Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casal Mistério

Casal Mistério

air lounge bar, um jantar a olhar para a acrópole

13.05.14

O dia foi cansativo. Ela, coitadinha, está esfalfada. Quando chegou lá acima à Acrópole, pensei que ia ter uma apoplexia. Mas não. Aguentou-se. Estoicamente. Morta por dentro, e sorridente por fora. Encarnada que nem um tomate, não deu o braço a torcer. “Subia isto mais duas vezes”, dizia, a encolher os ombros. Pois. Bom, é certo que desceu a uma velocidade estonteante, doida para chegar ao hotel e esparramar-se nas cadeiras do “nosso” terraço.

E assim fizemos. Começámos e acabámos a noite aqui. Eu pedi um gin tónico. Ela pediu um gin tónico. Depois, pedi mais um gin tónico. Ela pediu… um copo de vinho branco. E ali ficámos. Especados a olhar, não para os nossos copos, claro, nem um para o outro, mas para aquela vista fabulosa que é a Acrópole iluminada à noite. Ah, no meio disto tudo jantámos. E não estava nada mau. Mas a comida é um detalhe quando se tem uma vista destas.

Um bom fim de dia para si, onde quer que esteja,

Ele

um dia em atenas

12.05.14

Depois de um bom pequeno-almoço, lá partimos de mapa e máquina fotográfica em punho, quais bons turistas, prontos para ser assaltados. Mas apesar da minha primeira impressão, os gregos são muito simpáticos e acolhedores. Alguns fazem-me lembrar os portugueses. Quase todos arranham cinco ou seis palavras fundamentais em inglês, como: “the way to Acropole”, “Good restaurants in Plaka”, etc. Dez minutos depois estávamos a entrar na Plaka, também conhecido por bairro dos Deuses, dada a sua proximidade com a Acrópole, e é o bairro mais antigo de Atenas. Demasiado turístico talvez, mas pitoresco e encantador. É um labirinto de ruas estreitas, escadas e becos com restaurantes, bares, tascas e tabernas. Também não faltam lojas de roupa e de sapatos mas sobretudo de lembranças turísticas.

Perdemo-nos por ali até que encontrámos um restaurante simpático com uma esplanada com mesas cobertas com toalhas em xadrez e com uma vista fantástica para a Acrópole. Sentámo-nos aqui para almoçar, impressionados com a vista mas aterrorizados com a ementa. Era daquelas de cartolina que abre em três com fotografias dos pratos. Uma lista interminável… em grego. Não arriscámos: Ele pediu um bife com batatas fritas e eu uma salada grega. Também não estávamos ali para comer bem, mas sim para ganhar forças para subir aquela imensa encosta até à Acrópole.

Oh meu Deus. Que pesadelo: um calor insuportável e uma subida interminável. Ele, impecável, parecia que estava a passear nas docas de Lisboa à sombra, já eu, bufava, com os bofes de fora, a rogar pragas aos Deuses do Olimpo. É nesse preciso momento que sou ultrapassada por um clone da Victoria Beckham com uns saltos agulha de dez centímetros no mínimo! Aí, sim, envergonhada e humilhada, ergui-me (porque já me arrastava toda corcunda, qual velhinha) respirei fundo, meti prego a fundo e só parei lá em cima.

Valeu o esforço porque a Acrópole é de facto impressionante. Monumental. Só de pensar que aquelas construções datam de 450 AC? E a vista lá de cima é inexplicável. Parece que Atenas não tem fim, que o mundo começa e acaba nesta cidade. Só é pena que a maior parte das estruturas esteja em ruínas e as que ainda estão de pé estejam em obras, como o Propileu, o portal para a parte sagrada da Acrópole; o Partenon, o templo principal de Atenas; ou o Erecteu. Segundo nos disseram, estão sempre em obras. Talvez por isso, tenha contado mais guindastes do que colunas. Mas mesmo assim vale a pena. Imponente e carregada de simbolismo histórico, é, sem dúvida, o melhor cartão de visita da capital grega. Estafada depois daquela interminável subida, dei por mim à procura - por entre as milhares de construções desordenadas da cidade - do terraço maravilhoso do nosso hotel e a sonhar com um gin tónico.

Boa semana,

Ela      

fresh hotel, uma lufada de ar fresco numa cidade quente e suja

11.05.14

Mal saímos do aeroporto fomos invadidos por um calor indescritível e por dezenas de taxistas a oferecerem-nos uma viagem até ao centro. Vimo-nos gregos para fugir ao assédio e acabámos por nos refugiar na fila oficial dos táxis. Ele lá disse finalmente ao motorista o nome do nosso hotel (porque a mim continua a dizer o mínimo e indispensável): “Fresh”. “Bom, muito apropriado”, pensei eu, “e Deus queira que faça jus ao nome”. À medida que nos íamos aproximando do centro de Atenas, eu tentava convencer-me de que aquilo ainda eram os arredores. Sinceramente, não me causou grande impressão. A capital da Grécia é das cidades mais antigas do mundo e infelizmente isso nota-se: é velha, suja e confusa. O calor e a poluição também não ajudam e as construções ditas modernas são medonhas. Parece um amontoado desorganizado de ruas e contruções. Claramente uma cidade que terá crescido depressa demais. Valha-nos a Acrópole, lá no alto, sempre presente e imponente. O bairro do hotel não destoa do resto mas situa-se apenas a dez minutos da Plaka e da Acrópole, esclareceu-nos o taxista. Ufa! Ainda bem. Mal entrámos na receção suspirei de alívio.

O hotel é giro, moderno, arejado e colorido. Fomos simpaticamente recebidos e levados até ao quarto que, diga-se não é muito grande, mas chega perfeitamente. Confortável e minimalista, convenceu-me no primeiro minuto. Mas o melhor ainda estava para vir. Deixámos as malas e fomos até ao nono andar do hotel. É aqui que se situa o terraço Air Lounge, o ex libris do Fresh. Com uma vista deslumbrante para a Acrópole, marcámos logo mesa para o jantar. Que maravilha. Com dois níveis, tem piscina (pequena é certo), deck, bar e restaurante.

Ficámos deslumbrados. A paisagem é aquela mesma cidade grande, quente e suja a perder de vista (tal é a dimensão) pincelada com monumentos da Grécia antiga. Ah, é verdade. E o hotel tem wifi grátis ;) Fundamental! Amanhã, é dia de explorar a cidade. Talvez me surpreenda. Para já ficamos por aqui, neste terraço deslumbrante, a namorar e a jantar.

 

Um bom resto de domingo,

Ela

a nossa partida para um destino mistério

10.05.14

Tenho de admitir. Tenho o melhor marido do mundo. Para a semana fazemos anos de casados (não vou dizer quando nem quantos para a nossa família e amigos não nos descobrirem!), e Ele já me tinha dito para marcar férias por estes dias porque tinha reservado um programa só para nós os dois. Como tenho andado cheia de trabalho, nem pensei muito no assunto. Organizei a distribuição da equipa de futsal pelos avós e sabia apenas que partiríamos hoje à tarde. Depois de tratar das malas dos miúdos, perguntei:

- E nós? Como é que é? Bíquinis ou gola alta? Calor ou frio?

E Ele, com aquele sorrisinho de quem controla a situação, responde, enigmático:

- Bíquinis, mas leva um casaquinho de malha porque pode estar frio à noite!

“Que nervos”, pensei eu. “O homem não se descose”. Lá fiz a mala, com uma excitação de adolescente, distribuímos as crianças e partimos rumo ao aeroporto, onde estou neste momento a escrever este post antes de embarcar.

Sim, claro, já fizemos o check in, por isso, posso dizer que o meu querido Marido Mistério marcou uma semana de férias onde?????? Onde????? Na Grécia: Dois dias em Atenas e quatro em Santorini, o destino dos meus sonhos! É ou não o melhor marido do mundo? Ainda bem que somos um casal mistério, senão teria uma fila de mulheres a quererem roubar-mo! É que além de me fazer surpresas destas, ainda cozinha e bem! Ah, (e já agora, que ninguém nos ouve) também é giro! Bom, temos mesmo de embarcar. Prometo ir contando aqui as nossas aventuras gregas. Não prometo é posts muito grandes porque a ideia mesmo é namorar e aproveitar!

Boas férias para nós e um ótimo fim de semana para si,

Ela

este oeste, uma esplanada japonesa e italiana para este fim-de-semana

09.05.14

Em alguns casos as primeiras impressões iludem. No caso do restaurante Este Oeste, desiludem. E injustamente. Primeiro, por causa da decoração – que é imponente. Depois por causa da comida – que é diferente. Mas vamos começar pelas primeiras impressões. 

A ementa

Um criaturo senta-se a uma mesa de um restaurante e tudo o que quer é um couvert decente à frente do seu prato. É uma necessidade básica e elementar de qualquer cliente. E é mecânico. Restaurante=couvert. Em casa até se dispensa facilmente o pão antes das refeições, mas nos restaurantes é obrigatório: um pãozinho, um azeitezinho, uma azeitoninha, um grissinozinho, um queijinho, um patêzinho e tudo o mais que acabe em “inho” e saiba bem.

É por isso que fiquei com ar de enjoo depois de uma viagem de barco até às Berlengas quando me sentei na mesa e vi à minha frente uns grissini deslambidos. Mas não há mais nada? Os grissini até podem ser caseiros, até podem não ser nada maus, mas não chegam. É pouco. E por isso atirei-me a uma entrada que parecesse um couvert. 

As entradas 

Chama-se Crostini Este Oeste e é uma pequena pérola do mundo gastronómico. Passo a explicar: pão torrado em forno de lenha com ceviche de peixe branco, salmão, atum – chega? Nãaa – goma tare, cebola, malagueta doce, azeite de trufa e – para acabar em grande – flor de sal. Tudo isto estava simplesmente maravilhoso. Até a pasta que vinha junta, e que sozinha não era lá grande coisa, ficava muito bem misturada com o resto.

Ela pediu uma burrata com tomate cherry e manjericão. Estava boa, mas, comparada com a burrata com pesto e pinhões da Pizzaria Lisboa, não estava deslumbrante. Por isso, Eu-1, Ela-0. 

Os pratos principais 

Ela, fiel à sua dieta, pediu uma óptima ceviche de peixe variados com picante e ponzu. Eu, que não estou de dieta, pedi um Teppan Ebi. E é tudo...

...Não é nada, brincadeirinha. Vou traduzir: quem diz teppan ebi diz camarão black tiger (cozinhado mesmo no ponto) acompanhado de legumes salteados, chips de alho e himalayan salt. Confesso que, para lá do camarão black tiger grelhado na chapa teppan, o que me estava mesmo a apetecer eram as chips de alho. Mas, com a sorte que eu tenho, não havia. Comi o resto que estava óptimo.

A equipa de futsal que nos acompanhou aspirou umas pizzas que eu nem cheirei e adoraram.

As sobremesas 

Para acabar, veio uma hiper-light pizza com Nutella, nozes e avelã (hmmmmmmmm) e uma sobremesa Este Oeste, o que equivale a dizer uma mousse de Oreo, salada de frutas e biscoito de limão siciliano. Não vale a pena dizer como estava, pois não?

 

O serviço

É competente, rápido e profissional. Como tem a cozinha totalmente aberta para a sala de jantar, pode acompanhar as conversas dos cozinheiros, o que é sempre divertido.

 

O ambiente

É o melhor do restaurante. Com um pé direito gigante, janelas enormes para o jardim e o rio e uma decoração que mistura o clássico e o vanguardista, este é um dos restaurantes mais giros de Lisboa hoje em dia. Eu adoro as mesas antigas de ferro e madeira com bancos giratórios presos aos pés de ferro. Mas não aconselho ninguém a sentar-se ali – é muito desconfortável. Mas o melhor é ver as fotografias. Ou ir lá este fim-de-semana – é um óptimo sítio para um almoço em família: você come enquanto as crianças brincam no jardim. 

O bom

A comida

O mau

O couvert

O óptimo

A decoração

 

Bom fim-de-semana para si, onde quer que esteja,

Ele

já abriu a esplanada do station: entre nesta paragem

07.05.14

Está sol, calor, os dias estão maiores e só apetece aproveitar este bom tempo que finalmente chegou! Por isso, aqui estou eu com mais uma sugestão para aproveitar a hora de almoço ou o fim de tarde em Lisboa: a esplanada do restaurante Station acaba de abrir com uma vista privilegiada sobre o rio.

Com uma decoração simples, despretensiosa e arejada, o Station, do empresário e DJ Tó Ricciardi, foi inaugurado em dezembro de 2013, no Cais do Sodré, e é restaurante, bar, club e agora, esplanada.

Durante a primavera e o verão, a juntar ao seu menu asiático, o Station irá apresentar novos pratos de fusão que combinam sabores de Portugal e da Ásia. Com uma ementa marcadamente oriental, que vai desde a cozinha vietnamita à tailandesa, passando inevitavelmente pela japonesa, a chef Leonor Manita procurou inspiração também na gastronomia portuguesa para criar receitas novas e originais para o menu da esplanada, que inclui: gyosas de farinheira com molho chilli doce, salada de bacalhau fresco, citrinos, tomate cherry e aneto com creme de abacate e bloody mary, lulas salteadas no wok com malagueta, gengibre e sake, e filete de cavala marinado em soja com manga e salada de rúcula e funcho.

Este menu Portugal@Ásia é servido na esplanada entre as 16h00 e as 19h30. Com um tempo destes e uma ementa assim, este espaço tem tudo para ser o spot deste verão em Lisboa.

Já para não falar do menu do restaurante que também é de perder a cabeça. Lá dentro, conte ainda com 500 m2 de área, divididos por dois andares onde música e gastronomia se cruzam. A programação musical do club varia entre o house, o funky, disco ou soul, sendo que o próprio Ricciardi é um dos DJs residentes.

O restaurante está aberto seis dias por semana, de terça a sábado das 12h30 às 00h00 e domingos das 12h30 às 19h30.


Já temos programa para este fim de semana. Alinhas, Marido Mistério?

Bons fins de tarde e ainda melhores fins de noite...

Ela 

 

breaking news: justa nobre abre restaurante no casino estoril

06.05.14

"Cozinhar, para mim, era tão natural quanto brincar”. Justa Nobre aprendeu a cozinhar com a mãe e com as tias em Vale de Prados, em Trás-os-Montes. Nascida numa família de sete irmãos, veio para Lisboa com 15 anos. Na aldeia era difícil continuar os estudos e conseguir emprego, por isso decidiu arriscar, e ainda bem. Na bagagem, trouxe os segredos culinários da família. Aos 19 anos, casa-se com José Nobre que, entretanto, é convidado para chefe de sala do restaurante 33, na Avenida Alexandre Herculano, em Lisboa. E é também aqui que Justa tem o seu primeiro emprego numa cozinha profissional. “O meu sucesso devo-o ao meu marido que sabe recomendar os meus pratos”, garante. Os dois formam uma dupla imbatível. Ela na cozinha, ele na sala, a receber e a atender os clientes (cá em casa é mais ao contrário!). Seguiu-se o Iate Ben, em Carcavelos, e o Constituinte, na Rua de São Bento.

A abertura do Nobre, na Ajuda, foi o passo natural e claro, um êxito. O problema foi a abertura de mais um e outro, e muitos outros espaços. Mais tarde admitiria que ela e o marido deram "um passo maior do que a perna". Depois de um período menos bom, reabre o Spacio Buondi, no Campo Pequeno. Hoje é novamente um caso de sucesso. Depois de ter sido júri no programa Masterchef, aventurou-se no competitivo mundo dos centros comerciais. E agora surpreende com mais um espaço. Desta vez no Casino do Estoril. E é já esta quarta-feira, dia 7, a grande inauguração. O "Nobre Estoril" fica próximo da entrada principal do Salão Preto e Prata, e vai servir especialidades da cozinha tradicional portuguesa, com o toque de Midas da chef transmontana.

  

Aqui, a ideia é “Picar e Partilhar”. Neste espaço, Justa Nobre vai servir uma exclusiva “Sopa de Lagosta com Gengibre e Malagueta” (esperemos que seja tão boa quanto a sua famosa Sopa de Santola),  “Açorda de Gambas” (que também não deverá ser muito diferente da Açorda de Marisco a que já nos habituou) e duas ou três variedades de bifes, que podem ser servidos fora de horas.

