Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

santos populares: os 6 melhores arraiais deste ano em lisboa

Durante este mês de junho, Lisboa transforma-se num autêntico arraiódromo. Ao todo, são mais de 50 os arraiais espalhados por toda a cidade, sendo que há zonas como Santos ou Alfama, que nem se percebe onde começa um e acaba outro. É a loucura. E eu adoro, claro. Adoro o cheiro e o sabor das sardinhas, a mostarda a escorrer das bifanas, as imperiais e as sangrias a desaparecerem das mesas a um ritmo avassalador e, sobretudo, as coreografias a encherem as pistas ao ritmo da música pimba. Todos os arraiais têm o seu encanto. Este ano, optámos por selecionar os mais típicos, os mais originais e, claro, os alternativos.

vila berta 2.jpg

 

 

espetadas de mini panquecas com fruta, uma receita que as crianças vão adorar

Estava a pensar fazer esta receita do Buzz Feed para o pequeno-almoço. Mas pensando melhor é um luxo para o pequeno-almoço! É uma ideia ótima para festas de crianças ou para lanches especiais. É facílima de fazer, deliciosa e nem precisa de talheres!

Só precisa de escolher a sua fruta preferida (como bananas, mirtilos e morangos, por exemplo), e depois os ingredientes para as panquecas: farinha, açúcar, fermento, sal, um ovo, leite e manteiga derretida. No final vai ainda precisar de açúcar de confeiteiro e xarope de ácer.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 4 pessoas, espreite aqui a receita original.

Captura de ecrã 2018-01-27, às 18.01.37.png

 

 

consegue descobrir o donald trump entre os pais natais? cinco enigmas para o seu natal

Está rodeado de primos para os quais não tem a menor paciência para aturar? Não sabe que conversa há de fazer com a sua tia surda? Descobrimos no site Voucher Cloud uma adivinha para passar o tempo e que pode transformar-se num excelente desbloqueador de conversa durante o seu Natal.

Teste o seu cérebro e dos seus familiares com este enigma: consegue descobrir o Donald Trump entre os pais natais?

pergunta.png

Se está com dificuldades, não se preocupe, damos-lhe a solução no fim do post.

 

Mas isso, se quiser que toda a gente descubra que é um desistente…

 

Então e esse espírito natalício? Desistir? Entregar os pontos assim?

 

Sem dar luta? Sem esforço? Vamos lá!

 

É mais fácil do que parece. Aquele cabelo brilha a quilómetros de distância.

 

Não desista! Se o Pai Natal fosse um desistente, nós não teríamos presentes.

 

OK. Aqui tem, seu preguiçoso:

 

 

sabia que há 100 anos comia-se torradas com café com leite na noite de são joão?

PRAÇA DA LIBERDADE E AVENIDA DOS ALIADOS - 1960

Não estamos a falar do pequeno-almoço, estamos mesmo a falar da tradição na noite da festa. Segundo o escritor e investigador Hélder Pacheco, citado pela revista Visão, as sardinhas são uma moda recente, importada de Lisboa. Só terão chegado ao Porto na década de 1940, "com a realização da primeira Feira Popular, no Palácio de Cristal”. Antes, havia uma tradição radicalmente diferente na noite de São João: "Na véspera, comiam-se torradas à meia-noite e bebia-se café com leite”. No próprio dia, então, assava-se o anho, num tabuleiro de barro, acompanhado por umas batatinhas.

Mas esta não é a única surpresa da maior festa do Porto.

 

 

o melhor sítio para comprar sardinhas em lisboa

São as marchas populares a sair à rua e eu a entrar em casa. Para mim o Santo António é como o perú de Natal: morre de véspera. Não é que não goste de festa. Mas, se tivemos arraiais durante toda esta semana, porque é que haveríamos de escolher logo o dia com mais gente?

Posto isto, foi preciso encontrar uma solução alternativa para quatro bocas insaciáveis a salivar por sardinhas, saladas de pimentos, churros, farturas e outras comidas suficientemente calóricas para fazer sorrir o Fernando Mendes e o José Carlos Malato à mesma mesa. E a solução foi um arraial caseiro: com churrasco, com sardinhas, com salada, com orégãos, com pimentos, com sangria, com cerejas e com tudo a que temos direito. Hoje vou falar das sardinhas; quando Portugal entrar em campo falamos da sangria, que é um óptimo acompanhamento para o jogo da selecção.

 

os dois melhores arraiais de lisboa

Lisboeta que se preze sai à rua esta semana. Para uma “jola”, uma sardinha, um pão com chouriço, um manjerico, um bailarico, uns empurrões, filas intermináveis e um bom banho de multidão. Desde que se vá embuído do espírito popular e de uma paciência de santo, a diversão é garantida. E quais os arraiais que não vamos perder? Já que não conseguimos ir a todos, há dois obrigatórios: o da Vila Berta e o da Bica.

A Vila Berta, uma histórica vila operária, na Graça, regressou em grande às Festas de Lisboa em 2010, e de ano para ano tem vindo a conquistar fãs. De 9 a 15 de junho, os moradores, amigos e vizinhos decoram o bairro e convidam ao bailarico pela noite dentro, com sardinhas na brasa, bifanas e petiscos, imperiais fresquinhas, rifas, manjericos, luzes, grinaldas, lanternas, canteiros arranjadinhos, bares, mesas e cadeiras, chuva de balões e velas acesas no altar do Santo António. No ano passado, até uma carrinha de gelados Santini (a famosa Vantini) tinha! Este ano, já lá está estacionada! O dia de hoje e o último dia (15 de junho) são dedicados às crianças, com animação e jogos alusivos à quadra, desde o meio-dia até à meia-noite. Além disso, este ano o arraial tem um cariz solidário: leve uma embalagem de arroz ou outro artigo alimentar e deixe no posto de recolha da Junta de Freguesia localizado na entrada do bairro. 

A Bica é o arraial verdadeiramente vertical, no sobe-e-desce do percurso do elevador, entre a tradição bairrista e o ritmo dos bares quase sobre carris que fazem as noites de um dos bairros mais animados da capital. Com o Bairro Alto logo ali, a Bica é um corrupio de sardinhas, febras, baile e a festa que se faz dentro e fora de portas de cada espaço. Vê-se de tudo: atores de novelas da TVI e artistas intelectualóides tentam passar despercebidos no meio dos populares, músicos de jazz deixam-se embalar pelos acordes do bailarico, onde mulher dança com mulher e homem com homem, numa tradição que ultrapassa todas as recentes lutas embandeiradas pelas cores do arco-íris. Há festa durante todo o mês e também aqui é impossível não se deixar contagiar pelo ambiente e pela animação.


Do que é que está à espera? Venha daí, deixe a preguiça em casa e saia à rua. Venha divertir-se a sério. De preferência antes de quinta-feira, que aí é a loucura.

E vivam os Santos Populares, 

Ela