Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casal Mistério

Casal Mistério

como fazer o melhor e mais fácil tiramisú para este natal

21.12.17

Acho que engordei cinco quilos nos últimos dois dias só por causa da quantidade de receitas de bolos maravilhosos que vi na Internet. Esta costuma ser a época mais sensível do Natal, quando eu dou tudo por tudo para tentar arrasar o resto da família no almoço em casa da minha sogra. O Ricardo Araújo Pereira compete com o cunhado através das iluminações de Natal, eu compito com a sogra através dos doces. E com a cunhada. E com a tia. E com a prima.

Como os dotes culinários da minha querida Sogra Mistério se resumem a uma mousse de chocolate Alsa (ao menos podia ser Royal...), eu levo sempre dois doces para impressionar. E como também preciso de impressionar no Natal do pai, da mãe e no brunch de dia 25 que temos cá em casa, não sobra muito tempo para invenções. Os doces têm de ter um aspecto deslumbrante, um sabor delicioso e uma simplicidade desconcertante.

Feitas as contas, entre os bolos fornecidos para todos os lados da família, não me sobra muito mais de meia hora para cada receita. Por isso, foi com profunda alegria que descobri este facílimo tiramisú do Jamie Oliver. Além de tão espampanante como a Lili Caneças em noite de réveillon, consegue ser mais rápida do que o Carlos Moedas em hora de discurso.

tiramisu (1).jpg

 

 

ideias para decorar a sua mesa de natal e arrasar no instagram

21.12.17

7c39ec22e22d4094aa22e6c2dc184600.jpg

Já contei aqui que o meu querido Marido Mistério adora o Natal. Aliás, todos nós adoramos o Natal cá em casa, mas digamos que o nosso patriarca eleva o seu espírito natalício a todo um outro nível. Compra decorações em barda, luzes de todas as cores e feitios, tanta vela que a nossa casa mais parece uma igreja na Idade Média e distribui azevinho e folhas de pinheiro por todos os cantos. O que vale é que os nossos Filhos Mistério estão do meu lado nesta guerra anti-excesso natalício (este ano até camisolas iguais comprou para todos, é o medo!), mas numa coisa ele cede e não palpita: na nossa mesa de Natal.