Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

o meu sítio preferido para comer pizzas não é bem um restaurante, é quase uma casa de família

10188_564096093625370_1589443485_n.jpg

Encontrar este restaurante no centro de Cascais pode ser tão difícil como descobrir um cabelo na cabeça do novo presidente da FIFA. O Lambrettazzurra tem cerca de 20 lugares sentados no interior e mais duas mini-mesas acolhedoras na esplanada para quem quiser fumar. 

 

10 óptimos restaurantes para almoçar se estiver de dieta

IMG_0849.JPG

Estou definitivamente contrariado. Falar de restaurantes a quem está de dieta é como contar uma anedota a Cavaco Silva. Não vai resultar. No entanto, a minha prezada Mulher Mistério insistiu, voltou a insistir e finalmente ameaçou-me com o prolongamento da sua dieta durante mais seis meses, o que me levou a ceder imediatamente a fazer esta lista. Pensando bem, e se forem restaurantes para almoçar num dia de trabalho, até há óptimas e saborosas opções em Lisboa. E, ao fim-de-semana, também.

Afinal de contas, a dieta não é assim tão dolorosa, especialmente se almoçarmos num destes sítios. 

 

onde é que pode comer um almoço de ovos perfeito para a sua dieta? na última novidade do cascaishopping

5dfe40_90d9f157ba19488c81e9537515f6b83e.jpg

Janeiro é sempre um mês difícil para quem gosta de comida. Por um lado, esgotámos a nossa quota anual de calorias nos últimos sete dias de 2015. Por outro, fizemos promessas precipitadas de contenção alimentar a partir do terceiro copo de champanhe na Passagem de Ano – e isso ainda vai demorar uns dias a esquecer. 

A sua única salvação é que há duas maneiras de encarar esta austeridade calórica: fazendo como a minha querida Mulher Mistério e mergulhando 30 dias numa imensa piscina de saladas, smoothies, sumos detox e outras variações de verde; ou transformando-se num Indiana Jones alimentar e partindo à descoberta de novas e deliciosas soluções gastronómicas que sejam bem vistas pela sua sempre exigente balança.

Escusado será dizer que eu assento que nem uma luva no papel de Indiana Jones. E foi quase de chapéu na cabeça e chicote na mão que descobri o Eggcelent, um restaurante exclusivamente de ovos que começou no Amoreiras Plaza e que recentemente se expandiu até ao Cascaishopping. 

 

bolas de berlim com doce de leite: os bolos preferidos das crianças estão nesta pastelaria (e de alguns adultos também...)

cascais-4.jpg

Pergunta prévia: tem mais de 18 anos? Então este texto não é para si. Quer dizer, até aos 30 ainda o pode ler assim meio a correr, desde que a seguir vá fazer a maratona de Nova Iorque para abater calorias. Se tiver mais de 30, não vale a pena perder-se por aqui. E porquê? Porque hoje vamos falar dos doces preferidos da nossa pequena equipa de futsal, os quatro Mini-Misteriosos cujos olhos saltam das órbitas cada vez que se cruzam com as bolas de Berlim de doce de leite da Sacolinha.

Mas antes vamos ao...

 

novidade! novidade! abriu em cascais um dos meus restaurantes de fast food preferidos

10847866_1409733652651524_3256115760080202079_n.jp

Entrar num centro comercial, ir a um restaurante de fast food e poder comer um saudável tártaro de salmão é qualquer coisa como ver um deputado do PAN sentado na Assembleia da República. Não estava à espera, pois não? Então, se esse tártaro levar ainda cebola roxa, manga, molho de soja, sumo de limão, wasabi e cebolinho e for uma verdadeira delícia, a fasquia sobe em flecha. 

 

o mais arrebatador tártaro de salmão dos últimos tempos (com gema de ovo por cima!)

IMG_1719.jpg

Estava eu aqui profundamente dividido entre publicar um longo texto sobre a vida e obra de Pedro Passos Coelho ou a obra e vida de António Costa, quando de repente se me fez luz: e se escrevesse antes sobre o novo restaurante do Mercado da Villa, em Cascais? Não será ligeiríssimamente mais interessante? Modestamente mais útil para quem está prestes a começar mais uma dura semana de trabalho e vai precisar de um sítio para almoçar? Sensivelmente mais apelativo para dar aqui um saltinho no próximo fim-de-semana?

Hmm... deixe cá pensar... se calhar... ok, não vale a pena responder.

O novo restaurante do Mercado de Cascais chama-se Stockholm Market e é um oásis de comida fresca e saudável no meio de um deserto de calorias. 

12032084_482006628646875_8319703141103037766_n.jpg

 

novidade! novidade! já fomos à incrível varanda do novo hotel intercontinental no estoril

11728907_913792852027210_6940102224708694156_o.jpg

“Eu ainda sou do tempo do Hotel Atlântico”. São frases como esta que me deprimem. Fazem-me sentir antiga. Mas é um facto. E contra factos não há argumentos. Lembro-me perfeitamente de ir para lá com os meus avós quando era criança. Por isso, foi com muita curiosidade que acompanhei a demolição do velhinho e abandonado Atlântico e o nascimento do moderno e luxuoso Intercontinental Estoril.

 

o bar com uma das mais simpáticas vistas de mar (mas com um dos mais antipáticos serviços de cascais)

10010285_1028252880518274_4822256609413840338_o.jp

O serviço

O que é que será melhor: uma empregada que não sorri ou uma empregada que não lhe responde quando diz boa tarde? Hmmm... Deixe cá ver... 

O que é que será melhor: uma empregada que se queixa à colega de outra pessoa à sua frente ou uma empregada que continua a falar com a colega, de costas para si, enquanto espera ao balcão. Hmmm...

O que é que será melhor: uma empregada que tem uma enorme dificuldade em dizer "obrigado" ou uma empregada que tem uma manifesta incapacidade de dizer "se faz favor"? Hmmm...

São, de facto, dilemas difíceis de resolver, mas na Duna da Cresmina, em Cascais, não existe essa dúvida – até porque as empregadas conseguem reunir todas estas características numa equipa una e indivisível. Ali não há sorrisos, não há disponibilidades, não há boas vontades. Ali não há simpáticas e antipáticas. Ali faz-se aquilo que tem de se fazer. E nada mais. É preciso responder aos clientes? Responde-se – mas sem simpatias. É preciso levantar os pratos da mesa? Levanta-se – mas não se limpa a mesa. É preciso receber o dinheiro dos clientes? Recebe-se – mas não se agradece. Ou seja, o serviço cumpre – mas não agrada.

É pena, porque, no que diz respeito à vista, o sítio é imbatível.

 

 

novidade! novidade! brunch literário em cascais (toma o pequeno-almoço enquanto compra um livro e ainda ajuda crianças com trissomia 21)

11412154_980531961968855_3244948334118971257_n.jpg

Eu gosto quase tanto de ler como gosto de comer...

Ai, Jesus, que já vem aí a Edite Estrela dizer que estou a menosprezar a literatura...

Ok, gosto tanto de ler como de comer...

Está bem, gosto mais de ler do que de comer... O que para aqui interessa é que gosto muito das duas coisas e agora Cascais tem um espaço que vai dar comida e literatura juntas e ao vivo logo pela manhãzinha. Esta novidade fresquinha (e já vamos com dois diminutivos seguidos...) chama-se brunch literário e vai acontecer todos os sábados e domingos na Taberna da Praça, na Cidadela de Cascais, entre o meio-dia e as 16h. Infelizmente, não é buffet, esse tipo de brunch que está para a comida como o Guerra e Paz está para a literatura. Mas não deixa de ser tentador.

 

 

onde é que há-de ir hoje beber um copo ao pôr-do-sol? o quê, ainda não conhece o blue bar?!

A pergunta é difícil, não é? E a resposta também. Especialmente depois de ver esta fotografia.

11270334_1059801650715439_6891807058069114545_o.jp 

 

 

sugestão para o fim-de-semana: beber um bom vinho ao fim do dia no mercado de cascais

1959402_692654084183235_1410940700749208348_n.jpg

Mas também pode comer um óptimo marisco. Ou dividir uns fantásticos petiscos. Ou refrescar-se com umas magníficas tostadas. Ou provar uma salada caprese totalmente diferente daquilo que já comeu até hoje. O Mercado da Vila está remodelado. E vale a pena. Veja só algumas das razões para lá ir este fim-de-semana.

 

 

novidade! novidade! o gulli abriu no mercado de cascais com óptimas entradas e um serviço... (bem, o melhor é ler)

11238965_748658661918057_3924637063071322756_n.jpg

Não há coisa mais stressante do que ir jantar fora com amigos. Primeiro, é o problema da gestão de expectativas: uns são fanáticos por japonês, outros são alérgicos a arroz; uns adoram sítios animados, outros têm enxaquecas com o barulho de uma borboleta; uns querem vinho branco, outros até fazem tratamentos de spa com vinho tinto. 

