destino de charme: moinhos de ovil, o segredo mais bem guardado do douro

    2.jpg

    Há surpresas assim. Coisas que aparecem na nossa vida absolutamente por acaso. Quando uma amiga minha me falou nos Moinhos de Ovil, primeiro estranhei… depois pesquisei. E que descoberta! Há lá melhor coisa do mundo do que um colchão, umas almofadas, um copo de vinho e um livro à beira-rio?

     

    1.jpg

    1a.jpg

    2a.jpg

    Estes moinhos transformados em casas de férias são o refúgio ideal para quem gosta de Natureza no seu estado mais puro. Situados na zona de Baião, no Douro, mesmo em cima de um ribeiro delicioso, aqui a palavra de ordem é descansar e aproveitar as horas, os minutos e os segundos, e imaginar que os ponteiros do relógio pararam para ouvir o rio passar.

    4.jpg

    3.jpg

    4a.jpg

    Com apenas duas casas, o ideal é juntar a família ou os amigos e ter este paraíso em exclusivo só para si. Pelo menos é essa a sugestão de Eduarda, a proprietária, que só aluga toda a quinta, porque mais do que uma estadia, dormir aqui é sobretudo “uma experiência”.

    5.jpg

    6.jpg

    7.jpg

    A Casa dos Moinhos nasceu na ruína do moinho propriamente dito e tem um quarto, cozinha, casa-de-banho e sala. A Casa da D. Amélia era a antiga casa de família do moleiro, com três quartos (dois duplos e um single), uma sala com lareira e uma casa-de-banho.

    15380714_1194842980599402_5784329137407856103_n.jp

    12240873_925483337535369_7686089288885433106_o.jpg

    8a.jpg

    O que mais me chamou a atenção neste paraíso perdido foi a importância que Eduarda dá aos detalhes. Em cada pormenor há um enorme cuidado e dedicação a quem visita este refúgio escondido que fica a 70 km do Porto. As flores, os guardanapos, as mantas, as almofadas parecem pequenos detalhes que nos transportam para um cenário de um filme romântico.

    9.jpg

    11.jpg

    12.jpg

    A decoração, cosy e rústica, em tons claros, as paredes de pedra pintadas de branco, tal como os tetos toscos conquistaram-me ao primeiro olhar e não vou descansar enquanto não vier aqui passar uns dias com a minha querida e numerosa Família Mistério. Desde a salamandra no quarto, à varanda sobre o rio, passando pelos piqueniques servidos nas margens, pelos passeios no barco “Amor”, tudo é simples, tudo é despretensioso.

    10.jpg

    13.jpg

    13a.jpg

    Meu querido Marido Mistério, eu descobri, tu marcas, OK? A ideia é alugar as duas casas: nós ficamos na dos Moinhos e a nossa equipa de futsal ocupa a Casa D. Amélia com alguns amigos. O preço varia consoante o número de noites. Se formos só uma são €245 pela quinta toda, mas se formos o fim-de-semana já são €200 por noite. O pequeno-almoço caseiro está incluído e podes cozinhar lá ou encomendar as outras refeições.

    14.jpg

    15.jpg

    16.jpg

    Mas o melhor é falares diretamente com a Eduarda. Aqui ficam os contactos para não teres muito trabalho: moinhosdeovil@gmail.com e o telefone é o 967 639 211.

     

    Uma ótima viagem para nós,

    Ela

     

    fotos: moinhos de ovil

    7 thoughts on “destino de charme: moinhos de ovil, o segredo mais bem guardado do douro

    1. O lugar é lindo!!!
      Faço um reparo relativamente ao link que abre quando se clica no suposto site dos Moinhos – é Chines!!!

    2. Definitivamente, a minha querida Mulher Mistério foi atacada por uma crise aguda de links. Depois de ontem ter linkado para uma farinha, hoje linkou para um site japonês 😉
      Já está corrigido: era moinhosdeovil.pt e não .com.
      Obrigado pelo alerta, Cristina. Vou tentar mantê-la longe do blog até isto lhe passar 😀

      Ele

    3. Os moinhos de Ovil… a Eduarda. Feliz descoberta a minha. Já lá estive com a minha mulher e o meu filho, uns dias. Nos 3 últimos verões. Espero voltar de novo. É paradisíaco, fazedor de memórias, guardador de segredos, retemperador do corpo e, sobretudo, da alma de quem vive na cidade. Exclusivo. A Eduarda é top… a simpatia em pessoa. Sempre preocupada em corresponder aos nossos desejos. É TOP. Tudo em perfeita sintonia com a natureza. Adoro os pequenos almoços. A tradição de ver descerem para a ponte e atrevessá-la com um cesto ou mais com as coisas para o jantar. Parece mesmo um filme. Por mim, é entrar e sair só no fim.

    4. Sem duvida uma casa longe de casa, eu e a minha esposa fomos os primeiros clientes dessa casa, fizemos aí a passagem de ano apenas os dois. Depois disso abriu a 2ª casa, a piscina e mais uma infinidade de detalhes que a Eduarda faz questão de melhorar e inventar. Até fizemos um filme de publicidade para a casa 🙂 Aproveitem e vão passear no Douro à Vela….

    5. Tenho muita pena que o objectivo deste blog , que penso ser, o de ajudar e informar se transforme numa plataforma publicitária que proporciona aos proprietários o abuso na venda de bens e serviços. Só para informar, esta entidade pediu-me 1200€ por 2 dias pela quinta. Obrigada e felicidades para o blog

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *