Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

são lourenço do barrocal, um refúgio de sonho a cinco minutos de monsaraz

Tenho de confessar que o São Lourenço do Barrocal foi daqueles casos de amor à primeira vista. Quando abriu, há três anos, fizemos questão de dar aqui a notícia em primeira mão. Fiquei logo deslumbrada com as fotografias. Tudo é elegante, minimalista e simples. Mas bom. Muito bom. Desde os lençóis de algodão egípcio aos detalhes da decoração. Aqui impera a qualidade e o bom gosto. E a ausência de pretensão, tão rara nos dias que correm.

ESTATE_70G.jpg

Infelizmente só agora conseguimos ir lá passar um fim de semana, incógnitos, como sempre. Confesso que estava com algum receio, porque tinha as expetativas demasiado altas, mas conseguiu não desiludir, antes, pelo contrário, superou as minhas já elevadas expetativas.

hotel_bar.jpg

 

 

quinta da comporta, o novo hotel de luxo que abriu com o telhado por acabar e... sem gin tónico

quinta-da-comporta-galleryquintacomporta-m_yllera-

Ponto prévio: a Quinta da Comporta é deslumbrante e vai ser um sucesso. Mas vamos lá esclarecer uma coisa: o conceito de soft opening é uma invenção dos hotéis e dos restaurantes para justificar qualquer falha nos primeiros dias logo após a abertura das suas portas. Até aqui estamos todos de acordo. E é compreensível. Agora pagar 260 euros por uma noite num hotel em que ainda faltava pôr o colmo nos telhados do restaurante e do spa, as almofadas e os colchões nas cadeiras e espreguiçadeiras do exterior e, mais grave do que tudo isto, onde faltavam bebidas espirituosas no bar...

Pior: faltava um bar propriamente dito, porque o restaurante tinha poucos pratos na carta e apenas 3 variedades de vinho e alguns refrigerantes. Bebidas espirituosas, nem vê-las. E a sala de estar tinha as portas trancadas às onze da noite. E nós queríamos tanto jogar gamão na mesa própria para o efeito… Ah, espere! Também não havia peças disponíveis. Ainda estavam embaladas na bancada do bar que ainda não inaugurou.

quinta-da-comporta-galleryquintacomporta-m_yllera-

 

 

as 7 aldeias mais românticas da europa

Toda a gente adora namorar em cidades como Paris, Veneza ou Florença, mas infelizmente hoje em dia estão todas repletas de turistas e de casais apaixonados (ou nem por isso) a tirar selfies por todo o lado. Se está a pensar numa escapadinha romântica diferente, longe das multidões e confusões, perca-se nesta lista de pequenas aldeias onde é impossível não se apaixonar. A lista é da Condé Nast Traveler e inclui uma em Portugal e, curiosamente, não é Sintra.
 
Bled, Eslovénia 

Bled-Slovenia-GettyImages-637515746_high.jpg

 

 

cocorico guesthouse, o novo recanto parisiense perfeito para famílias no centro do porto

4A.jpg

Descobri o Cocorico Guesthouse quando procurava um sítio diferente para irmos com dois dos nossos filhos até ao Porto. Encontrei o site por acaso, adorei o conceito, arrisquei marcar a suíte que tinha uma mezzanine e duas camas de casal e lá rumámos até ao centro histórico da Invicta.

37246790_286075678799015_1726933747594428416_o.jpg

O hotel

Confesso que quando chegámos à porta do hotel, fiquei em pânico. Uma porta escura e discreta sem qualquer aspeto de ser uma entrada de um hotel, numa rua residencial banalíssima perto da Batalha, fez-nos temer o pior. Mas quando tocámos à campainha, o sorriso do simpático rececionista contagiou-nos de imediato. O chão da receção forrado a mosaico hidráulico encaminhou-nos para um pequeno balcão onde fizemos o check in enquanto nos deliciávamos com um sumo de laranja fresquíssimo. Olhei em volta e só me apeteceu gritar “Oh la la”, mas contive-me, porque, pode não parecer, mas sou uma pessoa muito discreta.

37267929_286071128799470_283909888160038912_o.jpg

 

 

o hotel de charme mais romântico do país é uma aldeia junto a um castelo medieval

Não voltes ao sítio onde foste feliz. Nunca percebi esta máxima. Eu sempre fiz questão de voltar aos sítios onde fui feliz. Sempre que posso. E foi precisamente isso que aconteceu com as Casas do Côro. Já tínhamos passado aqui um fim-de-semana, na altura em que Paulo Romão e a família tinham acabado de abrir este turismo de aldeia. E valeu a pena voltar, por todos os motivos e mais alguns: primeiro porque cresceu (tem mais quartos, suítes, um duplex, um novo restaurante, um deck e um bar junto à piscina, e um spa), depois porque manteve a qualidade e o conforto e finalmente porque é um lugar mágico e muitíssimo romântico. Estivemos a fazer contas e chegámos à conclusão de que fomos lá pela primeira vez quase há 20 anos, porque as Casas do Côro abriram em 2000. Meu Deus, estamos mesmo velhos!

10365526_677152765654263_2490903471966853217_o.jpg

Chegámos ao fim da tarde de uma sexta-feira e fomos recebidos por uma simpática rececionista que estava claramente à nossa espera. As Casas do Côro são basicamente casinhas de aldeia recuperadas junto à muralhas do Castelo de Marialva. Só que, ao contrário do que se possa imaginar, aquelas paredes de pedra escondem interiores de um luxo e de um conforto raros e nunca vistos num turismo de aldeia que à partida costuma ser mais simples.

