dois purés muito leves e deliciosos: um de batata doce e outro de wasabi. A combinação do doce da batata doce com o picante do wasabi é fantástica. Vinha ainda com cebola roxa picada e umas ovas enormes e hiper saborosas. Tinha o sabor cítrico habitual dos ceviches e um toque adocicado muito discreto.

A seguir, experimentámos o kimuchi (€7,90) de atum que vinha também com o peixe fresquíssimo e cortado em cubos e que acompanha com um molho ligeiramente picante e alho francês laminado.

11008477_1632430320308614_2126486605709285905_n.jp

O almoço continuou com um carpaccio de salmão (€6,90), mais uma vez com um peixe delicioso, mas com um molho ligeiramente doce demais para o meu gosto, e com dois tatakis: um de salmão braseado (€11,50) que vinha com molho taré e outro de atum braseado (€13,20) com especiarias e um molho à base de maionese que vinha por cima, o que o tornava ligeiramente enjoativo – no entanto, as crianças adoraram.

Para os Mini-Misteriosos veio ainda um temaki (€7,90) feito com salmão braseado e misturado com rúcula, queijo creme e uns pedaços de manga muitíssimo madura e saborosa, o que nem sempre é habitual nos restaurantes de sushi. 

20160501_162913 (1).jpg

O prego

Os mais novos optaram pelo prego de atum em bolo do caco de alfarroba, que é absolutamente arrasador. E aqui vale a pena respirar fundo antes de eu continuar.

O bolo do caco é feito com farinha de alfarroba e tem uma cor escura e uma textura macia e muitíssimo leve. Além disso, tem um discreto e delicadíssimo sabor a alfarroba, o que o torna na Sophia Loren dos bolos do caco – isto, para os leitores que estão a atravessar a ternura dos 40... Para os mais novos, basta imaginarem a Sara Sampaio.

Depois, leva no meio um naco de atum alto e suculento que vem braseado por fora e muito mal passado por dentro. Sabe lindamente e liga muitíssimo bem com o bolo do caco e com aquilo que me pareceu cebola confitada. O único contratempo deste prato dos Deuses é uma mostarda de pimenta que vem barrada num dos lados do bolo do caco e que é forte demais: abafa completamente o delicioso sabor do atum. As crianças acabaram por deixar de lado a fatia com a mostarda e comeram a outra metade do bolo do caco com o atum.

10612992_1564236113794702_313403920682568510_n.jpg

A sangria

A grande surpresa da tarde foi a magnífica sangria de espumante com pepino. Já tinha experimentado com frutos vermelhos, já tinha experimentado com pêssego, com maçã e com variadíssimas frutas, mas apenas com pepino foi uma verdadeira novidade. Esta leva só espumante, 7Up, pepino e hortelã. É tão simples que se torna absolutamente surpreendente.

20160501_164244 (1).jpg

A sobremesa

Este foi o momento de delírio infantil. Quando as crianças viram na ementa as pavlovas das Amigas & Companhia, começaram a salivar descontroladamente como o Mira Amaral nos seus dias de stress. Pediram a pavlova de morango (€5,50) que estava deliciosa, mas ainda congelada, o que não é o ideal para um doce que não é propriamente um gelado.

Eu experimentei uma delícia de tarte de maçã que é feita com leite creme e leva uma cobertura de canela – estava fantástica! 

20160501_164255 (1).jpg

O serviço 

Nos fins-de-semana de sol, a esplanada pode tornar-se tão movimentada quanto a estação do Cais do Sodré em hora de ponta. E, nesses dias, o serviço torna-se mais demorado, quase caótico.

De resto, se for almoçar mais tarde ou durante a semana, os empregados funcionam relativamente bem. Não é o melhor serviço do Mundo, mas também não há grandes razões de queixa. 

12122821_1713243632227282_5900428356719108533_n.jp

As crianças 

Não há menu infantil, mas há várias opções de pregos e hambúrgueres. Além disso, o jardim da Casa da Guia é o espaço ideal para os miúdos. Aqui podem andar a saltar e a correr à vontade, sem incomodarem ninguém.

 

O bom 

O sushi e o prego de atum em bolo do caco de alfarroba

O mau

As enchentes em alguns fins-de-semana de sol

O óptimo

A esplanada e a vista

 

Uma boa esplanada para si onde quer que esteja,

Ele

 

fotos: lovit; casal mistério

 

2 comentários

Comentar post