Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casal Mistério

Casal Mistério

santiago hotel cooking and nature, um hotel que também é uma escola de cozinha

20.09.19

Há muitos e muitos anos, era eu uma jovem mãe a debater-me ainda com dramas de piolhos e não com saídas à noite até às tantas da manhã, quando ficámos uma noite no hotel Caminhos de Santiago, em plena cidade histórica de Santiago do Cacém. Na altura nem sonhávamos em ter um blog e lembro-me de que o hotel era simpático mas não deslumbrava, mas (não sei porquê) nunca me esqueci das casas de banho: enormes, todas forradas a mármore branco.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6645.jpg

O hotel

Quando recentemente marcámos um fim de semana no Santiago Hotel Cooking and Nature percebemos que era precisamente o mesmo hotel, só que de cara lavada e com o selo da DHM - Discovery Hotel Management, dona do Praia Verde Boutique Hotel, do Furnas Boutique Hotel, do Azor, do Vila Monte Farm House, entre muitos outros. Aliás, é o primeiro hotel do grupo no Alentejo. Fiquei feliz da vida porque normalmente adoro os hotéis da DHM.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6662.jpg

 

Tal como o nome indicia, a gastronomia e a culinária são as principais atrações deste hotel que fica a 15 minutos de carro das praias desertas da costa alentejana. Mal se entra na receção, os adereços e os elementos decorativos não deixam margem para dúvidas. Utensílios de cozinha decoram as paredes atrás do balcão que alberga a receção e o bar. Há workshops de culinária todos os dias, de manhã e à tarde, com uma duração variável entre 1 e 3 horas.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6140.jpg

Aliás, a receção partilha o espaço do restaurante que, por sua vez, tem a cozinha aberta atrás de um balcão enorme com monitores para se poder acompanhar todos os passos dos chefs e dos cozinheiros durante os workshops de culinária. Aqui respira-se e sente-se a paixão pela cozinha e, neste caso, os ingredientes locais, típicos do Alentejo são os protagonistas.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_7370.jpg

Fizemos o check in e ofereceram-nos um cocktail de boas vindas, mas como tínhamos uma mesa marcada para o jantar e chegámos em cima da hora, guardámos o cocktail para mais tarde. Antes, ainda fomos aos quartos, deixar as malas e fazer o reconhecimento do terreno.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_10152 (1).jpg

Os quartos 

Os quartos são giros, clean, funcionais e contemporâneos. Decorados com tons claros e com vários apontamentos de azul claro, têm uma vista deslumbrante para Santiago. 

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_1078.jpg

Em cada canto, descobrimos uma homenagem ao artesanato local: cestas, aventais, utensílios de cozinha em cortiça que se podem comprar na receção, entre outros detalhes deliciosos. E o mármore alentejano ainda lá está, em todas as casas de banho.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_1012.jpg

Os quartos são arejados e têm máquina de café expresso, uma garrafa de água L'Eau (que é trocada todos os dias), TV LCD, Wi-Fi gratuito, cofre, minibar, chaleira, enfim, tudo a que tem direito. E as casas de banho são ótimas, grandes e brancas, muito brancas, tal como os toalhões que são enormes e igualmente brancos.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_10026.jpg

Também há quartos familiares, se quiser ir com os seus filhos. Nós tivemos de apressar os nossos que já estavam colados aos telemóveis, esparramados em cima da cama, em vez de estarem à porta, em continência, à nossa espera para ir jantar. Onde foi que eu errei, meu Deus?

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_10592.jpg

O jantar

Tal como nos outros hotéis do grupo, o restaurante do Santiago Hotel Cooking and Nature também se chama À Terra e, tal como os seus “irmãos”, privilegia uma cozinha com produtos locais onde o forno a lenha é o grande protagonista.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6183.jpg

Por isso, aqui encontra uma grande cozinha (literalmente) com ingredientes alentejanos mas com um toque de autor. A nossa expetativa era grande mas infelizmente este À Terra não é tão bom como o “irmão mais velho” do Praia Verde Boutique Hotel: a começar no couvert que não tem nada a ver com o requinte e a originalidade do do Algarve, e a acabar no serviço, passando pelos pratos principais, ficámos ligeiramente desiludidos, mas nem tudo correu mal. O couvert tinha pão alentejano, manteiga, dois queijos e uma taça com azeitonas e tremoços.

IMG_20190805_224408.jpg

Como estávamos esfomeados e a nossa Família Mistério é de muito alimento, começámos com uns ovos mexidos com túbaras, pastel de bacalhau e de massa tenra, moelas e um torricado alentejano. O prato era ligeiramente confuso, os ovos estavam bons e cada um dos ingredientes desapareceu em segundos. Seguiram-se uns raviolis de camarão, bisque e espuma da mesma. Eram bons mas não adorei o molho, não porque estava mau, só porque não faz o meu género, mas o meu querido Marido Mistério gostou.

IMG_20190805_224714.jpg

Seguiu-se uma pizza DIY para dividir por todos: os miúdos escolheram os ingredientes. Basicamente acrescentaram cogumelos, fiambre e queijo à clássica Margarita. A pizza era saborosa mas infelizmente a base estava estorricada.

