o roteiro de lisboa que não aparece nos guias turísticos

    Que Lisboa está na moda já não é novidade para ninguém, que Lisboa é linda todos sabemos, que Lisboa tem uma luz única também já nem é notícia, agora que Lisboa tem cada vez mais lugares incríveis, trendy e originais para descobrir é motivo para celebrarmos e fazermos um roteiro diferente e alternativo. Tal como fizemos para o Porto, aqui fica uma sugestão para um fim-de-semana em cheio em Lisboa. Sem turistas de máquina fotográfica ao lado.

     

    Sexta-feira

    Onde dormir

    3.jpg

    Se é para ser alternativo, comece por escolher um alojamento diferente. Em vez dos hotéis do costume, porque não instalar-se no Alfama Chic? Vá ao site Airbnb e delicie-se com os apartamentos de Estelle, uma francesa que se apaixonou por Lisboa e que aluga as suas deliciosas casas a turistas por 60 euros por noite (o loft onde cabem 4 pessoas) ou 150 euros por noite (um apartamento que alberga 9 pessoas!).

     

    6.jpg

    4.jpg

    Outro sítio que, além de uma vista maravilhosa, se destaca pela originalidade é o hostel The Independente, em frente ao miradouro de São Pedro de Alcântara. É também aqui que se situam os restaurantes The Decadente e The Insólito, onde tivemos uma experiência sui generis, mas para quem procura um lugar alternativo e original, na zona em que tudo acontece, o The Independente é o spot. Não é bem um hotel mas é muito mais do que um hostel. Espreite aqui.

    12309881_1520244918274575_4831299336224058642_o.jp

    Se estiver cheio de dinheiro para gastar, espreite o Palácio Belmonte. É pura e simplesmente maravilhoso mas a suite mais barata custa 450 euros por noite.

    1597724_672504926139519_1662816301_o.jpg

     

    Onde jantar

    11052497_388979404641918_3887246684781972200_o.jpg

    Depois de deixar as malas no hotel, hostel ou apartamento, vá ao Cine-Jantar no Village Underground. Este é um programa imperdível e vai acontecer precisamente esta sexta e sábado, dias 4 e 5 de março, a partir das 19h30. A ideia é juntar cinema e gastronomia no mesmo evento. Este fim-de-semana vai ser exibido o filme “Burnt – À Procura de uma Estrela” (2015), protagonizado por Bradley Cooper, ao mesmo tempo que pode apreciar um jantar elaborado pelo chef Tiago Bonito que está à frente da cozinha do Lisboeta, na Pousada de Lisboa.

     11155107_364455753760950_1271210099387666765_o.jpg

    Esta experiência “cine-gastronómica” tem a lotação máxima de 25 pessoas e o o menu (30 euros) inclui salmão da Escócia marinado, abacate fresco, maionese de soja e salada de legumes de inverno, de entrada; o prato principal é novilho nacional, batata confitada, cogumelo seta de cardo, espargos verdes e molho avinagrado.

     

    Onde beber um copo

    1012897_1535990313282027_8905350230510676702_n.jpg

    Se depois do cinema e do jantar ainda tiver pedal, não deixe de ir ao Purista – Barbière, um espaço giríssimo que abriu na Rua Nova da Trindade em 2014 e que é uma barbearia-bar, onde pode fazer a barba ou cortar o cabelo enquanto bebe uma cerveja com os amigos. À entrada, pode ler-se: “Num mundo em que olhamos constantemente para o futuro, tire algum tempo para apreciar o passado”. E, de facto, quando se entra é impossível ficar indiferente ao espaço original, divertido e ao mesmo tempo acolhedor, com recantos com sofás e prateleiras com livros, onde se pode deliciar com uma bebida, jogar snooker ou simplesmente conversar e até dançar, porque, aos fins-de-semana, há DJ.

    10646669_1525129797701412_7911618959300088227_n.jp

     

    bado

    Onde passear

    11401412_10152948916503870_6719426075854958795_n.j

    Comece o dia com um passeio pelo Intendente. Esta zona que, durante muito tempo, foi território de traficantes e prostitutas, está a ganhar uma nova alma e muita vida. Edifícios históricos estão a ser convertidos e transformados em lojas, cafés e bares muito cool, como A Vida Portuguesa, por exemplo…

    11214363_10152948916868870_5305739078599353345_n.j

    …  ou o Largo Residências que é basicamente um laboratório de criação artística (que inclui um café, um hostel e locais de espetáculos e exposições), ou ainda a loja vintage de artigos em segunda mão Retrox Vintage Shop. E já agora, aproveite para tomar um brunch no café O das Joanas.

    12191839_1188860004461007_8011087223831796034_n.jp

     

    Onde almoçar

    11760185_1690033967882277_6032713765165414586_n.jp

    Se, em vez do brunch, preferir almoçar, passe pelo Martim Moniz, outra zona da cidade que se reinventou e é hoje uma praça multicultural e um mercado de fusão. Aqui respira-se diversidade e animação: gastronomia, intervenções artísticas, instalações ou música. Depois de aproveitar o ambiente da praça, e de petiscar num ou noutro quiosque, vale a pena entrar nesse verdadeiro hino à beleza estética que é o Centro Comercial do Martim Moniz, e subir até ao Topo.

    12307511_1731353633750310_2681169232562196596_o.jp

    O exterior do edifício está muito próximo do assustador mas, no último andar, tem uma esplanada espetacular, toda decorada em madeira, com uma vista incrível para o Castelo de São Jorge. É um ótimo sítio para almoçar (cozinha portuguesa e internacional) ou então para ir beber um copo ao fim da tarde.

    12741883_1757002844518722_269191168055288785_n.jpg

    A caminho da movida, no Cais do Sodré, não deixe de passar pela loja Cais Pimenta Rosa. Já falámos deste espaço tentador e viciante aqui no blog, e vale a pena perder-se por lá durante algum tempo.

     

    Onde jantar

    12711006_1657660077817611_5118557454217410232_o.jp

    Do lado de fora, parece uma pensão de poucas virtudes; do lado de dentro, é um dos restaurantes com melhor ambiente de Lisboa: o saguão tem uns balões com uns porcos de papelão iluminados e pendurados, a casa-de-banho tem uns barulhos de pássaros como se estivesse na selva e a decoração mistura vários estilos alternativos. É deslumbrante de tão kitsch.

    1548162_1409249885991966_1802694980_o.jpg

    A ideia é recriar a atmosfera de uma casa de família dos anos 60. Mas o melhor é mesmo a ementa: canja de ostras, filetes de peixe-galo com maionese de uvas ou torradas de bacalhau com iogurte grego são só alguns dos exemplos que me deixam já de boca aberta. Chama-se Casa de Pasto e fica em pleno Cais do Sodré. Não se esqueça de marcar com antecedência porque costuma estar cheio.

    12030267_1616223745294578_1188765271980009288_o.jp

     

    Onde beber um copo

    pensão.jpg

    Se a seguir ao jantar ainda tiver energia, dê um salto até à Pensão Amor, mesmo ali ao lado, na Rua Cor de Rosa. É um bar com várias salas e vários ambientes giros e burlescos que consegue ter a maior concentração de gente por metro quadrado a um sábado à noite. É confuso, mas é divertido.

     

    Domingo

    Onde dormir

    palacete-chafariz-del-rei-gallerypalacete-chafariz

    Se quiser mudar-se para um hotel, experimente o Palacete Chafariz d’El Rei. É um pequeno boutique hotel, de estilo neo-mourisco do século XIX, no bairro de Alfama, com os interiores estilo Arte Nova Brasileira. Tem apenas seis quartos, com vista para a cidade e para o Tejo. A maior suite tem 110 metros quadrados e um andar de cima com uma vista de 360 graus deslumbrante.

    palacete-chafariz-del-rei-gallerysonya_lrg.jpg

     

    Onde tomar um brunch

    brunch.jpg

    Acorde e nem pense em sair. O Chafariz d’El Rei tem um dos melhores brunches de Lisboa. Apesar de não ser buffett, tem comida para alimentar o grupo de amigos do Fernando Mendes: inclui pão, croissants, queijos, carnes frias, manteiga, compotas, taça e sumo de fruta. Tem também ovos à escolha: com espargos, farinheira, simples ou estrelados. Pode pedir ainda salmão, bacon ou tomate com mozzarella. E está também incluída, claro, uma seleção de bebidas quentes: chás, cafés e chocolate quente. Tudo isto é servido entre as 12h e as 17h, por €19,00 por pessoa.

     

    Onde passear

    emb.jpg

    O Príncipe Real e o Chiado são um passeio obrigatório para qualquer mulher que se preze. O ideal é mesmo deixar os homens na Embaixada, um palacete do século XIX transformado em concept store – e que tem um bar de gins com 120 gins diferentes, o que deve dar para os entreter umas horas – e seguir sozinha pelas ruas cheias de lojas de perder a cabeça. 

    mini.jpg

    Uma das minhas preferidas é a Mini By Luna, que mistura roupa de senhora e de criança e objetos de decoração no mesmo espaço. Em alternativa, tem também a Entre Tanto, mais um palacete com 23 lojas de moda e design.

     

    Onde lanchar

    landeau.jpg

    Quando estiver cansada, desça mais um bocadinho em direção à Rua das Flores e vá lanchar. O que é que lhe apetece mais: doce ou salgado? Se quiser doce, tem o bolo de chocolate Landeau, provavelmente um dos melhores bolos que já comi na vida, com três camadas de chocolate: um bolo macio por baixo, uma mousse leve no meio e um pó aveludado por cima. Se preferir um lanche salgado, sente-se na Queijaria à frente da mais completa seleção de queijos de Lisboa, enquanto bebe um bom Vinho do Porto.

    Acho que, depois disto, já não vai conseguir jantar.

     

    Um ótimo fim-de-semana para si,

    Ela

    4 thoughts on “o roteiro de lisboa que não aparece nos guias turísticos

    1. Olá!
      Segui o vosso conselho e tentei marcar alojamento no Alfama Chic para um fim-de-semana em família (2 adultos e 2 crianças). Infelizmente só aceitam no mínimo reservas para 4 ou 5 noites dependendo da época… Desilusão!!!

    2. não entendo, aliás, é esta malta portuguesa toda que não entende que o brunch não é um almoço cedo com um menu “diferente”!!! ou seja, não se serve a parir das 12/12:30. Um brunch é uma refeição para se fazer entre o peq.-almoço e o almoço, substitui as duas. É para uma manhã relaxada em que se acordou tarde não é para se ter que tomar o peq.-almoço em casa e dps ir almoçar fora mais cedo que o habitual. Enfim…

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *