Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casal Mistério

Casal Mistério

pequeno-almoço saudável para todos os dias

19.02.14

Nem todos os bons pequenos-almoços têm de demorar duas horas a preparar e mais duas horas a comer. Também existem boas refeições para todos os dias, quando precisamos de acordar às sete da manhã para levar as crianças à escola, passar no banco, pagar o gás que deixámos atrasar, comprar o que falta no supermercado e chegar ao trabalho antes da 9h (sim, ao contrário do que elas possam pensar, a vida dos homens também não é fácil...). Nem tudo tem que envolver ovos quentes, bacon frito, sumo de laranja espremido na hora e um nome sofisticadinho que mistura breakfast e lunch. Há outras soluções boas e saudáveis. Aqui fica o meu pequeno-almoço em modo keep it simple, para dias complicados como este:

- 1 torrada de pão preto com sementes do Lidl

- 1 torrada finíssima de pão caseiro cozido em forno a lenha

- Chá Earl Grey Ahmad Tea

- Queijo fresco tradicional Montiqueijo

- Peito de peru fumado finíssimo Fumadinho

As marcas podem parecer ridículas (quem é que se lembra de nomes destes?!), mas são óptimas. Há outras alternativas também fantásticas. Mas isso fica para outro post. Qualquer dia faço uma prova cega de queijos frescos. 

 

Um bom pequeno-almoço para si, onde quer que esteja,

Ele

hanami sushi

18.02.14

O serviço

Há os empregados correctos, há os empregados simpáticos e há os empregados que fazem questão de se comportar como se tivessem sido nossos amigos a vida toda. E não amigos quaisquer - amigos chegados. Quando me aproximei do balcão do Hanami Sushi, o restaurante japonês do Centro Comercial Alegro e do Tivoli Fórum, percebi que tinha à minha frente um amigalhaço - apesar de estar a olhar para ele pela primeira vez na minha vida. 

- Boa tarde.

- Boas, tudo bem? [E ainda por cima um amigalhaço da Mouraria...]

- Tudo bem, obrigado. Eu ia querer...

- ...Ia porquê? Já não quer? [Mas esta gente não muda o repertório de piadas?]

- Quero, quero. Vou querer uma sopa miso, um sakura e um tiger.

- Isso já dava para fazer um piquenique, hã?! [Agora está a chamar-me alarve...]

- Pois... Estou com fome... Arranjava-me uma factura com número de contribuinte, se faz favor?

- Claro, arranja-se aqui um espacinho para os números...

Se há uma coisa que eu nunca percebi é porque é que 89,9% dos empregados de restaurantes de centros comerciais acham que nasceram com um talento especial para o humor que está algures entre o Nilton e o Rouxinol Faduncho. Se eu quisesse passar as minhas horas de almoço a ouvir piadas, sintonizava o programa da manhã da Rádio Comercial, não me enfiava no Alegro num dia de sol. Uma pessoa ouve a Rádio Comercial para se rir, vai ao Alegro para comer. Nada mais.

Mas tirando este momento Levanta-te e ri (que eu desconfio ter sido protagonizado pelo gerente), o Hanami Sushi tem algumas vantagens. E entre elas está o contacto mínimo com os empregados. Depois de fazer o pré-pagamento, dão-lhe para a mão um aparelho que vibra quando a comida estiver pronta. Por isso, tem tempo de procurar mesa, enquanto tratam do seu pedido. E olhe que encontrar mesa pode não ser fácil... 

O ambiente

O Alegro é um centro comercial arejado, com muita luz natural e estacionamento gratuito, que não fica tão longe do centro de Lisboa como possa parecer. É uma boa alternativa para fugir da confusão e mudar de ares em dias de sol e frio como este. Mas tem defeitos. A praça da restauração é pequena de mais para a quantidade de gente e cheira demasiado a comida para a quantidade de restaurantes.

A imagem do Hanami Sushi, inspirada nas florzinhas das cerejeiras japonesas, era dispensável. Eu sei que decorar todos os restaurantes japoneses em tons de preto e branco já enjoa. Mas optar por variações de cor-de-rosa e magenta é um boacadinho demais.

 

A ementa

Há entradas, sopas, pratos quentes (arroz e massas) e rolls. Vale a pena apostar nas entradas e nos rolls. 

As entradas

As gyosas são raviolis grelhados com frango e legumes. Aqui o importante é sobretudo a massa - que consegue ser muito fininha e leve, cozinhada mesmo no ponto.

Se conseguir comer outra entrada, ou se tiver alguém com quem dividir, peça também o sakura (a primeira foto deste post), umas bolinhas de arroz envolvidas em salmão com nozes por cima e dois molhos diferentes. Isto não tem nada a ver com os rolos de sushi ou de uramaki habituais. A quantidade de arroz no meio é muito pequena e o que transforma esta entrada numa delícia são as nozes crocantes envolvidas num molho hanami doce. A conjugação fica muito semelhante a um nogat, o que liga maravilhosamente com o molho de soja.

 

Os rolls

Os tiger são uns rolos crocantes de salmão, enguia e abacate, com um topping de queijo Philadelphia. A mistura da enguia e do abacate é óptima, o crocante exterior é fantástico, mas o queijo Philadelphia é usado em tudo o que é restaurante japonês em Portugal e estraga o exotismo do sabor original.

O Plátano Tempura é um roll sem arroz e com recheio de salmão, abacate e... lá vem outra vez o queijo Philadelphia. Por fora é envolvido com banana e o molho hanami. Fica também um rolo crocante, com um forte sabor a banana. Não é doce demais, mas é seguramente Philadelphia demais.

Conclusão: tirando o Rouxinol Faduncho que nos servia ao balcão e o cheiro a comida que nos entrava pelo nariz, é um óptimo restaurante de shopping. Por isso, aqui fica o conselho: ligue para lá, encomende a comida sem dar muita confiança a quem lhe atender o telefone e traga-a para casa. Consegue ter um bom jantar de sushi bastante mais barato do que o habitual.

O bom

As misturas surpreendentes e originais do sakura e do tiger

O mau

O excesso de queijo Philadelphia

O péssimo

As graças do empregado

 

Um bom dia de sol para si, onde quer que esteja,

Ele

10 motivos por que o porto foi eleito o melhor destino europeu 2014

17.02.14

A cidade do Porto foi eleita o "Melhor Destino Europeu 2014", um prémio atribuído anualmente pela "European Consumers Choice", uma organização independente e não lucrativa, com sede em Bruxelas. O Porto sucede assim a Istambul, que venceu o concurso o ano passado, com Lisboa a ficar em segundo lugar por uma diferença mínima. Parabéns ao Porto, aos portuenses, aos Ruis Rio e Moreira e a todos os portugueses. Como sou lisboeta, devia sentir-me uma turista no Porto, mas o que é facto é que, não sei se pelo ambiente ou pelas pessoas, é uma cidade que me faz sentir em casa. E se dúvidas houvesse sobre o porquê desta distinção, aqui ficam alguns dos motivos desta vitória tão merecida:  

 

Ponte D. Luís  

Cais da Ribeira  

Café Majestic 

Torre dos Clérigos

Livraria Lello

Caves do Vinho do Porto 

Sé do Porto 

 

Palácio da Bolsa

Hotel Yeatman

Restaurante DOP 

 

Estes são os meus sítios preferidos no Porto... Quais são os seus?

Ela

gostamos de...

17.02.14

... hotéis com horário de pequeno-almoço até ao meio-dia. 

não gostamos de...

17.02.14

... hotéis que nos impingem sumo de laranja que não é natural. 

a oportunidade da semana: vinhos com grandes descontos

16.02.14

Lamento mas já não estava habituado a 48 horas seguidas de sol. Está certo que choveu durante a noite, mas ao fim destes três meses de Inverno já me custa sair de casa despenteado e não voltar com o cabelo lavado. Por isso no sábado estranhei; no domingo comemorei. E qual a melhor maneira de comemorar? Com um bom copo de vinho, claro. Esta é a semana ideal para isso, com a feira de vinhos e enchidos do Continente e descontos especiais no Lidl. Mas, como dizia o esquartejador, vamos por partes. Primeiro, fui ao Lidl, de onde saí com três garrafas de Dona Ermelinda Reserva e um desconto de 20%. Depois fui ao Continente, de onde saí com... Bom, se calhar o melhor é fazer uma lista, porque este foi um fim-de-semana de sol. E, quando há um fim-de-semana inteiro de sol, é preciso comemorar a sério. Com comemorações nós não gostamos que falte nada - especialmente vinho.

 

A oportunidade do Lidl

Vinho tinto Dona Ermelinda Reserva por €5,59 em vez de €6,99 - um óptimo vinho por um preço muito razoável.

As oportunidades do Continente para todos os dias...

Vinho tinto Dona Ermelinda por €2,99 em vez de €3,99

Vinho tinto Herdade São Miguel Colheita Seleccionada por €3,99 em vez de €4,99

Vinho tinto Monte da Ravasqueira por €3,69 em vez de €5,49

Vinho tinto Pera Doce Premium por €3,99 em vez de €7,99

Vinho tinto Piteira Premium por €3,59 em vez de €9,99

 

...e para os dias especiais

Vinho tinto ou branco Herdade dos Grous por €9,99 em vez de €10,99

Vinho espumante bruto Herdade do Esporão por €10,49 com desconto de €1,57 em cartão Continente

 

Como podem perceber, vou passar os próximos cinco dias a recuperar das costas. Mas já tenho alguma coisa com que me entreter durante a recuperação.

 

Tchim tchim para si, onde quer que esteja,

Ele

showcooking de tapas e petiscos no porto

16.02.14

Na quinta-feira passada, o Porto foi eleito o melhor destino da Europa para passar férias. Na próxima quinta-feira, você só vai precisar de uma boa desculpa para lá estar - a comer e a beber, que é o mais importante. E é por isso que nós estamos aqui - para lhe arranjar a desculpa ideal. Viva em Lisboa, em Gaia ou em Mafamude, este é o pretexto de que precisava para jantar na baixa da cidade. Chama-se Fé Wine&Club, abriu no Verão do ano passado e já é um dos melhores sítios da cidade para sair à noite.

Decorado com 10 toneladas de livros nas paredes e com uma iluminação surpreendente e variada, pelo designer de interiores Paulo Lobo, o Fé tem quatro espaços distintos, divididos por dois andares e 300 metros quadrados.

No piso de cima, é onde se come: ao balcão, à mesa ou sentado em confortáveis sofás. No piso de baixo, é onde se dança e onde se bebe.

E é nesta fase do texto que você pergunta, e muito bem: então, mas a desculpa que vocês inventaram para um mafamudense ir ao Porto numa quinta-feira à noite é um restaurante/bar/disco? Claro que não, é preciso um pretexto um bocadinho mais elaborado para justificar uma deslocação dessas. A sua desculpa para ir até ao Porto é um evento único de gastronomia e cultura vitivinícola que, só por acaso, vai decorrer no restaurante/bar/disco da moda.

O discurso tem de ser assim: o chef Chakall vai estar no Porto, na próxima quinta-feira, para organizar um showcooking único e imperdível de tapas e petiscos. E porque é que é único e imperdível? Porque, apesar do seu desprendimento em relação aos mais exigentes cuidados de higiene (eu já vi gatos a passearem pela sua cozinha enquanto ele está a preparar a refeição), Chakall é um dos chefs que melhor misturam a tradição culinária portuguesa com o exotismo asiático e a sofisticação europeia. O resultado vê-se em alguns exemplos que vai servir na próxima quinta-feira no Fé Wine&Club: bruschettas de tomate e presunto; lombo de bacalhau lascado acompanhado de puré de grão, cebola caramelizada e amêndoas tostadas; camarões Chakall style (isto parece mais uma maneira criativa de dizer que ainda não decidiu como é que os vai cozinhar...) ou os rolinhos de fruta tropical acompanhados de gelado de baunilha e coulis de manga e gengibre.
Para acompanhar, tem três sugestões dos óptimos vinhos Monte da Ravasqueira (a tal parte da "cultura vitivinícola"): o Monte da Ravasqueira Alvarinho para as entradas, o Monte da Ravasqueira Sangiovese para o prato principal e o Monte da Ravasqueira Late Harvest para a sobremesa.
Tudo isto custa 35 euros por pessoa e vai decorrer entre as 20h e as 23h. Então isso quer dizer que antes da meia-noite está pronto para voltar para casa e dormir as oito horas habituais antes de mais um dia de trabalho? Nem por isso. Às 23h começa outra experiência cultural também muito rica no andar de baixo: Chakall vai juntar-se ao DJ Gonçalo Maria para pôr música até às 4h da manhã. E aí já é capaz de ser um bocado tarde para voltar para Mafamude. O melhor poderá ser dormir no Porto. E, já agora, passar lá o fim-de-semana. Porque não?

Um abraço para todos os mafamudenses, onde quer que eles estejam,
Ele

o bar do peixe no meco

15.02.14

Peço desculpa por actualizar o blog apenas a esta hora, mas a culpa é da CMTV. Depois de ontem ter esperado uma hora à frente da televisão para ouvir a primeira entrevista com o Dux do Meco, depois de ter sido coagido a ver três vezes a mesma peça repetida sobre a reconstituição da noite do acidente no CM Jornal, depois de ter percebido que afinal a primeira entrevista com o Dux era a repetição incansável da frase "Neste momento apenas falo com as autoridades", depois de ter visto o José Carlos Castro amuado no ar porque provavelmente achou exagerada a expressão "primeira entrevista" para ouvir alguém dizer que não falava, depois de ter percebido que o Dux afinal era mais inteligente do que as jornalistas que o perseguem na rua, depois de ter desperdiçado metade da minha Noite dos Namorados com o Meco, o Dux e a CMTV, hoje de manhã tomei uma decisão importante na minha vida: fui almoçar ao Bar do Peixe, na praia do Meco.

Acordei cedo (por volta das 11h, para um sábado não está mal), meti a equipa de futsal na camioneta e atravessei a Ponte 25 de Abril com um sorriso na cara. Meia hora depois, estava no Meco, sentado à mesa de frente para o mar. E foi aí que percebi a falta que o sol me tem andado a fazer - a mim e ao José Carlos Castro. É que um bocadinho de luz natural depois de duas semanas como estas é melhor do que um Guronsan depois de uma noite no Lux. 

 

 

O ambiente

É provavelmente um dos restaurantes mais bem localizados nos arredores de Lisboa. Mesmo em frente ao mar, com uma esplanada enorme sobre a areia e com uma gigante parede de vidro a separar a sala interior da praia, tem vista para um dos melhores cenários, onde o sol gigante se põe em cima do mar. Um pouco barulhento, confuso e com música alta de noite, é sempre melhor escolher a esplanada quando puder. Mas o interior é clean e simples. É uma mistura da sofisticação dos restaurantes de praia da Comporta com a descontracção do ambiente do Meco. E tem duas enormes vantagens em relação à Comporta: é mais perto de Lisboa e não está constantemente a ouvir a senhora da mesa ao lado a repetir "Olá querida, 'tá boa?" para cada pessoa que passa.

 

 

O serviço

Há duas estações do ano no Bar do Peixe: a estação Cheia de Gente e a estação Assim-Assim. Na primeira, o serviço é mais caótico e demorado. Falham alguns detalhes, mas há sempre um enorme esforço para que tudo corra bem. Na segunda, o serviço é rápido, eficiente e especializado - os empregados sabem responder às suas perguntas sobre a comida e sabem sugerir aquilo que deve pedir. Em qualquer uma das duas estações, não há empregados mal-encarados nem a fazerem um frete. Se não o atendem melhor, é porque não conseguem. No entanto, o que realmente interessa aqui não é o serviço, é...

 

 

...A Ementa

Os petiscos

Este é um dos poucos restaurantes que tem lapas. Grelhadas com manteiga e alho, são uma especialidade nos Açores e na Madeira e um verdadeiro desperdício no continente. Existem aos milhares nas rochas das praias ao longo de toda a costa, mas raramente são apanhadas e distribuídas pelos restaurantes. No Bar do Peixe, costuma haver - e é um petisco maravilhoso e surpreendente, que mistura o sabor a mar com o da manteiga e alho. Para além das lapas, vale a pena experimentar as amêijoas (boas, mas piores do que as lapas) e os perceves (óptimos, mas piores do que os da praia da Adraga). Tudo isto vem acompanhado com pão torrado com manteiga - uma maravilha perfeita para quem está de dieta (como deve calcular, não é o meu caso...).

 

 

O peixe

É fresco e muitíssimo bem grelhado. Pescado na zona, é um peixe que se separa em lascas brancas, brilhantes e compactas. Nós comemos um robalo com quase um quilo, escalado e cozinhado no ponto - húmido e com a quantidade ideal de sal. Não é fácil grelhar um peixe de um quilo e este estava perfeito - chamuscado por fora e suculento por dentro.

 

 

As bebidas

É fundamental falar disto antes de nos despedirmos. Se puder não ter de guiar a seguir ao almoço, é o ideal. Porque aqui bebe algumas das melhores caipiroskas do mercado. Não são doces demais nem ácidas de menos - são perfeitas e com gelo picado. Se conseguir, prove também a sangria branca ou de espumante. Sempre ajuda a ver a CMTV com outros olhos.

 

O óptimo

O peixe e as lapas

O bom

As caipiroskas e as sangrias

O mau

O barulho

 

Um bom dia de sol para si, especialmente se estiver junto à praia,

Ele

imani country house, uma segunda casa a dez minutos do centro de évora

14.02.14

Gosta do Alentejo? Gosta do campo? Do José Pedro Vasconcelos? E de pequenos-almoços servidos até ao meio-dia? Então vai adorar o Imani Country House. O sonho do ator e apresentador e da mulher, Mariana Roxo, tornado realidade a 10 minutos do centro de Évora. Aqui não nos sentimos num hotel, sentimo-nos em casa. Pela forma simpática e familiar com que nos recebem, pela liberdade com que andamos pela casa, porque, deixando-nos à vontade, estão sempre presentes e sim, o José Pedro Vasconcelos tem tanta graça na cozinha a preparar-nos o jantar como sentado no estúdio do 5 para a meia-noite. Faz questão de tratar os hóspedes pelo nome e não pode ser mais prestável. Talvez seja ligeiramente mais sério a trabalhar no seu hotel do que em frente às câmaras. Mas é compreensível: investiu a sua vida neste projeto. Durante vários anos afastou-se da televisão e dedicou todo o seu tempo a este hotel, que repito, é muito mais do que isso.

A casa

É uma casa de campo simples, agradável, cosy e cheia de bom gosto. As peças de decoração recuperadas em feiras e antiquários, como bicicletas, rádios antigos, violinos e máquinas de costura, dão uma graça especial às cinco suites e aos dois quartos. As salamandras aquecem o ambiente clean das suites e do edifício principal. Os quartos são espaçosos, as camas são enormes e muito confortáveis e os móveis são vintage. E em cada quarto há todas as comodidades da era moderna: ar condicionado, mini-bar gourmet, wireless net, rádio, ipod deck, tv, dvd e telefone.

O jardim

O melhor do jardim é o alpendre: com um bar e uma enorme mesa onde se pode fazer as refeições durante o verão,  tem uma rede que é um dos ex libris do hotel e um convite à preguiça mesmo nos dias bonitos de inverno. Os jardins são verdadeiros labirintos de tranquilidade. Têm cantos e recantos com lagos e piscinas onde podemos descansar ou simplesmente ler um livro. Já para não falar da piscina principal, junto à receção, ideal para um mergulho no final do dia, depois de um passeio pelo centro histórico de Évora. 

O jantar

Aos sábados é o próprio José Pedro (ao fim de uma hora já estávamos íntimos) a preparar o jantar. Que na realidade é bom, mas não se pode dizer que seja genial. Vê-se que o ator gosta e tem prazer em cozinhar mas chamar-lhe chef é manifestamente um exagero. Verdade seja dita, também não tem pretensões nenhumas e vem da cozinha com o prato que acabou de nos preparar com o maior orgulho e cheio de modéstia. De tal forma, que fica à espera de ouvir a nossa opinião… e claro, que dizemos em coro: “fantástico, ótimo, excelente”, mesmo que só nos apeteça dizer: “porreiro, pá!”

Depois do jantar, nestas noites de chuva e frio, a mesa de bilhar junto à salamandra chama por nós. Com a música de fundo de um ipod, e um copo de vinho na mão, não há melhor forma de acabar a noite, antes de mergulharmos nuns edredons de sonho de onde não vamos querer sair. Bendito horário do pequeno-almoço!

O ótimo

A decoração, o ambiente, o alpendre e a simpatia dos anfitriões

O bom

Os jantares do José Pedro Vasconcelos

O mau

Não há mau e muito menos péssimo

 

Um ótimo fim de semana,

Ela

 

fotos: imany country house

 

quem tem um marido mistério tem tudo

14.02.14

Esta manhã, quando entrei na cozinha, tinha esta surpresa à minha espera. Há lá melhor coisa do mundo do que receber flores e o meu sabor preferido do Santini? Bem, uma joiazita também não me ficava nada mal... Mas já que estamos em crise, contento-me com um marido gourmet que me engorda e me surpreende todos os dias. Feliz Dia dos Namorados!

Ela

ovo cozido a baixa temperatura sobre torrada de manteiga com parmesão

13.02.14

Eu sei que isto do Dia dos Namorados já se está a tornar uma obsessão e, acima de tudo, uma obsessão um bocadinho a atirar para o cansativo. Não há blog que não fale da data, não há site que não sugira um restaurante, não há portal que não tenha uma receita para um “jantar especial”. Eu tenho de confessar uma coisa: jantar fora é impensável e “jantar especial” é o que toda a gente faz. Por isso, resta-me ponderar alternativas surpreendentes que consiga preparar em menos de 24 horas. E como o almoço é de trabalho e pouco romântico, resta-me o quê? O lanche? Cala a boca, Magda!!! É o pequeno-almoço!

Eu sei que é dia de trabalho, eu sei que não há muito tempo, eu sei que estamos todos meio-zombies de manhã. Mas não quer uma surpresa? Então, um pequeno-almoço semi-requintado num dia de trabalho é uma surpresa. Acorde 20 minutos mais cedo, tome um banho de água fria se for preciso, e desperte. Depois é fácil. Ponha água a ferver e duas torradas a fazer. Quando a água levantar fervura, reduza o lume para o mínimo, deite um pouco de sal lá para dentro, rode com uma colher de sopa e faça um remoinho. Parta um ovo e deite-o para o centro do remoinho. Quando a água parar de girar, o ovo vai começar a ganhar uma forma compacta. Deixe-o cozer ligeiramente a muito baixa temperatura. A ideia é que a clara fique branca, mas ainda um pouco molhada, e a gema totalmente crua.

Quando o ovo estiver pronto, retire-o com uma escumadeira e coloque-o em cima da torrada com muita manteiga. Rale umas lascas de parmesão e coloque por cima juntamente com pimenta. Arranje o prato, coloque-o num tabuleiro decente e leve-o à cama com uma flor. Faz uma vistaça, ninguém está à espera e não custa assim tanto. Melhor de tudo: é bom e não engorda (se não contarmos com o pão... nem com a manteiga... nem com o parmesão...). Bom, se calhar é capaz de engordar um bocadinho...

 

Ingredientes

- 1 ovo

- 2 torradas

- Manteiga

- Parmesão às lascas

- Pimenta

- Sal

 

Um bom Dia dos Namorados para si, onde quer que esteja,

Ele

e o melhor presente de dia dos namorados para o marido mistério é…

13.02.14

Tachos, tachinhos e tachões. Panelas, panelinhas e panelões de todas as maneiras e feitios… e fiquemos por aqui. É por isso que eu gosto tanto dele. Será que Ele sonha com um Ipad, um Iphone, um Iqualquercoisa, um Porsche, um barco? Não. Ele sonha com tachos. Mas dos bons. Por isso, andei a poupar para lhe oferecer, não um tacho, mas O tacho! O nome “Le Creuset” diz-lhe alguma coisa? A mim não me dizia absolutamente nada até Ele começar a suspirar pelos cantos por um Le Creuset. Por isso, enfiei-me no El Corte Inglés, e lá se foi parte do meu já asfixiado ordenado para comprar um tacho! São de facto lindos e há para todos os gostos mas confesso que me custou… (qual é a diferença, Deus meu? Um tacho é sempre um tacho, e por aquele preço comprava quatro ou cinco peças de roupa na Zara). Enfim, ele merece. Fechei os olhos e estendi o cartão de crédito. Aqui ficam alguns exemplos destes Ferraris da cozinha. São bonitos, não são? (se bem que bonito, bonito, era um vestido Armanizito).

 

 

 

 

 

Feliz Dia dos Namorados!

Ela

 

ontem batemos o record de visitas

13.02.14

 

Ontem, o blog do Casal Mistério bateu o seu record de visitas e de visualizações. Estes números só foram possíveis porque estamos numa plataforma como o Sapo e porque temos leitores com muita paciência para nos aturar e com muita fome para comer cada sugestão que publicamos. Nós infelizmente temos de nos manter discretos, entre restaurantes, hotéis e outros locais cheios de gente. Quem sabe até se já não nos cruzámos várias vezes com alguns de vocês?... Esperamos que continuem a gostar. Obrigado.