IMG_20190805_230654.jpg

Seguiu-se uma sugestão do dia que se tornou na maior desilusão da noite. O nome prometia: frango trufado (eu devia ter desconfiado quando me sugeriram “frango”, mas a expressão “trufado” ficou a ecoar no meu ouvido, e não resisti a experimentar). Ok. O frango trufado era um frango inteiro, seco e que nem sequer cheirava a trufas. Uma tristeza. O nosso mini misterioso com vocação para chef – e que adora trufas – era a cara da desilusão. O pior é que obriguei os nossos filhos a comerem o frango todo.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_7004.jpg

Já estávamos a abarrotar quando chegou o costeletão black Angus maturado, que salvou o jantar. Era ótimo, bem temperado, feito no ponto com uma apresentação original. Não sobrou uma fatia de gordura para contar a história.

IMG_20190805_230957 (1).jpg

E acredita que ainda tivemos espaço para a sobremesa? Eu juro que não queria, mas o meu querido Marido Mistério tanto insistiu que lá dividimos uma divinal sericaia com ameixas de Elvas, um gelado de mel e azeite. Estava mesmo incrível e até os miúdos, que torceram o nariz ao lerem a descrição do prato, se renderam a esta espetacular homenagem aos sabores do Alentejo.

IMG_20190805_235208.jpg

Claro que depois desta loucura calórica, éramos os últimos clientes do restaurante, e quando nos virámos para pedir a conta, por volta da meia-noite, começámos a ouvir uma animada banda sonora a vir da cozinha: a famosa música do Rei Leão Hakuna Matata entoada pelos funcionários despertou de imediato todos os sentidos dos nossos filhos adormecidos. Adorei: é a alegria no trabalho em todo o seu esplendor.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6247.jpg

Mas a nossa alegria acabou depressa, sobretudo para o meu querido Marido Mistério quando se apercebeu que o bar, junto à receção, à meia-noite e meia, já estava fechado. Vi uma uma pequena lágrima teimosa a querer sair do olho do meu estimado Marido Mistério. Ele que adora beber o seu digestivo depois de comer como o Pumba! Paciência: Hakuna Matata.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6097.jpg

Perguntei ao funcionário da receção a que horas é que fecha o bar e o rececionista esclareceu-me: "à mesma hora que fecha o restaurante". OK, ficámos esclarecidos. O meu querido Marido Mistério limpou a lágrima e lá fomos para o quarto com o voucher do nosso cocktail de boas vindas no bolso.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6731.jpg

O pequeno-almoço

É servido até às 11h00 e fizemos um esforço sobre humano para conseguirmos estar todos no restaurante às 10h30. Prova superada, exceto para a nossa filha mais velha que foi a última a chegar, como sempre. O buffet é ótimo e variado com diversos pães, croissants, bolos, iogurtes, cereais, frutos secos, queijos, fiambre, doces, nutella, manteiga de amendoim, panquecas e ovos feitos no momento,vários tipos de leites, café e chás. Nada a apontar, todos os ingredientes eram bons e o buffet era muitíssimo bem servido, já o serviço propriamente dito era…sui generis, vá.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6934.jpg

Às 10h40, já havia algumas travessas vazias. Olhei, por exemplo, para uma tacinha despojada de nozes e perguntei a uma empregada se tinha mais nozes. Respondeu-me prontamente com um sorriso:

- Não. Ainda não chegaram mais, estamos à espera.

- Para hoje?

- Isso eu não sei.

E afastou-se, mantendo sempre o sorriso. OK, as coisas acabam, mas escusavam de deixar a taça vazia só para nos dizer: chegasses mais cedo!

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6293.jpg

Já o meu querido Marido Mistério teve um diálogo com uma solícita e poliglota empregada que protagonizou o momento mais esquizofrénico do nosso pequeno-almoço.

- Tem leite sem lactose?

- Não tenho a certeza mas vou já confirmar.

Foi à cozinha e, um minuto depois, voltou:

- Temos sim.

- Então não se importa de me fazer um café com leite sem lactose?

- Com certeza.

Lá foi, super eficiente, fazer o latte. Voltou dois minutos depois com o latte mas com outra personalidade, saída diretamente de um filme de Almodovar:

- Aqui está el café con leche. Disfrute – num fluentíssimo espanhol.

E desapareceu novamente, perante o nosso olhar incrédulo.

Dez minutos depois, a mesma empregada passa por nós outra vez, encarnando uma nova personagem, desta feita de terras de sua Majestade:

- May I take your plates, please?

Ainda olhámos em volta, à procura de câmaras para os Apanhados, mas os nossos receios não se confirmaram. O que é facto é que esta senhora conseguiu a proeza de, no espaço de 10 minutos, se dirigir a nós em 3 línguas diferentes. Se isto não é eficiência a mais, não sei o que é.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_6167.jpg

Enquanto isso, uma outra empregada começou a percorrer todas as mesas a perguntar aos hóspedes se queriam mais alguma coisa do buffet. Nada de estranho se não faltassem 15 minutos para a hora marcada para o fim do pequeno-almoço. Os hóspedes olhavam incrédulos para a rapariga e alguns ainda se atreveram a lembrá-la de que o pequeno-almoço terminava às 11h00 e não às 10h45.

santiago-hotel-cooking-amp-nature-galleryms_7095.jpg

Eu entrei em pânico porque a nossa filha adolescente ainda estava a arrastar-se pelo corredor a chegar à nossa mesa. Nem a deixei pousar o telemóvel em cima da mesa e lá foi ela a correr direta ao buffet, mas acabou por se safar muito melhor do que nós porque pediu à cozinheira uns ovos mexidos feitos no momento, a que ela acedeu prontamente, e de sorriso na cara.

 

O bom – os quartos

O ótimo – o costeletão e a sericaia

O mau – o bar fechado à noite

 

Um ótimo fim de semana,

Ela


fotos: d.r. e casal mistério