era um bolo de chocolate crocante por fora e fofinho por dentro, se faz favor. era? já não é?

    É de enlouquecer, não é? Tenho sempre a mania de fazer os meus pedidos no pretérito imperfeito, porque acho que é mais simpático do que usar o mesmo verbo no presente do indicativo, parece que estou a ser autoritária. Mas arrependo-me sempre. Mal estou a terminar a frase, já sei que vou levar com a graça do costume: “era? já não é?” Faço um esforço sobre-humano para não revirar os olhos e forço um enorme sorriso. “É, é!” O que me vale é que eu sei que o meu querido Marido Mistério não faz este tipo de graçolas, por isso, posso pedir-lhe para me fazer esta receita do blog Del’s Cooking Twist usando a forma verbal que me apetecer. Estou a salivar desde que descobri esta maravilha. E é muito fácil de fazer.

    Só precisa de um chocolate de boa qualidade, leite, manteiga com ou sem sal, açúcar, farinha, dois ovos com as gemas e as claras separadas e uma pitada de sal.

    Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 6 a 8 pessoas, espreite aqui a receita original.

    French-Chocolate-Cake_2.jpg

     

    Pré-aqueça o forno a 180º C e unte uma forma de bolo com cerca de 23 cm de diâmetro.

    Entretanto, derreta o chocolate com o leite numa panela em lume brando. Junte a manteiga e deixe derreter, mexendo de vez em quando.

    Desligue o lume e acrescente o açúcar e as gemas, uma de cada vez, mexendo antes e depois de as colocar. Junte agora a farinha e mexa novamente.

    Numa taça média, bata as claras em castelo com uma pitada de sal.

    Envolva com cuidado as claras em castelo na mistura de chocolate, em duas ou três vezes se for necessário.  

    Transfira para a forma que preparou e leve ao forno durante 30 a 35 minutos.

    Retire do forno, decore com açúcar de confeiteiro e…desgrace-se porque bem merecemos!

     

    Boas receitas,

    Ela

     

    receita e foto: del’s cooking twist

     

    2 thoughts on “era um bolo de chocolate crocante por fora e fofinho por dentro, se faz favor. era? já não é?

    1. Da próxima vez, pode dar uma lição de português ao empregado do café/restaurante/estabelecimento/etc.:
      O pretérito imperfeito do indicativo pressupõe que a acção que o verbo representa se prolonga no tempo e no espaço de forma indeterminada (imperfeita), ao contrário do pretérito perfeito que indica claramente a finitude/fecho da acção. Assim, o tal prolongamento da acção pode estender-se até ao momento presente, o que faz com que, por exemplo, a frase “queria um bolo, por favor” esteja correcta, pois a sua vontade pode estender-se desde o momento em que começou (no meu caso e da Ela, poucos meses depois do nascimento =P) até ao momento em que pediu o bolo.
      Um beijinho e muitos bolos! (light, claro!)
      Sónia

    2. Marco Neves, a propósito do “já não quer?”, dizia num artigo que uma boa resposta à gracinha seria explicar ao engraçadinho o erro que este cometia. Uma pessoa, se sem paciência, provavelmente diria não e viraria costas – mas a salivar talvez não dê muito jeito 🙂

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *