Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

são lourenço do barrocal, um refúgio de sonho a cinco minutos de monsaraz

Tenho de confessar que o São Lourenço do Barrocal foi daqueles casos de amor à primeira vista. Quando abriu, há três anos, fizemos questão de dar aqui a notícia em primeira mão. Fiquei logo deslumbrada com as fotografias. Tudo é elegante, minimalista e simples. Mas bom. Muito bom. Desde os lençóis de algodão egípcio aos detalhes da decoração. Aqui impera a qualidade e o bom gosto. E a ausência de pretensão, tão rara nos dias que correm.

ESTATE_70G.jpg

Infelizmente só agora conseguimos ir lá passar um fim de semana, incógnitos, como sempre. Confesso que estava com algum receio, porque tinha as expetativas demasiado altas, mas conseguiu não desiludir, antes, pelo contrário, superou as minhas já elevadas expetativas.

hotel_bar.jpg

 

 

as 7 aldeias mais românticas da europa

Toda a gente adora namorar em cidades como Paris, Veneza ou Florença, mas infelizmente hoje em dia estão todas repletas de turistas e de casais apaixonados (ou nem por isso) a tirar selfies por todo o lado. Se está a pensar numa escapadinha romântica diferente, longe das multidões e confusões, perca-se nesta lista de pequenas aldeias onde é impossível não se apaixonar. A lista é da Condé Nast Traveler e inclui uma em Portugal e, curiosamente, não é Sintra.
 
Bled, Eslovénia 

Bled-Slovenia-GettyImages-637515746_high.jpg

 

 

o hotel de charme mais romântico do país é uma aldeia junto a um castelo medieval

Não voltes ao sítio onde foste feliz. Nunca percebi esta máxima. Eu sempre fiz questão de voltar aos sítios onde fui feliz. Sempre que posso. E foi precisamente isso que aconteceu com as Casas do Côro. Já tínhamos passado aqui um fim-de-semana, na altura em que Paulo Romão e a família tinham acabado de abrir este turismo de aldeia. E valeu a pena voltar, por todos os motivos e mais alguns: primeiro porque cresceu (tem mais quartos, suítes, um duplex, um novo restaurante, um deck e um bar junto à piscina, e um spa), depois porque manteve a qualidade e o conforto e finalmente porque é um lugar mágico e muitíssimo romântico. Estivemos a fazer contas e chegámos à conclusão de que fomos lá pela primeira vez quase há 20 anos, porque as Casas do Côro abriram em 2000. Meu Deus, estamos mesmo velhos!

10365526_677152765654263_2490903471966853217_o.jpg

Chegámos ao fim da tarde de uma sexta-feira e fomos recebidos por uma simpática rececionista que estava claramente à nossa espera. As Casas do Côro são basicamente casinhas de aldeia recuperadas junto à muralhas do Castelo de Marialva. Só que, ao contrário do que se possa imaginar, aquelas paredes de pedra escondem interiores de um luxo e de um conforto raros e nunca vistos num turismo de aldeia que à partida costuma ser mais simples.

37568712_1820740794628782_1332585466976796672_o.jp

Ao longo dos anos, o proprietário e a família recuperaram as casas em ruínas à volta do castelo e no meio dos sobreiros. Hoje são 12 casas, além de uma suíte eco sustentável, com cozinha equipada.

976913_526105570758984_1660294174_o.jpg

 

 

este hotel está a oferecer uma noite para ver a aurora boreal

Para mim, é a promoção do ano. Como já poderá ter facilmente percebido, eu sou absolutamente obcecado por esse fenómeno maravilhoso que enche os céus do norte da Europa com cores absolutamente deslumbrantes. E quando encontrei esta fenomenal promoção no site Thrillist fiquei com o queixo do Cavaco Silva cada vez que come uma fatia de bolo-rei.

tl-horizontal_main_2x.jpg

Então é assim: o hotel chama-se – prepare o dicionário – Ittoqqortoormiit Guesthouse e fica perdido nos confins da Gronelândia, Dinamarca, numa pequena aldeia de 450 habitantes onde a aurora boreal se vê com a mesma frequência que uma trotinete descontrolada em Lisboa. Acontece que o site Hoteis.com lançou uma promoção na qual oferece uma noite grátis neste hotel durante o mês de Março. Se fizer a reserva até ao dia 31 de Dezembro e usar o código de desconto "REMOTE", consegue marcar uma noite para o mês de Março em que paga apenas 1% do preço de tabela mais as taxas.

 

 

quinta de são bernardo, um paraíso escondido nas margens do douro

13923831_614031612108487_2697567466493689535_o.jpg

Descobri a Quinta de São Bernardo completamente por acaso. Estava a explorar o Instagram quando vejo uma amiga minha (que não faz a mais pequena ideia que escrevo este blog) a partilhar fotografias deste pequeno paraíso. Não foi difícil descobrir onde era. Disse logo ao meu querido Marido Mistério:

- Prepara a carteira, porque vamos passar o fim-de-semana fora.

Verdade seja dita que, neste campo, Ele é muito obediente. Lá reservámos um quarto duplo, fizemos as malas e partimos novamente rumo ao Douro. Primeira dica: esqueça as coordenadas de GPS e ligue para o hotel quando chegar a Vila Jusã. O GPS vai mandá-lo ribanceira abaixo e não queremos isso. Outra hipótese é perguntar onde fica a estação de comboios de Barqueiros. A Quinta de São Bernardo fica logo a seguir.  

 

roteiro do algarve sem multidões: tavira e cacela, o que fazer, onde dormir e onde comer

Este é daqueles roteiros que já fazemos praticamente de olhos fechados. É a nossa zona preferida do Algarve, onde passamos férias todos os anos. Tem melhor tempo, a água do mar parece uma piscina de água salgada quente e conseguimos encontrar quilómetros de praia deserta até mesmo em agosto. 

E já que íamos a "trabalho" para fazermos no nosso segundo roteiro com a SEAT, fizemos questão de passar um fim-de-semana a dois, sem crianças, agora, fora de época, para explorar as últimas novidades. E qual é a maior atração desta região (além do medronho e da alfarroba que seriam as duas primeiras coisas que viriam à cabeça do meu querido Marido Mistério)? As praias, claro. As opções são várias e todas ótimas.

Ria Formosa.jpg

As Praias

A ilha de Tavira, por exemplo, tem 11 km de comprimento e só quatro praias (o que quer dizer que há muita areia deserta e não concessionada). Em qualquer uma delas pode optar por andar alguns metros para o lado e ter um gigantesco pedaço de areia só para si. O acesso é feito através de barcos que partem de Tavira ou do cais das Quatro Águas. Também pode ir a pé atravessando uma ponte que se situa junto da aldeia de Pedras D’el Rei, onde pode apanhar o mítico comboio até à praia.

Quando sair do comboio vai encontrar mesmo em frente a Praia do Barril, que é concessionada e tem vários apoios de praia com muita gente em agosto. Para a direita, depois de andar bastante a pé, tem a Praia do Homem Nu (não será difícil adivinhar porque é que tem este nome, não é verdade?). É uma praia deserta, selvagem sem qualquer equipamento de apoio, ideal para quem gosta de naturismo. Há ainda a Praia da Ilha de Tavira, mas como tem um parque de campismo mesmo ao lado e vários restaurantes, seria a nossa última escolha no verão. A Praia da Terra Estreita é bem mais tranquila e agradável.

tavira.jpg

 

roteiro de nova iorque: onde dormir, onde comer e o que fazer (parte 2)

Brooklyn-Bridge-Park.jpg

Depois de um dia em que brincámos aos ricos no Upper East Side, Quinta Avenida e Central Park e de outro de turismo puro e duro, em que obviamente optámos pelo metro e pelo uber porque era impossível ter feito tudo num só dia a pé (leia aqui a primeira parte do roteiro), decidimos mostrar às crianças a espetacular diversidade de Nova Iorque. Fomos ver in loco o verdadeiro significado de Melting Pot para eles perceberem porque é que a famosa Big Apple é sobretudo uma cidade do mundo e multicultural.

 

Leia ainda:

 

 

roteiro para 5 dias inesquecíveis em nova iorque

New-York-1.jpg

Sim, cometemos essa loucura e levámos a Família Mistério em peso a Nova Iorque. Escusado será dizer que os nossos filhos adoraram e nós voltámos na bancarrota, mas valeu mesmo a pena. Não há melhor coisa no mundo do que viajar com os miúdos. Eles ainda não perderam aquele olhar de fascínio enquanto observam tudo em redor. E a felicidade cada vez que passávamos por alguma rua que reconheciam das séries que devoram era quase comparável ao sorriso que esboçavam cada vez que parávamos num Starbucks para desfrutarem de meia hora de Wi-Fi.

 

 

malhadinha nova, o destino perfeito para passar uns dias de sonho no alentejo

3 (4).jpg

Confesse lá. Já estava com saudades de uma sugestão de um destino romântico para fugir a dois? A sua querida Ela está aqui para animar o seu Dia dos Namorados. Já escrevi várias vezes que não sou fã de jantar fora nesse dia mas ninguém diz que não a uma escapadinha a dois, não é verdade? A não ser que esteja farta ou farto da sua cara-metade mas, nesse caso, arranje outra, porque a vida é demasiado curta para andar a perder tempo. Depois deste meu pequeno momento de conselheira do coração da revista Maria, falemos do que de facto interessa: a romântica Herdade da Malhadinha Nova, no Baixo Alentejo, perto de Beja.

 

 

a nossa próxima viagem romântica: um cruzeiro de sonho pelos rios da europa

Meu querido Marido Mistério,

O verão está a acabar e, para não deprimir, já estou a planear a nossa próxima viagem. Eu sei que tu nunca queres gastar muito dinheiro, eu é que sou a descontrolada e a gastadora da família, tu és o ponderado, o sensato, enfim, o maçador e o desmancha-prazeres. Uma pessoa tenta sonhar e Ele invariavelmente atira-me com baldes de água fria, os chamados banhos de realidade.