Depois, é o problema da gestão de segredos: é pacífico passar um tête-a-tête inteiro de telemóvel em punho a tirar notas sobre a refeição como se fôssemos dois pós-adolescentes que comunicam entre si exclusivamente via WhatsApp; mas é muito mais suspeito ter um jantar de amigos desde que arranjámos uma vida dupla – como ninguém sabe que à noite nos transformamos em perigosos lobisomens da restauração, é preciso tirar notas discretamente, provar os pratos dos outros inconvenientemente e impor restaurantes despudoradamente.

 

 

posso contar-lhe um segredo? descobri o melhor gelado de amêndoa que esta boca alguma vez já provou...

...agora, pela santa, não diga a ninguém para o sucesso não lhes subir à cabeça. Combinado? Posso contar consigo? Então aqui vai. Mas vou dizer isto baixinho...

10590669_1496306950608282_3163708401831386598_n.jp

No fim-de-semana, fugi da tirania cá em casa. Inventei uma desculpa e disse aqui ao Kim Jong-un das dietas que precisava de levar os miúdos ao CascaisShopping para lhes comprar umas Paez. Eu sei, não faz muito sentido ir de Lisboa a Cascais comprar Paez, pois não? Mas já há uns tempos que queria experimentar os gelados artesanais do Sr. Gelado (o nome não é brilhante, mas sempre é preferível um nome assim do que mais uma variação previsível de um nome italiano).

 

 

roteiro para o fim-de-semana: quatro óptimas esplanadas para aproveitar o calor

Este fim-de-semana vai haver festa. Não, não estou a falar de bailarico e farturas carregadas de óleo, que Ela não me deixa ter conversas dessas. Estou a falar de sol, calor e T-shirts de manga cava, claro! E quem diz T-shirts de manga cava diz esplanadas. O tema esplanadas é um dos mais sensíveis assuntos do matrimónio mistério. Ela quer sombra, eu quero sol; Ela quer Coca-cola light, eu quero gin tónico; Ela quer amêndoas, eu quero pistácios; Ela quer, eu obedeço. Invariavelmente. E é assim que se resolvem as polémicas nesta casa. Por isso é que hoje temos quatro esplanadas para sugerir para este fim-de-semana: todas aprovadas por Ela. Ou seja, com sombra – e Coca-cola light.

E se tem dúvidas sobre esplanadas, ouça a nossa "palestra" sobre o assunto, num estilo ligeiramente mais acintoso do que o do Medina Carreira, hoje, às 19h30, na Rádio Comercial.

 

Casa Vasco, Porto

17898812_i5Owq.jpeg

Esplanada sem bar de gin é o mesmo que Fernando Mendes sem Lenka. Não dá. É anti-natura. Mas esse não é um problema na Casa Vasco. O restaurante, do mesmo dono do Cafeína, na Foz, tem óptimos petiscos light como ceviches, tatakis ou tártaros. Mas o melhor de tudo, num fim-de-semana de sol e calor (sim, no Porto vão estar 24º C no domingo), é a esplanada que está aberta entre o meio-dia e as duas da manhã – sempre disponível para lá ir beber um gin bem preparado a acompanhar um delicioso tataki de salmão ou umas ostras frescas. Descubra todos os detalhes aqui.

 

 

onde comer fora neste fim de semana? no novo restaurante maria pia com uma vista fantástica para a baía de cascais

10981657_326818217529226_1258797548123229026_n.jpg

A Primavera chegou. A flores desabrocharam, os passarinhos começaram a cantar, os campos vestiram-se de verde e o Miguel Horta e Costa tirou o seu blazer de marinheiro do armário. É verdade: tudo é perfeito. E tudo é também um programa imperdível. Ver ao vivo aquela conjugação cuidadosamente preparada do azul escuro do blazer com o dourado do brasão do Clube Naval de Cascais no bolso, o bege das calças e a "bicoloridade" dos sapatos de vela com a carapaça superior em azul e a sola em branco – parece que este ano foi abandonada a moda do múleos de veludo bordeaux com o brasão de Horta e Costa debruado a dourado por cima – é um momento alto da estação.

Enfim, é um assunto de tamanho impacto social que nos daria para dezenas de milhares de caracteres de conversa. Mas o que para aqui importa é que, mal vesti a minha T-shirt de manga cava primaveril para ir almoçar fora num domingo de sol e calor, dei de caras com o blazer abrasonado de Miguel Horta e Costa. E onde é que esta honrosa coincidência se deu? No novo restaurante Maria Pia, no Clube Naval de Cascais.