Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

já experimentou beber o seu café com uma pitada de sal em vez de açúcar? olhe que devia...

Não comece já a torcer esse nariz protuberante como se fosse a Assunção Cristas a olhar para a cataplana do António Costa. Quem defende essa verdadeira revolução que é um cafezinho com uma pitada de sal não sou eu, mas a ciência. Essa mesmo que descobriu a penicilina e a insulina.

Um estudo científico, publicado em 2017, na Nature, comprovou que o sódio reduz a amargura do café sem alterar o seu sabor original. Ou seja, enquanto o açúcar e o adoçante tornam o café quase num rebuçado, o sal vai retirar-lhe o toque amargo sem o tornar mais doce. Ou seja, limita-se a realçar o sabor original do café sem aquela sensação amarga.

caffeine-1866758_960_720.jpg

 

 

o estudo científico de que precisava: os casais que bebem juntos ficam juntos mais tempo

Minha querida e prezada Mulher Mistério (aka Mulher em Dieta),

Eu sei que é este ano que vais chegar ao Verão com um corpinho de Sara Sampaio. Eu sei que estás empenhada nessa batalha, eu sei que a tua dieta impede o copito de vinho ao jantar, mas há coisas mais importantes do que um dia seres convidada para desfilares pela Victoria's Secret.

Serve esta pequena introdução para te relembrar de um relevante estudo, publicado em 2016 nos prestigiadíssimos Journals of Gerontology Series B: Psychological Series (sim, confesso, estou desesperado e, por isso, ando pelos confins da Internet à procura de argumentos em minha defesa), que concluiu, de forma clara e inequívoca, que "os casais que bebem juntos revelaram um decréscimo da qualidade marital negativa ao longo do tempo". 

thanksgiving-2911499_1280.jpg

 

cientistas dizem que comer chocolate todos os dias é bom para o cérebro

Minha querida e estimada Mulher Mistério,

Meu prezado Einstein da Dieta,

Minha alucinada cientista da balança,

Acabou a perseguição ao chocolate nesta casa! Acabou o boicote ao cacau! A partir de agora, o lema é "Um quadradinho por dia não sabe o bem que lhe fazia".

Descobri o argumento que vai liquidar essa tua tirana mania de me proibir de fazer bolos de chocolate. Um grupo de investigadores de uma universidade italiana esteve a analisar todos os estudos científicos publicados sobre os efeitos do chocolate na saúde. E concluiu que...

...Rufem os tambores...

301866845979684.jpg

 

 

é a mais importante descoberta científica da década: afinal, a cerveja ajuda a emagrecer

Temos de concordar numa coisa: existe uma obsessiva perseguição contra a cerveja entre os defensores da dieta. Senão explique-me lá uma coisa: por que é que a cerveja há-de ser o único alimento associado à engorda numa parte específica do corpo? Por que raio é que ninguém diz "Estás com barriga de batatas fritas" e há-de dizer "Ai, essa barriguinha de cerveja!"? Por que motivo absurdo não existem as "ancas de pizza", as "coxas de cachorro quente" ou o "rabo de hambúrguer do McDonald's" e, desde que nascemos, somos massacrados com a maldita "barriga de cerveja"?

Pois bem, agora essa perseguição acabou! A minha querida Mulher Mistério jamais voltará a olhar-me de sobrolho franzido cada vez que eu abrir a terceira mini antes do jantar. E porquê? Pimeiro porque uma cervejinha gelada é das melhores coisas da vida, depois porque um grupo de cientistas da Universidade do Oregon, nos Estados Unidos, concluiu que o xanthohumol, um flavonóide presente no lúpulo e na cerveja, pode ajudar a perder peso.

alcohol-3783314_960_720.jpg

 

é o estudo científico por que todos esperávamos: lavar a loiça ajuda a aliviar o stress

À atenção da minha querida e prendada Mulher Mistério,

Não sou eu que o digo – são os cientistas da Universidade da Florida, nos Estados Unidos. E contra factos científicos não há argumentos: tens andado muito tensa, com toda esta agitação do Natal, por isso o melhor é lavares a loiça cá em casa, pelo menos, até ao fim do ano. Tu bem sabes que eu me preocupo bastante com a tua saúde, por isso sou perfeitamente capaz de abdicar desse enorme prazer que é lavar a loiça só para tu poderes relaxar.

plate-1767422_960_720.jpg

 

 

porque é que nunca, jamais, em tempo algum deve comer a parte boa de um pão com bolor

Já estou a sentir esses dentes cerrados daquela expressão típica de:

– Ups, acho que já fiz asneira! 😬

É verdade, até eu, um cuidadoso e diagnosticado hipocondríaco, não resisto a deitar fora apenas o pedaço de pão onde está o bolor e a comer, como se nada fosse, tudo o resto que esteja branquinho. E faço (ou fazia...) isso por dois motivos bem evidentes na minha cabeça:

  1. Porque deito fora a parte que tem bolor, por isso o resto do pão está óptimo.
  2. Porque o bolor nunca fez mal a ninguém: o delicioso queijo Roquefort não está carregado de bolor?!

Pois bem, meu caro Watson Mistério, lamento desiludi-lo mas ambas estas tão evidentes constatações estão profundamente erradas. E tudo porque o canal de ciência da revista Business Insider publicou, na semana passada, um vídeo onde explica detalhadamente todos os motivos científicos que levam o pão que tem uma ponta de bolor – por mais pequenina que seja – a ser um perigo real para a sua saúde (neste caso, para a sua e para a minha...).

como-evitar-el-moho-axion.jpg

 

como cozer o arroz reduzindo as calorias para metade

Dietistas deste mundo, uni-vos! Tenho uma notícia que vai alegrar todas essas barrigas ocas que andam por aí aos caídos desde o dia 1 de Janeiro. A ciência descobriu a fórmula que vai revolucionar o mundo das dietas: como comer arroz sem engordar. Ok, se calhar é exagero: como comer arroz engordando pouco. Ou talvez, em bom rigor, como comer arroz engordando menos.

stone-pot-1402065_960_720.jpg

 

a maneira mais justa de dividir uma pizza, segundo os cientistas

vegetables-italian-pizza-restaurant-large.jpg

Há que reconhecer isto com alguma frontalidade: não estamos a atravessar uma fase fácil para a Humanidade. Parece que o Homo Sapiens acabou de entrar na Idade do Armário – e tudo o que sai daquela cabeça é altamente dispensável. A última grande descoberta vem de dois matemáticos da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, que consideraram que a melhor maneira de ocupar o seu tempo era a descobrir a técnica ideal para dividir uma pizza.

Sim, são sete páginas de uma profundíssima investigação científica publicadas na biblioteca da Universidade de Cornell e na New Scientist. São muitas horas de reflexão, são profundíssimas discussões, são variadíssimos gráficos e diagramas. E para quê? Para encontrar a melhor forma de dividir uma pizza – e acabar com as discussões dos seus filhos em casa.

Primeira conclusão: cortar a pizza em triângulos funciona se quiser quatro fatias iguais. Se pretender, por exemplo, seis fatias iguais, a técnica do triângulo já não resulta.

 

 

o segredo para conservar os morangos no frigorífico sem os deixar apodrecer

O post que se segue pode conter linguagem ou informações susceptíveis de ferir a sensibilidade dos leitores. Não pelo mesmo motivo que levou a Assunção Cristas a mudar de canal ao primeiro segundo do Império dos Sentidos, mas porque aquilo que me preparo para dizer pode chocar qualquer pessoa que goste de fruta.

Sabe qual é a melhor forma de guardar os morangos no frigorífico sem os deixar apodrecer de bolor ao fim de 48 horas? Não sabe? Calculei... A fórmula milagrosa e chocante consiste em mergulhar a fruta em água quente durante pouco tempo. Na verdade não é água quente, é água a 52º C. E na verdade também não é durante pouco tempo, é durante uns rigorosíssimos 30 segundos.

Agora que já passou por essa sensações de choque que é ver os frutos vermelhos a cozer em água quente, o melhor é dar algumas explicações. A técnica foi inventada por Harold McGee, um cientista alimentar que testou várias temperaturas e vários períodos de tempo antes de chegar à fórmula da felicidade da frutaria. As conclusões foram reveladas ao mundo num artigo publicado por McGee no jornal americano The New York Times. E foram testadas por vários blogs e sites de notícias, como o respeitadíssimo The Kitchn. O resultado foi sempre o mesmo: a técnica da água quente conserva os frutos vermelhos durante mais tempo.

shutterstock_129155660.jpg

 

 

os 5 alimentos que ninguém devia comer (nunca!)

Não basta estar de dieta, como a minha querida Mulher Mistério. É preciso estar atento a cada migalha que coloca na boca. Eu sei que este título pode ser um bocadinho definitivo demais, mas quando temos um artigo da Mother Nature Network a garantir isso, então é capaz de ser melhor pensar duas vezes. E é nesta fase que V. Exa. pergunta: o que raio é que é a Mother Nature Network? Mais conhecida por MNN, é um grupo de media dedicado exclusivamente ao meio ambiente. Fundado pelo teclista dos Rolling Stones, Chuck Leavell, tem como sócios a CNN e o Discovery. E, neste texto, selecciona os alimentos que deviam ser banidos das nossas cozinhas.

cereal-avoid_0.jpg

1. O adoçante engorda 

Parece gralha, não é? Pode parecer, mas não é. Um estudo científico recente conclui que os adoçantes artificiais podem levar ao aumento de peso e até ao aumento da glicemia no sangue, causando obesidade e diabetes tipo II. O problema está no facto de o adoçante alterar a forma como o corpo destrói a glucose. O estudo analisou o impacto do alimento no organismo de pessoas que não estão habituadas a tomá-lo.

 

os cinco alimentos mais viciantes e os cinco menos viciantes (segundo o último estudo científico)

n-SUGAR-FOOD-large570.jpg

É oficial: a Família Mistério foi mobilizada pela "Generala" cá de casa para trabalhos forçados em prol da sua dieta. Agora é preciso descobrir deliciosas receitas light e todas as dicas úteis para a minha Querida Ela voltar a sentir-se uma verdadeira Dakota Johnson dentro de um vestidinho Saint Laurent encarnado (já agora, o que é que aconteceu ao Yves? Foi banido da marca?).

Como qualquer fiel seguidor, cumpri a minha missão com louvor e descobri aqui os cinco alimentos mais viciantes, aqueles de que Ela tem de fugir com a mesma velocidade com que o Forrest Gump corria pelo campo. As conclusões são de um estudo científico divulgado na semana passada e que, segundo a sua autora em declarações ao Huffington Post, analisou pela primeira vez a relação entre a forma como as pessoas consomem certos alimentos e as propriedades que estes têm. Mas, antes de transformar este blog no American Journal of Science, é melhor passar ao que interessa. E o que interessa é saber quais são os cinco alimentos mais viciantes da prateleira do supermercado e os cinco menos viciantes.

 

 

como fazer o gin tónico perfeito (segundo os cientistas)

Gin-Mares-research-into-how-to-make-the-perfect-gi

Porque é que os cientistas hão-de estar a estudar a vida em Marte se podem estar a descobrir qual a combinação perfeita para o seu gin tónico? Esta é a pergunta que nos devia apoquentar a todos, civilização moderna, num momento crítico para o futuro da humanidade como este. Eu não quero – nem pretendo – mudar o meu círculo eleitoral para Marte nos próximos anos. E, no entanto, quero – e até pretendo – beber um belo de um gin tónico perfeito para me alegrar o fim-de-semana. 

Foi neste comprimento de onda que o cientista escocês Stuart Bale decidiu dedicar-se ao estudo das bebidas e, mais recentemente, à investigação que a ciência reclamava há muito: qual a fórmula perfeita para fazer um gin tónico? Afincadamente, estudou 120 hipotéticas combinações de gins tónicos com botânicos e frutos diferentes. Analisou a quantidade perfeita de gin para a quantidade ideal de água tónica. Testou copos. E mediu pedras de gelo. O resultado foi anunciado em Setembro.

 

 

está de neura? quatro receitas que levantam o astral (segundo a ciência)

Vai trabalhar amanhã enquanto 90% dos seus amigos estão de papo para o ar na praia? Está de férias mas não aguenta mais ter de aturar os sogros que foram consigo? Está numa praia deserta, num tête-à-tête, mas este tempo miserável deu-lhe cabo das férias? Está simplesmente num dia-não em que a última coisa que lhe apetece é ler textos engraçaduchos em blogues de casais misteriosos? 

Leia, leia, que nós estamos aqui para ajudar. O site Huffington Post elegeu as 4 receitas ideais para levantar o humor depois de um dia-não. Não é por serem receitas simplesmente maravilhosas. É porque, além de maravilhosas, são feitas com os alimentos que carregam no botão da boa disposição dentro do seu cérebro. Duvida? Então veja lá.

Salada de quinoa com laranja e pistácio

Primeira evidência científica: os hidratos de carbono fazem o seu cérebro produzir serotonina, o que ajuda a regular as variações de humor. Segunda evidência: alguns hidratos de carbono, como a lasanha, aumentam a boa disposição imediatamente; outros, como a quinoa, demoram mais tempo a digerir e vão interagindo com o seu cérebro durante um período mais longo. Ou seja, a boa disposição pode durar dias. Se, além disso, juntar fruta, os cientistas garantem que se vai sentir mais calmo, mais feliz e mais enérgico. Veja a receita aqui


Hambúrguer de salmão 

Vantagem número um: comer com as mãos transmite-lhe uma sensação de calma e tranquilidade. Vantagem número dois: o salmão contém ómega 3, o que ajuda a melhorar a boa disposição além de ser bom para o cérebro e para o coração. É suficiente? Então o melhor é ver a receita aqui.


Salada de espinafres baby com espargos grelhados e vinagrete de tomate e estragão 

"Ah, e tal, eu estou de dieta, não vou comer hambúrgueres, mesmo que sejam de salmão". Como diria o Bart Simpson, "no problemo". Nós também descobrimos uma salada que lhe tira essa rabujice toda da cabeça. Siga esta receita, mas use os espinafres baby como base: são muito ricos em ácido fólico, uma vitamina B que, segundo os cientistas, ajuda a curar depressões. Os espargos e o tomate também contribuem para a boa disposição.

Mousse de chocolate e abacate 

E para sobremesa, claro está, chocolate, muito chocolate. Alguns estudos científicos explicam porque é que quase toda a gente gosta de chocolate e fica com outra cara quando come uma tablete inteira de seguida: o chocolate provoca no cérebro um efeito semelhante ao da marijuana. Além disso, esta receita tem café e abacate, dois outros maravilhosos alimentos para levantar o moral das tropas. 

Agora sente-se à mesa e vai ver se não se levanta mais animado.

 

Uma boa disposição para si onde quer que ela esteja,

Ele