Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

rolo recheado com mousse de ricotta e atum, a nova receita preferida dos nossos filhos

1.jpg

É imbatível. E saudável ainda por cima. Os nossos filhos estão completamente viciados nesta maravilha. Primeiro porque adoram o rolo propriamente dito, depois porque tem este divinal recheio que é uma mistura do atum com queijo ricotta. Experimente fazer em casa, quando os seus filhos convidarem os amigos, ou sirva aos seus convidados. Vai ver que vão todos querer saber a receita. E sabe o que é que vai responder, não sabe? Mistério. Pois, claro. Receita nossa, já se sabe. É mistério. Digo nossa, porque Ele cozinha, mas eu palpito e muito! E lavo a louça toda no fim.

 

 

o atum mais caro de sempre acabou de ser vendido por 2,7 milhões (veja a melhor maneira de o cozinhar)

"O atum parece fresco e saboroso, mas acho que paguei um bocadinho demais por ele". Um "bocadinho demais" foram, mais precisamente, 2,7 milhões de euros por um peixe com 278 quilos, o que dá qualquer coisa como 10 mil euros por quilo.

A loucura foi cometida, no passado sábado, dia 5 de Janeiro, em Tóquio, pelo japonês Kiyoshi Kimura, o dono da cadeia de restaurantes Sushi Zanmai, e coloca este como o atum mais caro de sempre, tendo custado mais do dobro do anterior vencedor do recorde.

No total, o peixe com quase 300 quilos deverá render à cadeia de restaurantes cerca de 12 mil peças de sushi, o que significa que cada uma dessas peças terá custado, pelo menos, 225 euros em peixe.

tuna_steak_t658.jpg

A culpa é do atum Bluefin do Pacífico, uma das espécies de atum mais procuradas e valiosas do mundo. O Bluefin do Pacífico é considerada uma espécie vulnerável, o que significa que tem de ser preservada para não entrar em extinção. É por isso que os preços atingem estes níveis loucos. Por isso e pelo facto de ser o tipo de atum com mais gordura, o que o torna também mais saboroso.

Se um pedacinho deste maravilhoso atum tivesse chegado à porta da Mansão Mistério, eu tê-lo-ia preparado de uma de duas maneiras: ou cortado em suculentas e inacreditáveis fatias de sashimi (a melhor maneira de aproveitar todo o sabor desta delícia), ou seguindo esta deliciosa receita da Martha Stewart.

 

noodles de pepino com molho de abacate e sashimi de atum, um jantar fácil com apenas 187 calorias

É um jantar do outro mundo. Delicioso, híper saudável e viciante. E não engorda nada. Juro que não! Esta receita do blog Inspiralized que tem dezenas de dicas para usar o espiralizador (aquele utensílio mágico da cozinha que transforma legumes e frutas em deliciosos noodles) é ótima para a minha dieta. Só tem 187 calorias, não é genial? Espere. As boas notícias ainda não acabaram: demora 20 minutos a fazer.

O meu querido Marido Mistério já se convenceu a fazer esta maravilha para o nosso jantar. Ele só vai precisar de lombos de atum para sashimi cortados em pequenos cubos, um abacate bem maduro descascado e cortado também em cubos, um pimento jalapeño pequeno picado (sem sementes), coentros picados, sumo de lima, sal, pimenta e pepinos descascados sem sementes. Para o molho poke, vai precisar de sementes de sésamo tostadas, óleo de sésamo, molho de soja, vinagre de arroz e cebolinho picado.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente espreite aqui a receita original.

IMG_2793-copy.jpg

 

 

abacates recheados com salada de atum e grão, o almoço mais saudável de sempre

É fresca, surpreendente e saudável. Esta receita, do blog The Modern Proper, é ideal para aqueles dias em que acorda tarde e lhe apetece um brunch, só que, tal como eu, não pode perder-se com panquecas e outras tentações típicas de um brunch convencional.

No fundo, estamos a falar de uma salada dentro de um abacate. Só que não é uma salada qualquer, não senhor! Tem atum fresco, iogurte grego, queijo feta e outras delícias saudáveis. É um excelente almoço de domingo.

Só precisa de abacates, atum fresco de boa qualidade, iogurte grego natural, azeite, sumo de limão, coentros, grão, sal, pimenta, alho em pó, paprika, cebola picada, rabanetes, queijo feta e molho picante.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 4 pessoas, espreite aqui a receita original.

IMG_3862.jpg

 

 

vamos a la playa, oh oh oh, com esta deliciosa salada de sashimi de atum com abacate e manga

Faz-se em 15 minutos e devora-se em 1, tal é a maravilha desta receita. Saudável, original e prática, esta salada é ótima para a minha dieta e é um fantástico almoço de verão. A receita é do blog Foodie Crush e já estou viciada. Que bom que é estar viciada num prato que não engorda! Até parece mentira! Pode fazer em casa, levar para a praia ou para o trabalho. É deliciosa em qualquer ocasião.

Só precisa de azeite, molho ponzu, wasabi, atum fresco próprio para sashimi cortado em cubos, uma manga também cortada em cubos, salada de algas wakame, sementes de sésamo pretas, uma mistura da alfaces, um abacate cortado às fatias e uma pitada de sal cor de rosa dos Himalaias.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente espreite aqui a receita original.

Poke-Tuna-and-Mango-Salad-foodiecrush.com-007.jpg

 

 

salada de atum, couve, ovo cozido e aipo: como fazer um almoço para a praia que enche mas não engorda

Se gosta de saladas um bocadinho mais consistentes, não tem de juntar sempre massa, arroz e outros alimentos que têm mais calorias do que alguma vez vai conseguir queimar num dia de praia a olhar para o sol. Há outras soluções muito menos calóricas. Esta receita do Joy The Baker, um dos meus blogs preferidos de comida, é só uma delas. Leva atum, ovo cozido e depois couve para ajudar a encher.

 

spaghetti de atum com tomate cherry: o jantar ideal para uma casa cheia de crianças

Miúdos de férias é sinónimo de casa cheia. Começa por dormir uma amiga de uma, depois o amigo do outro, e quando damos por nós a nossa Mansão Mistério está transformada numa colónia de férias. E sobra para quem? Sobra para quem? Para a desgraçada da mãe, pois claro. Já me doem as cruzes de tanto arrumar e gritar. Hoje tenho outra vez um batalhão de bocas famintas para alimentar… e decidi facilitar. Vou pedir ao meu querido Marido Mistério para fazer esta massa deliciosa do maravilhoso e imprescindível blog da Donna Hay: massa + atum = crianças felizes.

Ele só precisa de esparguete, azeite extra virgem, dentes de alho cortados fininhos, alcaparras, tomates cherry, vinagre de vinho tinto, 2 ou 3 latas de atum, salsa picada, raspas de limão, sal e pimenta preta moída e sumo de limão. Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 4 pessoas, espreite aqui a receita original.

chilli_tuna_capers_tomato_pasta.jpg

 

 

 

sugestão light para o almoço depois das emoções do jogo de ontem: salada de atum braseado com sementes de sésamo

Depois da festa de ontem, voltei à minha dieta. Pelo menos até domingo, quando for a final. Aí vou ter de fazer mais um interregno "forçado". Não vale a pena. Não consigo resistir: só aguento a emoção dos jogos da seleção a... comer. Por isso, vou fechar a boca até à final, e começo já hoje com esta saudável receita ao almoço. 

Antigamente ouvia as pessoas pedir num restaurante bife de atum e confesso que ficava ligeiramente enjoada. Ou se pede um bife ou se pede atum, agora bife de atum deve ser um horror. E nunca experimentei tal coisa até ao dia em que o meu querido Marido Mistério me mostrou que um bom bife de atum não é mais do que um bom atum braseado. E todo um mundo novo se abriu para mim!

