Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

a cidade que vai impedir os restaurantes de deitarem comida para o lixo

São boas notícias contra o desperdício de comida. A capital do estado do Texas, nos Estados Unidos, quer que os restaurantes da cidade deixem de deitar comida para o lixo até ao dia 1 de Fevereiro de 2019. Para já, a autarquia aprovou uma lei que obriga os estabelecimentos a apresentarem, até ao início do próximo ano, um plano onde detalham como se vão libertar do lixo orgânico "de forma responsável", sem o colocarem nos caixotes do lixo.

Segundo a revista Newsweek, o objectivo da Câmara de Austin é reduzir em 90 por cento a quantidade de lixo atirada para os aterros sanitários em 2040.

food-1081707_960_720.jpg

 

Para já, "não vamos obrigar os restaurantes a optarem pela compostagem nem os vamos proibir de nada. Aprovámos uma lei que determina que os restaurantes devem libertar-se do lixo de forma responsável", adiantou uma fonte da autarquia à revista americana. E são os restaurantes que terão de encontrar a melhor solução para o seu caso particular. Segundo a nova legislação, os espaços podem doar a comida que sobra, compostar (decompor criando um adubo natural), enviá-la para quintas para alimentar animais ou encontrar outras "soluções costumizadas".  Mas tudo isso tem de ficar definido até Fevereiro do próximo ano. 

A nova lei, aprovada no início deste mês, surge na sequência de vários estudos que indicam que 40 por cento da comida no país nunca chega a ser consumida e que cada família gasta 1.300 euros por ano em comida que vai para o lixo. Por outro lado, 41 milhões de americanos não têm comida suficiente.

Além do problema social, existe o problema ecológico. Um especialista, citado pelo jornal online Huffington Post, explica que o lixo enviado para os aterros (85 por cento do qual é produzido pelos estabelecimentos comerciais, onde se incluem os restaurantes) produz gás metano, o que leva ao aquecimento global, além consumir água, dinheiro e energia no seu processo de tratamento.

Cá em Portugal também fazia falta uma medida assim, não fazia? Basta olhar para os nossos caixotes do lixo.

 

Uma óptima reciclagem para si onde quer que esteja,

Ele