 

Resultados para o dia 12/2/2014

  1. Visitas - 4.450
  2. Média diária de visitas - 4.450
  3. Visualizações - 7.577
  4. Média diária de Visualizações - 7.577

 

é desta que cai o carmo e a trindade!

12.02.14

 

 

Se Lisboa está imparável, então o Chiado está louco. Nas próximas semanas, vão abrir no Largo Raphael Bordallo Pinheiro quatro novos restaurantes. O primeiro é inaugurado para a semana e é uma mistura de restaurante e bar. Chama-se The Meating (que, com tantos turistas, um nome em inglês dá sempre jeito) e vai ter DJs às sextas e sábados à noite. Na ementa, haverá quatro tipos diferentes de hambúrgueres, várias saladas e outros pratos para petiscar, como asinhas de frango, lascas de rosbife e tábuas de queijos e petiscos. O espaço é enorme e fica já prometido: o Casal Mistério vai testar tudo em breve.

Mesmo, mesmo ali ao lado está em obras um novo Honorato, a hambúrgueria da moda em Lisboa. Com os famosos hambúrgueres frescos divididos por vários andares - um para a salada e outro para a carne e o molho -, o restaurante vai ter também pizzas e dar algumas dores de cabeça aos vizinhos do H3.

 

 

 

Em relação aos outros dois espaços, ainda não há muitas novidades. Mas é bom lembrar que este largo já conta com:

-  o Aqui Há Peixe, do imparável Miguel Reino, irmão do Gigi, que começou, em Lisboa, com a Picanha das Janelas Verdes, depois mudou-se para a Praia do Pêgo, na Comporta, e agora instalou-se aqui, onde tudo vai acontecer.

 

 

- o Royale Café, um espaço trendy chic, vegan e vegetariano, com muito boa onda, que serve desde brunches a jantares inspirados nas cozinhas mediterrânea e grega.

 

 

- o Nood, um restaurante asiático, que serve noodles e sushi vindos da cozinha aberta e virada para as mesas. Sim, o nome é abreviatura de noodles.  

 

 

- o BCN,  "o irmão mais novo", em versão petisqueira, do Novamesa da Praça das Flores. É um espaço familiar, alegre e descontraído com uma enorme seleção de tapas e petiscos ibéricos: pinchos, montaditos, raciones e muitos outros.

 

           

E o melhor fica sempre para o fim: uma das ideias da câmara é fechar o largo ao trânsito e ocupar toda a área com as esplanadas dos novos restaurantes. A coisa promete.

 

E viva as novidades, onde quer que elas estejam,

Ele

um vinho para oferecer no dia dos namorados

12.02.14

Primeiro as boas notícias: a loja Lisbon Lovers está a vender um vinho com um rótulo personalizado para o Dia dos Namorados. Depois da Coca-cola e depois do Famous Grouse, agora é a vez do Ele Lover, Ela Lover ou QualquerCoisa Lover, dependendo do nome da pessoa a quem quiser oferecer o presente. Só tem de ligar para a Lisbon Lovers, fazer a encomenda com o nome e o desenho do rótulo que prefere, passar na loja no dia seguinte e trazer o presente. Tudo isto fica-lhe por 7,50 euros e, com sorte, ainda consegue beber um copo à borla.

 

 

Agora as más notícias: os vinhos são produzidos pelo Paulo Maló ou, um bocadinho mais chique, pela Maló Tojo Estates. Eu sei que o branco de 2011 até ganhou uma medalha de ouro no Concours Mondial de Bruxelles, eu sei que os outros vinhos dele já ganharam vários prémios nacionais e internacionais, mas, diga lá, há coisa mais irritante do que aqueles anúncios dele, sempre com a mesma fotografia, a rir-se? 

 

 

Se conseguir resistir ao preconceito, é capaz de ser um bom presente para o Dia dos Namorados. Se não conseguir, então faça um rótulo em casa e cole por cima de um vinho à sua escolha que faz uma vistaça na mesma.

 

 

Um bom Dia dos Namorados para si, onde quer que esteja,

Ele