Eu já adorava sashimi de salmão e de atum. Depois comecei a adorar atum braseado e isso, garante-me Ele, é a versão em bom de um bife de atum. Sim, porque continuo incapaz de comer aqueles bifes de atum secos, cor-de-rosa, passados demais. Agora atum braseado é outra conversa. Por isso, esta salada de atum braseado da fantástica Heather Christo é música para os meus ouvidos.

 

3 receitas práticas e light para fazer com atum em lata (abaixo das 330 calorias)

Toda a gente tem em casa, na despensa, uma ou duas latas de atum para uma emergência. Além de ser muitíssimo prático, é saudável porque é rico em proteínas e Ómega 3.

Mas não se preocupe, não vou falar da típica sanduíche de atum com maionese. Estas receitas, do imprescindível site Food Network, são saudáveis e podem ser incluídas na minha dieta porque, em vez da calórica maionese, incluem molho tahini com alho, abacate ou vinagrete de Dijon – e elevam o atum em lata a todo um outro nível. Eu vou usar atum conservado em água, mas também pode optar por atum em azeite.

HE_Nardone-Zucchini-Noodles-Tuna-Nicoise_s4x3.jpg.

 

a nova zona de restauração do cascaishopping é um dos espaços mais originais para almoçar (até tem carrinhas de street food nos corredores)

Cascais-Kitchen-2.jpg

Foi um autêntico tsunami aquilo que passou pela zona de restauração do CascaiShopping. No lugar de sítios como o antigo Mesón Andaluz nasceram roulottes de street food, bicicletas penduradas no tecto, caixotes de fruta empilhados no chão, balcões cheios de presuntos, plantas a saírem de todo o lado...  Aqui parece que está num mercado de rua, numa feira ou num espaço de tapas... o que quiser... mas nunca na zona de restauração de um centro comercial.

O novo espaço do CascaiShopping chama-se Cascais Kitchen e é provavelmente o espaço mais criativo e agradável que já vi por cá. Abriu na semana passada e eu não consegui esperar muito até me meter no carro e ir até Cascais para almoçar. Infelizmente, a minha querida e prezada Mulher Mistério estava atolada com a sua agenda de compromissos inadiáveis e preferiu ir comprar o 11.º biquíni deste Verão em vez de acompanhar o seu dilecto marido – por isso, levei a minha Mãe Mistério nesta viagem de reconhecimento.

 

 

barcos de abacate com tártaro de atum: afinal é tão bom estar de dieta!

Esta é daquelas receitas que me enche de felicidade, porque posso comer e repetir e voltar a comer e a repetir sem culpa nem remorsos. E é simplesmente deliciosa. Ideal para o verão, é uma entrada fantástica ou um ótimo prato principal, depende da sua fome ou do número de abacates que tiver em casa! E esta maravilha, do blog The Movement Menu, demora apenas 10 minutos a fazer. Dá para acreditar?

Só precisa de umas boas postas de atum para sashimi, cebolinho picado, uma chalota picada, molho de soja, vinagre de arroz, massa de pimentão com alho, sementes de sésamo e, claro, abacates cortados ao meio sem caroço. Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 6 pessoas, espreite aqui a receita original.

DSC_0070.jpg

 

é restaurante, é bar e é absolutamente original: cada prato é inspirado nas 'viagens na minha terra', de almeida garrett

11951875_1651275631815665_8623076765104046320_n.jp

Pronto: aconteceu aquilo que mais temia, o Casal Mistério saltou para o lado de lá da ténue linha que separa a boa disposição da loucura. E vai escrever sobre literatura (rima e é verdade). Mais grave ainda: vai escrever sobre Almeida Garrett. Vamos fazer um passeio sobre uma das obras mais famosas do escritor: Viagens na Minha Terra.

