os 5 alimentos que ninguém devia comer (nunca!)

    Não basta estar de dieta, como a minha querida Mulher Mistério. É preciso estar atento a cada migalha que coloca na boca. Eu sei que este título pode ser um bocadinho definitivo demais, mas quando temos um artigo da Mother Nature Network a garantir isso, então é capaz de ser melhor pensar duas vezes. E é nesta fase que V. Exa. pergunta: o que raio é que é a Mother Nature Network? Mais conhecida por MNN, é um grupo de media dedicado exclusivamente ao meio ambiente. Fundado pelo teclista dos Rolling Stones, Chuck Leavell, tem como sócios a CNN e o Discovery. E, neste texto, selecciona os alimentos que deviam ser banidos das nossas cozinhas.

    cereal-avoid_0.jpg

    1. O adoçante engorda 

    Parece gralha, não é? Pode parecer, mas não é. Um estudo científico recente conclui que os adoçantes artificiais podem levar ao aumento de peso e até ao aumento da glicemia no sangue, causando obesidade e diabetes tipo II. O problema está no facto de o adoçante alterar a forma como o corpo destrói a glucose. O estudo analisou o impacto do alimento no organismo de pessoas que não estão habituadas a tomá-lo.

     

    2. Quanto mais dura for a margarina mais colesterol tem

    A prestigiada Clínica Mayo, nos Estados Unidos, avisa: quanto mais dura for a margarina, mais gordura trans deverá ter. E com a gordura trans vem o colesterol mau. Isso quer dizer que as margarinas vendidas em blocos, e embrulhadas em papel, deveriam ser evitadas. Prefira sempre as mais macias, que vêm em embalagens. Ou, então, azeite.

     

    3. Os produtos enlatados podem causar infertilidade 

    O problema não está em todas as latas, mas em algumas que contêm um químico chamado bisfenol A, ou BPA. O bisfenol, mesmo ingerido em pequenas quantidades, pode alterar o sistema hormonal e causar infertilidade, diabetes ou cancro da mama. Um estudo do Brest Cancer Fund concluiu que os mais elevados níveis de bisfenol foram encontrados em leite de coco, sopas e vegetais em lata.

    sopa campbells.png 

    4. Cereais para crianças são metade feitos de açúcar 

    São autênticas bombas calóricas. Por exemplo, os cereais Kellog’s Honey Smacks, também vendidos em Portugal, têm cerca de 50% de açúcar. Ou seja, perto de metade do seu peso é açúcar. Segundo a embalagem vendida em Portugal, terão 43,3% de açúcar. Segundo um estudo feito pela Environmental Working Group, em 2014, nos Estados Unidos esse valor será mais alto.

     

    5. Fiambre, salsichas e bacon retiram-lhe anos de vida 

    Um estudo que analisou quase 450 mil pessoas em 10 países europeus chegou a conclusões assustadoras: quem come mais carne processada, como fiambre, salsichas ou bacon, tem mais 44% de hipóteses de morrer prematuramente. E as coisas pioram se comer quantidades elevadas desses alimentos: o risco de morrer com uma doença cardíaca sobe 72% e o risco de morrer com um cancro 11%. 

    Agora, o melhor é ir ali à cozinha comer uns legumes mais saudáveis – isto, se não forem geneticamente modificados, claro.

     

    Uma boa alimentação para si onde quer que esteja,

    Ele

    4 comentários em “os 5 alimentos que ninguém devia comer (nunca!)

    1. Artigos pseudo-científicos já dizem muita barbaridade. Artigos de “grupos de media dedicados exclusivamente ao meio ambiente” ainda dizem mais. Margarina dura? margarina mole? margarina não presta. Ponto. Seja dura ou mole. Correto é consumir verdadeira manteiga (especialmente se for de animal de pasto), azeite, óleo de coco..

      Quanto ao bacon, nunca ouvi coisa mais estúpida. Bacon é bom e recomenda-se.

      https://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/03/gordura-vegetal-versus-gordura-animal.html

    2. Na verdade o link que providencia é apenas “mais um” na miríade de opiniões com base em factos científicos que estão disponíveis para o leitor. O que não quer dizer que se deixe de comer fruta e se passe a comer snacks de bacon exclusivamente. Esse artigo refere-se ao conteúdo gordo do bacon e do abacate. Obviamente “esquece-se” de referenciar os outros 500 componentes que constituem os ditos cujos. Se for analisar o conteúdo vitamínico verá que é bem diferente. Claro que tudo depende das necessidades de dieta para cada pessoa! O segredo, como em tudo, está no equilíbrio!

    3. Desculpe Carla, uma coisa é gostarmos de bacon, outra bem diferente é assumir que é bom. Bom para quê? é uma carne processada como qualquer outra que não acresce nada à nossa saúde…

    4. Exatamente, quanto menos aditivos melhor. Se fosse o presunto, aí sim, se for do bom, é apenas feito com carne e sal. Tal como a manteiga, natas e sal, mais nada. É verdade que devem ser comidos com muita moderação, mas antes isso do que enganar o estomago com aditivos que nem o nosso organismo processa corretamente. Trabalhei numa da fábrica muito conceituada ao nível da charcutaria e garanto que metade dos ingredientes deste tipo de alimentos são pós e aditivos que até fazem dor no nariz só de cheirar….

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *