Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

3 praias que estão desertas num fim-de-semana de agosto (e onde pode estacionar à porta)

Olhe bem para esta fotografia.

20180820_185122 2.jpg

Não foi tirada nas Maldivas. Nem na Croácia. Nem numa ilha perdida do Pacífico. Foi tirada num fim-de-semana mistério, em Agosto deste ano, na Costa Alentejana. Enquanto milhares de pessoas enchiam as praias de Porto Covo e de Vila Nova de Milfontes.

Nós adoramos as praias desertas da zona de Tavira, mas este ano dedicámo-nos a explorar as melhores praias desertas perto de Lisboa. Daquelas que dá para sair de casa de manhã, num domingo de Agosto, passar o dia sozinho na praia e voltar para a sua caminha à noite. Sem ter de andar quilómetros a pé por trilhos e falésias.

Estas foram eleitas, por unanimidade mistério, as nossas três praias desertas favoritas a uma hora e meia de Lisboa. Todas com areais gigantes, um mar de sonho e calor, muito, muito calor.

 

Praia do Pinheirinho

Melides

Desertómetro: 4 carros estacionados 

20180820_185123 2.jpg

É um sonho. A praia concessionada mais próxima (Aberta Nova) fica a 6 quilómetros de distância pelo areal. Felizmente, há um caminho de estrada quase até à entrada da praia. Mas não há indicações nem concessões. A única coisa que vê pelo caminho é um antigo condomínio falido do qual só existem as estradas e as fundações de dezenas de casas.

20180820_184137.jpg

No final, está uma praia deserta, com acessos impecáveis, onde só ouve mesmo o barulho das ondas. Nada mais. No fim-de-semana em que nós lá fomos, havia quatro carros estacionados no final do caminho. Na praia, ninguém. O primeiro chapéu-de-sol estava a cerca de 10 minutos a pé para a direita. Outro cinco minutos à frente e assim sucessivamente. O mar estava chão (o que nem sempre acontece nesta zona) e não soprava uma única brisa.

Saímos da praia já quase às oito da noite e só não ficámos mais tempo porque queríamos ir jantar à Comporta. 

20180820_184827 2.jpg

Para chegar aqui – e se quiser evitar fazer os seis quilómetros a pé a partir da Aberta Nova – tem de descobrir a entrada para o tal empreendimento falido que não chegou a ser construído (é logo a seguir à estrada para a Aberta Nova, na direcção de Melides para Pinheiro da Cruz). Depois siga sempre a estrada de pedra mais à direita. No final, tem um caminho de terra pelo qual ainda pode fazer uns 200 metros com um carro normal. Pare aí o carro e percorra menos de dez minutos a pé pela areia até ao mar.

20180820_191211.jpg

Para facilitar, pode sempre procurar as direcções no Google Maps. A praia do Pinheirinho está lá e o caminho não tem nada que enganar.

 

Praia da Vigia

Melides

Desertómetro: 15 carros estacionados

20180819_144333.jpg

Fica ao lado da praia de Melides, apenas separada pela entrada para a lagoa. Resultado: a praia de Melides está cheia de gente, a praia da Vigia está deserta. Para chegar à Vigia, tem de virar para o cemitério, à saída de Melides, e percorrer a estrada até ao fim – mesmo quando acaba o alcatrão e começa um longo estradão de terra cheio de mini-lombas que passa pela frente da casa do designer de moda Christian Louboutin.

No entanto, vai ver que vale a pena o fazer esse caminhi. Apesar de estar ao lado do centro de Melides, a praia da Vigia está quase deserta. Quando lá fomos, havia 15 carros estacionados no fim da estrada, num pequeno largo de areia. Depois é só descer a duna e está na praia. Antes, pode sempre parar junto a uma cadeira que está lá abandonada para ver a vista maravilhosa.

20180819_145119 2.jpg

Ao contrário do Pinheirinho, se olhar para a esquerda consegue ver a multidão na praia de Melides. E, ao final do dia, dependendo da direcção do vento, até consegue ouvir muito lá ao fundo a música do bar. 

20180819_190136 2.jpg

A sua sorte é que a entrada do mar para a lagoa de Melides forma uma barreira que impede as pessoas de passarem para a Vigia, por isso o máximo de movimento que pode ter são alguns cavalos a passearem pelo areal. 

20180819_184525 2.jpg

Se andar 10 minutos para a sua direita, fica isolado do mundo e protegido da música.

 

Praia do Monte Velho

Santo André

Desertómetro: 32 carros estacionados

20180818_150544 2.jpg

É a única das três praias que tem bandeira e vigilância de nadadores-salvadores. E isso tem inconvenientes: mais gente. No entanto, não chegavam a 80 pessoas – e todas concentradas junto à saída. Nós andámos pouco mais de 5 minutos para a esquerda, pela beira-mar, e ficámos sem ninguém, num raio de 100 metros.

20180818_150655 2.jpg

O acesso até à praia também é bastante melhor do que os acessos das outras duas. A partir da rotunda grande de Santo André, já encontra indicações para o Monte Velho. 

20180818_194358 2.jpg

Dica fundamental para qualquer uma destas três praias: leve umas minis numa lancheira e veja o pôr-do-sol, sentado à beira-mar. Vai ver o sol a desaparecer no horizonte, sem ninguém à volta, com um tamanho e uma cor únicas.

 

Uma óptima praia para si onde quer que as multidões estejam,

Ele

 

fotos: casal mistério

2 comentários

Comentar post