Por tudo isto, procurei uma solução que agrade aos dois: na Europa, o que é simpático porque os voos são mais baratos; e um cruzeiro por destinos românticos e bucólicos porque, com a nossa vida infernal, estamos a precisar de empandeirar os miúdos para irmos namorar.

E foi assim que descobri estes cruzeiros nos rios mais famosos da Europa, como o Danúbio, o Reno, o Sena ou o Ródano.

4426DBD000000578-0-image-a-1_1505125244185.jpg

 

 

as 10 ruas mais bonitas do mundo (e uma delas fica em portugal)

São grandes, pequenas, estreitas, compridas, coloridas, floridas, originais, assustadoras ou surpreendentes. Há de tudo, mas são todas maravilhosas. Vale a pena apanhar um avião só para percorrer cada uma delas. Não se apresse. Pode ir a uma de cada vez. Em São Francisco, por exemplo, há duas ruas incríveis que vale mesmo a pena conhecer. Toda a cidade é incrível, a verdade é essa. A prestigiada revista de arquitetura AD elegeu 14 ruas, eu selecionei 10. Mas há mais, muito mais por esse mundo fora. Só assim de repente, lembro-me de ruas lindas de morrer em Bruges, em Veneza, em Óbidos, em Monsaraz, enfim. Todas têm o seu encanto. Mas estas não pode mesmo perder. Ah, é verdade. Claro que nesta lista há uma rua portuguesa. Consegue adivinhar onde fica? Não vale espreitar. Isso é batota. Não resistiu. Eu sei.

 

Tetsugaku no michi, Quioto, Japão  

Tetsugaku no michi 2.jpeg

São quase 2 quilómetros de uma estrada de pedra com estas maravilhosas cerejeiras a criarem uma espécie de túnel natural. A rua, repleta de lojas, cafés, templos e altares, acompanha um canal e passa pelo famoso templo Ginkaku-ji, eleito pela UNESCO património mundial. A melhor altura para visitar aquele que é conhecido como o “Caminho do Filósofo” (em homenagem a Nishida Kitaro, um dos mais famosos filósofos japoneses, que costumava meditar enquanto percorria esta estrada rumo à Universidade de Quioto) é em abril, quando as cerejeiras estão em flor.

 

 

passámos uma tarde nas novíssimas e tão elogiadas praias fluviais do alqueva e...

…não sei se está preparado para ler este meu relato. Que tarde, minha Nossa Senhora! Quis o destino que fôssemos passar um fim de semana ao Alqueva em julho, poucos dias depois de terem sido inauguradas as praias fluviais de Monsaraz e de Mourão. Como somos fãs da região, aliás já fizemos aqui um roteiro sobre os nossos sítios preferidos no Alqueva, quisemos ir ver in loco as novas cabeças de cartaz do maior lago artificial português, tão elogiadas pelos meios de comunicação social. Ainda por cima estavam cerca de 40º C à sombra, por isso tudo o que nos apetecia era refrescar estes corpinhos atléticos, sobretudo depois de ter visto imagens como estas nas notícias.

1.jpg

 

roteiro em formentera: uma das nossas melhores semanas de férias de sempre

Há séculos que eu sonhava com umas férias em Formentera. Os nervos que me dava ver fotografias como esta…

gecko-beach-hotel-formentera-02

…e esta…

Illetas illetes beachn turquoise Formentera island

…e esta…

ses-illetes-formentera1

…e perguntar porque é que não sou eu que estou ali? Eu mereço. Eu e a minha querida Família Mistério merecemos. Por isso, comprei os voos com muita antecedência e aluguei uma casa com ainda mais antecedência (para não enervar o meu querido Marido Mistério) e tivemos uma das melhores semanas das nossas vidas.

 

paraíso escondido, o turismo rural que ainda queremos descobrir na costa alentejana

19030555_932870886852833_5060625089078796726_n.jpg

O que eu gosto de descobrir hotéis assim: simples, despretensiosos, bem decorados e confortáveis. E melhor ainda: bem localizados! Não vou descansar enquanto não passar aqui uns dias. Não passa deste verão, ou deste outono, ok, não passa deste ano. Situado entre as praias da costa alentejana e a serra de Monchique, este Paraíso Escondido passou rapidamente para o topo da minha wish list. Adoro o conceito e sobretudo a sua história, que nasceu de um sonho de um casal (estas histórias só me inspiram a fazer o mesmo! Quando é que largamos tudo e abrimos o nosso próprio turismo rural, meu querido Marido Mistério?)

19113579_933597726780149_8123934984583003653_n.jpg

 

casa mãe, o novo refúgio cool escondido no algarve

wc.jpg

Definitivamente temos um problema sério com GPS. Como o meu querido Marido Mistério é meio paranóico, desta vez íamos munidos não de um, nem de dois, mas de três GPS: o do carro, o do meu telemóvel e o do dele que, como não podia, deixar de ser, é o que acerta sempre o caminho (obviamente!). É claro que nos levou pelas labirínticas ruas de Lagos, até desenbocarmos numa rua sem saída nas traseiras do hotel, a rua do Caracol.

outside_cabanas_.jpg