Calma... não mude já para o blog da Lídia Jorge. O melhor é explicarmos esta loucura passageira. A culpa é do fantástico gastropub Casa Garrett, no Porto. Aberto há pouco mais de um ano, o restaurante tem um dos conceitos mais originais que já encontrámos: a ementa foi toda inspirada no livro do romancista do século XIX. Cada prato é de uma região diferente do país e as sugestões percorrem grande parte das Viagens na Minha Terra. Há, por exemplo, os chips de batata doce do Algarve, o paté de tremoço de Lisboa, as azeitonas com alho e poejo do Alentejo, o lombo de atum braseado dos Açores ou a tigelada de alheira de Trás-os-Montes. 

Mas antes de começar a aguar com a comida, vale a pena conhecer o espaço.

 

 

a melhor sugestão para jantar este fim-de-semana: os divinais e saudáveis petiscos da nova peixaria da esquina, mas... (tem de haver sempre um mas...)

Peixaria da Esquina - vários pratos.jpg

Uma hora e cinco minutos é o tempo que o Carlos Lopes demorou a correr 21 km na maratona, é o tempo que o Manoel de Oliveira demorou a contar um terço da história de Vale Abraão e é o tempo que eu demorei a conseguir sentar-me numa mesa reservada na nova Peixaria da Esquina. Confesso que, perante a catástrofe horária, ainda ponderei refastelar-me numa sala de cinema a ver Non, ou a Vã Glória de Mandar enquanto esperava mas, apesar de tudo, preferi encostar-me a uma das mesas altas que o restaurante tem na rua enquanto saboreava pacientemente um espumante oferecido pelos empregados para compensar o desastre.

O problema estava num casal que tinha ido jantar no primeiro turno do restaurante e teimava em manter-se sentado a passar o tempo. O que vale é que nós telefonámos antes e, ao percebermos que a mesa estava atrasada, resolvemos passar primeiro pelo Gin Corner, no Mercado de Campo de Ourique, ali ao lado, onde bebemos um magnífico London Nº 3 com casca de laranja, canela e tónica Fever Tree Indian (€11). E, com isso, a espera de uma hora e cinco minutos até pareceu passar mais depressa.

 

novidade! novidade! abriu em cascais um dos meus restaurantes de fast food preferidos

10847866_1409733652651524_3256115760080202079_n.jp

Entrar num centro comercial, ir a um restaurante de fast food e poder comer um saudável tártaro de salmão é qualquer coisa como ver um deputado do PAN sentado na Assembleia da República. Não estava à espera, pois não? Então, se esse tártaro levar ainda cebola roxa, manga, molho de soja, sumo de limão, wasabi e cebolinho e for uma verdadeira delícia, a fasquia sobe em flecha. 

 

o restaurante mais escondido do algarve (e onde come o melhor tártaro de atum com gelado de wasabi e muito mais!)

03Vistas.jpg

O primeiro prato que lhe servem no restaurante Vistas, no Algarve, é intragável. Mesmo. Literalmente. Ao ponto de não se conseguir tragar de maneira nenhuma.

Na verdade, nem é suposto. Quando se senta à mesa daquele que é um dos melhores e mais discretos restaurantes do Algarve, no Monte Rei Golf & Country Club, na Serra do Caldeirão, ao pé de Tavira, a primeira coisa que lhe colocam na mesa é um prato com uma pequena moeda branca no meio. Depois, antes que pegue no garfo e na faca, o empregado despeja por cima um pouco de água e a moeda cresce até se transformar, como que por magia, num guardanapo enrolado.

Esta não é apenas uma graça de início de refeição. É o melhor retrato do restaurante: um espaço clássico, com uma decoração tradicional, mas onde toda a gente o procura surpreender em cada detalhe. E as maiores surpresas vêm da cozinha.

Restaurante-Vistas-Salada-de-Esferificacao-de-Moza