Terá ainda petiscos sofisticados e mini doses para picar. Além do restaurante, que funcionará de terça a domingo, a partir das 19h00 até às 02h00, haverá um bar que fechará mais tarde: às 03h00. Aqui, poderá pedir gin`s, cocktails, vinhos e cervejas artesanais, além de presunto, enchidos, queijos (serra e terrincho), pastéis de bacalhau, pica-pau, entre outros.

 

Quem dá boas notícias, quem é?

Bons petiscos,

Ela

semifrio de tagliatelle, burrata, nozes e molho pesto

06.05.14

Há o semifrio de morango, de ananás ou de caramelo. E, a partir de hoje, passa a haver também o semifrio de burrata. Com uma diferença: não é um doce. E outra diferença: é uma pasta. E mais 500 diferenças que não vamos estar aqui agora a enumerar. Mas então por que santa alminha é que uma pasta se há-de chamar semifrio, meus senhores? Como diria o meu filho mais novo, porque é quente e também é frio, DAAAAAA!

Ultrapassado o momento infatilóide da semana, vamos ao que interessa: a burrata. E como isto já é conversa de adultos, temos um bocadinho de alta cultura (que é o mesmo que dizer um bocadinho de Wikipedia). Burrata em italiano quer dizer amanteigado. E de onde vem este nome, perguntam-me os meus amigos.

Então, estou à espera da pergunta...

Vem da forma como alguns produtores fazem este queijo: com uma carapaça exterior de mozzarella e um recheio interior de manteiga. No entanto, a maioria das burratas vendidas em Portugal são feitas com mozzarella por fora e uma mistura de mozzarella e natas por dentro.

Antes de me mandarem calar e de me banirem da Internet por me ter tornado no José Hermano Saraiva da cozinha, deixem-me só dizer-lhes uma coisa: a burrata é o melhor queijo para se comer no Verão (desde que não o deixe ao calor para se estragar): é fresco e leve. E é por isso que estamos aqui hoje com este semifrio de tagliatelle e burrata: para ficar com uma receita de massa para os dias mais quentes.

Comece por cozer o tagliatelle al dente em água e sal. Depois de pronta, passe a massa por água fria para não continuar a cozer. A seguir junte-lhe o molho pesto, o tomate cherry cortado em quatro, as nozes e a burrata e misture tudo. Coloque sal e pimenta a gosto e já está. A massa morna com a burrata e o tomate frio fazem um óptimo contraste e formam um prato perfeito para um almoço de sol.

 

Ingredientes 

- Tagliatelle

- Burrata

- Nozes

- Tomate cherry

- Molho pesto fresco Giovanni Rana (à venda no Continente)

- Sal 

- Pimenta

 

Boas e mais tardes de calor para si, onde quer que esteja,

Ele

uma primeira classe do outro mundo

05.05.14

Não, não é uma casa. Não é um hotel. São os novos aviões da Etihad Airways, companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos. Ou melhor, a primeira classe. Peço desculpa, "The Residence" (A Residência), como lhe chama a empresa com sede em Abu Dhabi. Os passageiros que terão a sorte e o dinheiro para viajar nestas cabines terão direito até a um mordomo pessoal. Dá para acreditar? Localizadas no deck superior do Airbus A380, estas mini casas de luxo têm sala de estar, um quarto duplo e casa de banho privativa com duche incluído. 

Além destas "Residências", o A380 tem também no andar de cima os "First Apartments", que são, nada mais nada menos, do que suites privadas com uma área de lounge que inclui um sofá que se transforma numa cama de 2,04 metros de comprimento e 66 centímetros de largura, e uma poltrona reclinável (para a aterragem e a decolagem e para outras atividades durante o voo, como as refeições). Em algumas cabines, há a hipótese de abrir o compartimento para a cabine do lado, criando um “quarto com duas camas”.

Ah, claro, e todos os interiores têm a assinatura da luxuosíssima Poltrona Frau, a empresa que fornece os estofos de cabedal da Ferrari. Já para não falar do óbvio, não é? Pequenos pormenores como pijama, roupão, nécessaire, mini-bar, TV com ecrã de alta definição e mais compartimentos para guardar objetos. E ainda... o luxo dos luxos: um chef exclusivo.

