Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

porque é que a massa cozida assim é mais saudável (e boa para a dieta)

Não é só mais saudável, é também mais light. Aliás, segundo uma nutricionista, citada pela prestigiada revista US News, a massa chega até a ajudá-lo a manter-se magro. Isto, claro, se não a encher de natas e se a cozer da forma correcta.

Mas, antes de falarmos da forma mais saudável e dietética de cozinhar a sua massa, deixe-me só citar um estudo que, com tanta citação, já me sinto o Miguel Sousa Tavares do fogão. Cada italiano consome, em média, mais de 22 kg de massa por ano. Em comparação, cada americano consome pouco mais de 7 kg. Não é preciso dizer que os americanos têm um índice de massa corporal que é, em média, mais de 3 pontos superior ao dos italianos, pois não? 

transferir.jpeg

 

Segundo a nutricionista da US News, o segredo para uma massa dietética tem a ver com o seu ponto de cozedura. Quanto mais cozida ela estiver, mais vai engordar.

Se servir o seu esparguete macio e até ligeiramente empapado, ele terá um índice glicémico elevado. Mas se o cozer al dente, o índice glicémico cai vertiginosamente. Al dente é aquele ponto de cozedura em que a massa está dura mas já se consegue trincar. E esse é o ponto de cozedura dos italianos. 

Por exemplo, no caso do spaghetti, o índice glicémico de 180 gramas cozidos durante 5 minutos é 34. Já a mesma massa cozida durante 16,5 minutos tem um índice glicémico de 65. Exactamente, estou a citar mais um estudo (prometo que é o último) da Universidade de Sydney. Se comparar os 34 do spaghetti al dente com o índice glicémico de umas saudáveis papas de aveia, vai ver que a massa tem quase metade.

A nutricionista explica as vantagens de tudo isto: um índice glicémico tão baixo ajuda a manter os níveis de açúcar estáveis durante várias horas, o que lhe dá uma sensação de saciedade que ajuda a emagrecer.

Só mais um detalhe: a dose ideal de massa a comer numa refeição é mais ou menos do tamanho de uma bola de beisebol. São sensivelmente 60 gramas da massa crua ou 140 gramas da mesma cozida. Por isso, não vale encher o prato com um Kilimanjaro de esparguete e depois queixar-se de ter engordado.

Agora, já sabe: da próxima vez que cozer massa, pare o mais cedo que puder. Quanto mais dura ela ficar, mais light.

 

Uma óptima massa para si onde quer que a dieta esteja,

Ele

 

foto: us news

 

1 comentário

Comentar post