Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

vila joya reabre hoje

Fundado em 1982 por Claudia Jung, uma alemã que se apaixonou pela costa algarvia, o Vila Joya não é uma novidade, é uma referência. Considerado, pela oitava vez consecutiva, o “World´s Leading Boutique Resort”, pelos World Travel Awards, este hotel é um refúgio de paz e tranquilidade. Bom, talvez seja demasiado tranquilo para o meu gosto. Para ser franca, o Vila Joya sempre foi, para mim, sinónimo de caro e de terceira idade. Não sei porquê, aqueles exteriores, a varanda e a piscina sempre me fizeram lembrar um lar de idosos de luxo.

 

Apesar da localização magnífica, nunca fiz grande questão de experimentar o hotel. Sempre associei este refúgio ao alcance da carteira de um membro do conselho de administração do BES e achei que o meu querido Marido Mistério me mandaria internar se eu sequer sugerisse um jantar no restaurante 2 estrelas Michelin, do chef austríaco Dieter Koschina, quanto mais dormir aqui uma noite e menos ainda fazer uma massagem no exclusivo Joy Jung Spa.

Mas recentemente tive a péssima ideia de explorar os cantos e recantos do hotel e confesso que fiquei rendida aos interiores, às salas, aos doze quartos e oito suites de luxo, e ao aspeto delicioso dos pratos premiadíssimos do restaurante.


Ainda por cima, no ano passado, inauguraram um bar na praia que se define como o mais “anti-cool” e “anti-lounge” do Algarve. Adoro o conceito. Não há pior pesadelo do que os termos que fervilharam no verão do ano passado como “Sunset Party”, “Beach Lounge”, entre muitos outros, que significavam: bares-de-praia-atulhados-de-gente-que-mais-parece-saída-do-Big-Brother com música (nem sei se aquilo é música ou um conjunto de ruídos) aos gritos. Por isso o Xiringuito, o bar da praia do Vila Joya, é uma preciosidade nos tempos que correm. Será que estou a ficar velha? Ou afinal este hotel é a minha cara, mas infelizmente não é a minha carteira?

E agora? Como convence-Lo a cometer uma loucura? Que pretexto preciso eu para Ele me convidar para passar uma noite que seja aqui? Esperar até fazer 60 anos? Ui! Também não exageremos. Não aguento esperar uma eternidade… Jogar no Euromilhões? É melhor começar já…

Então boa sorte para mim,

Ela

9 comentários

Comentar post