Todo o A380 terá rede de telemóvel a bordo e Wi-Fi. E para os clientes muçulmanos, foram criadas áreas de oração privadas com um equipamento eletrónico que indica a exata localização de Meca baseada na posição do avião em tempo real. 

"Este luxo de mobiliário", como diria o nosso querido Fernando Pessa, vai começar a voar, no início, a partir de dezembro deste ano para Londres, e depois para Paris, Melbourne, Sydney e Nova Iorque. Se ainda não acredita, espreite aqui o video. 

E esta hein?,

Ela

 

aqui pode adormecer ao volante à vontade

04.05.14

É fanático por carros? Então vai adorar este hotel de quatro estrelas na Alemanha! O V8, em Estugarda, tem dez suites para fãs de automóveis: são verdadeiros cenários em que as camas são as protagonistas. Desde modelos clássicos a vintage, a desportivos ou modernos, há para todos os gostos. E toda a decoração tem a ver com a protagonista do espaço: uma cama-carro, com pormenores deliciosos como postos de abastecimento de gasolina, escovas para lavagem automática e até um cinema drive in.

O hotel, que ocupa um dos edifícios do antigo aeroporto Boblingen (cuja abertura remonta a 1915), faz parte da História da Alemanha: foi utilizado como uma espécie de estação de aterragem para os voos de Graf Zeppelin, nos finais dos anos vinte, e usado como base dos caças ME-109 durante a Segunda Guerra Mundial. Hoje, além do hotel V8, o edifício alberga o Motor World Estugarda que recebe o Forza Italia, uma mega exposição de carros antigos italianos, precisamente neste primeiro fim de semana de maio.

Para quem gosta de carros, um noite neste hotel é melhor do que ir à Disney. Toda a decoração e arquitetura tem a ver com o mundo automóvel. E cada quarto corresponde a um tipo de carro, como o inesquecível Herbie, um Mercedes clássico de corrida ou um Cadillac. Os detalhes são únicos. Mas nem tudo são boas notícias: cada noite nestes quartos de sonho custa 486 euros.

O pior vai ser mesmo adormecer. É impossível não ficar acelerado deitado numa cama destas. Nem que seja com a excitação.

Se quiser saber mais, espreite o video do hotel.

 

 

Bons sonhos ao volante destas camas,

Ela

a minha manhã de dia da mãe

04.05.14

Ontem deitámo-nos tarde. Estivemos a ver comédias românticas com as crianças até às duas e meia da manhã (um programa que eu adoro, já Ele acaba invariavelmente a dormir no sofá). "Hoje é domingo, Dia da Mãe", pensei, "por isso, vou dormir até à hora que me apetecer". Certo? Errado. Exatamente por ser Dia da Mãe, a minha querida e adorada equipa de futsal decidiu pôr o despertador para as oito da manhã, para me fazer uma surpresa! Que queridos! Que amores! Fui violentamente acordada com passos, subidas e descidas de escadas, com discussões em surdina, do género: "Eu faço! Não, tu não sabes, faço eu"! E tcha-nan, aparecem-nos no quarto com dois tabuleiros com cafe latte, ovos mexidos, torradas, queijo fresco, doce de morango e fiambre.

"Oh! Tão queridos! Não era preciso! Podiam ter planeado toda esta surpresa para as 11 DA MANHÃ!!!! Mas não faz mal. Adorei!"

É nesse momento que reparo que a minha filha adolescente olha em choque para o relógio.

"São oito da manhã? Não estou a acreditar!", enquanto fulminava com os olhos a mais pequenina (que foi obviamente quem teve a iniciativa).

"Precisava de ti para fazeres os ovos, tenho medo de mexer no fogão," atirou enquanto encolhia os ombros e devorava uma torrada.

 

Ainda embasbacada da outra ter estado meia hora na cozinha sem fazer a mais pequena ideia que horas eram, lá devorei o meu pequeno-almoço surpresa...que diga-se, a bem da verdade, estava delicioso (têm aprendido umas coisas com o pai!). Depois, anunciei:

"Agora, vamos só dormir um bocadinho porque senão passam o Dia da Mãe podres!"

Lá foram todos para a cama, ligeiramente contrariados. Passados dez minutos, estavam todos ferrados a dormir, que nem uns anjos, menos quem? A querida Mãezinha, que depois de uma tentativa falhada de dormir, e de várias voltas na cama, veio para o computador escrever este post.

Dormi cinco horas, é certo, mas tenho os melhores filhos do mundo!

 

Feliz Dia da Mãe para todos, especialmente para a minha,

Ela

 

créditos:

http://www.pinterest.com/itsere

http://www.pinterest.com

http://specialsavoryrecipes.blogspot.com/2013/08/delicious-egg-recipes-eggs-taste-great.html

bebida ideal para dias como hoje e para quem está de dieta

03.05.14

Chama-se Fresh e é a bebida da moda este ano. Fácil de fazer, fica bem em qualquer mesa. A receita? Simples: água bem gelada + rodelas ou pedaços de fruta gelados + gelo = água aromatizada estupidamente gelada. Experimente e vai ver que se vai sentir num spa. Quem precisa de álcool?

Bom fim de semana,

Ela

 

crédito: http://wpic.typepad.com/wpic/2010/05/fresh-ideas-for-wedding-refreshments.html

sugestão para um dia da mãe diferente

03.05.14

Não sabe o que dar à sua mãe ou à sua mulher (em nome dos vossos maravilhosos filhos)? Que tal oferecer-lhe um piquenique em família? Não lhe diga nada e faça-lhe uma surpresa: ligue para a Ant´s Basket que eles tratam de tudo.


A ideia nasceu em 2010 e começou a tomar forma em 2011: com o conceito “piqueniques cesto na mão”, o fundador, Ricardo Seguro Pereira, um jovem arquiteto do Porto, pretendeu revolucionar o mercado de ofertas de catering. E de que forma? Organizando eventos sempre em formato de piquenique. Há de tudo: desde um piquenique a dois, a festas de anos, despedidas de solteiros e até mesmo casamentos. E garante que o faz em qualquer lugar: numa praia, num jardim, numa floresta, num balão, num barco, numa carroça no meio da serra, em plena cidade, num veleiro, onde quiser.

Com a promessa de um excelente catering e de produtos sempre frescos, o programa tem tudo para ser um sucesso. Depois de uma primeira conversa, a Ant´s Basket cria o cenário que idealizou, faz o acompanhamento e assegura o serviço de mesa no local pretendido. E a empresa trata de tudo.

Leva o cesto de palha, a toalha, travessas, copos, pratos, mantas, almofadas, flores e até velas para a noite. As ementas — de brunch, almoço, jantar ou grupos — são para todos os gostos e carteiras e incluem várias opções, como patés, requeijão com doce de abóbora, amêndoa e canela, bruschettas de mozzarela com frutos vermelhos, grissini de presunto, tartes de salmão, empadão de caça com espinafres e cebola crocante, tartes de frutos silvestres ou espetadas de fruta, tudo isto acompanhado de sumo natural, vinho ou de uma sangria de frutos vermelhos, caseira.

Não é uma boa ideia, meu querido Marido Mistério? Do que é que estás à espera? Pega no telefone e liga para lá, ou então vai ao Facebook da Ant´s Basket. Ah, um ligeiro pormenor: o programa não inclui a sogra, OK? Se não terei de convidar a minha querida mãezinha. Queres?

 

Bom Dia da Mãe,

Ela

presente de dia da mãe para ela: a máquina que transforma vegetais em massas (mesmo!)

02.05.14

Descobri a solução para todos os nossos problemas. E quais são todos os nossos problemas, pergunta Vossa Excelência. Fácil, respondo eu. Ela está de dieta, eu estou de engorda. Ela quer jejuar, eu quero comer. Ela sonha com vegetais, eu sonho com massas. Ela é mãe, eu tenho de comprar um presente para o Dia da Mãe.

Como vê, não está fácil chegar a um acordo nesta casa. Até domingo. Depois de amanhã, quando ela abrir o presente que eu lhe comprei, tudo vai mudar. E o presente é… tan, tan, tan tan… um zoodler. Ou um spiralizer. Ou um espiralizador. Pode escolher como lhe chamar porque ele não se ofende.

 

 

o pensamento da semana VI

01.05.14

"Deus manda a comida, o diabo manda os cozinheiros".

Thomas Deloney, romancista inglês do século XVI