37568712_1820740794628782_1332585466976796672_o.jp

Ao longo dos anos, o proprietário e a família recuperaram as casas em ruínas à volta do castelo e no meio dos sobreiros. Hoje são 12 casas, além de uma suíte eco sustentável, com cozinha equipada.

976913_526105570758984_1660294174_o.jpg

 

 

roteiro de 3 dias pelo porto: as últimas novidades e o que não pode mesmo perder

Quando a SEAT nos desafiou para fazer vários roteiros pelos nossos sítios preferidos em Portugal, houve uma cidade que fizemos logo questão de incluir na lista, apesar de já termos feito dezenas de posts e roteiros sobre ela: estou a falar do Porto, claro.

torel-avantgarde-porto-gallerydsc07062.jpg

Nós adoramos a cidade e estamos sempre à procura de pretextos para ir lá passar um fim-de-semana. Além de ser linda de morrer, estão constantemente a abrir sítios novos e incríveis. Talvez por isso nos consiga sempre surpreender. Foi o caso do último fim-de-semana que passámos por lá: novos hotéis, novos restaurantes, novos bares, novas lojas, enfim, é impossível cansarmo-nos do Porto, porque cada vez que lá estamos é uma experiência completamente diferente.

porto-2048723_960_720.jpg

Partimos de Lisboa ao volante de um SEAT Arona. Fiquei radiante por a SEAT ter escolhido este modelo porque é ótimo para andar na cidade: é pequeno, o que dá muito jeito para estacionar mas, ao mesmo tempo, é espaçoso, ideal para as imensas malas do meu querido Marido Mistério.

seat.jpg

 

roteiro de cascais e sintra: da baía dos pescadores à vila mais romântica do país

barfundo.jpg

E pronto, faltava um roteiro assim. Um roteiro prático, para todas as carteiras, que pode fazer em qualquer dia de fim-de-semana, sobretudo se viver em Lisboa ou nos arredores.

Se viver longe, também pode passar o fim-de-semana inteiro por aqui. Vale mesmo a pena. Não é à toa que Cascais e Sintra são dois dos sítios mais visitados pela avalanche de turistas que tomou conta do nosso país. Mas não se assuste, a nossa ideia não é fazer um roteiro turístico. É mostrar-lhe os melhores sítios para passear, comer ou dormir tanto em Sintra como em Cascais.

blue bar.jpg

Agora mais do que nunca. Depois do incêndio que devastou o Parque Natural da região, esta é a altura certa para visitar a zona ajudando o turismo local.

E como é que nós passeámos por aqui? Pois, claro, ao volante de um SEAT. A seguir a Lisboa, Tavira e Cacela, São Miguel, nos Açores, e Douro, chegou a vez da nossa pequena Cote d'Azur e da vila mais romântica de Portugal.

portugal-2943915_1280.jpg

Só que, desta vez, concretizei um sonho de criança com o incrível SEAT Ateca. Sempre sonhei passear pela rua com os holofotes a meus pés qual diva de cinema de Hollywood. E não é que, quando saí do carro para apreciar condignamente a vista da Baía de Cascais, se acendeu a meus pés um holofote qual estrela de cinema? Escusado será dizer que estive meia hora naquilo. Entrei e saí do carro dez vezes, parecia uma saloia a entrar numas escadas rolantes pela primeira vez. Que maravilha!

20181003_153850.jpg

É claro que podia ter o meu nome, ainda seria mais espetacular, mas isso sou eu que sou megalómana, tinha o logo da SEAT e o modelo do carro que, diga-se, é um dos meus preferidos. Parece um jipe, é espaçoso e o design tem muita pinta. Ainda bem que passeámos por Sintra e Cascais com perucas, chapéus, barba postiça e óculos escuros para não darmos tanto nas vistas.

 

 

 

hotel fazenda nova, uma casa de campo de charme perto de tavira

1074366_479752385450018_1721571528_o.jpg

Se gosta de estar no campo junto à praia, este hotel é a sua cara. Quando entrar pelos portões da Fazenda Nova vai ficar encantado com a pequena horta, as oliveiras e os caminhos de pedra que vão dar à casa principal, impecavelmente restaurada, conjugando um estilo moderno com a arquitetura tradicional portuguesa. Tudo aqui é bom: desde os materiais de construção às peças de design, das camas às almofadas de penas. Todos os detalhes primam pelo bom gosto e pela qualidade.

1073846_480811852010738_715339411_o.jpg

 

 

7 incríveis cidades europeias com canais (que não são veneza nem amesterdão)

Há lá coisa mais romântica do que cidades com canais para passear? Em vez de andar a pé de mão dada, está encostado à sua cara-metade, sentadinho num barco ou numa gôndola. É tão bom! E, claro, quando pensamos em canais, a primeira cidade que nos vem à cabeça é Veneza, em segundo lugar associo logo Amesterdão, mas tanto uma como a outra têm sofrido um enorme flagelo: as suas ruas, restaurantes, hotéis e canais estão apinhados de turistas. Há filas para tudo, excursões para todo o lado, enfim, multidões de mapa numa mão e máquina fotográfica na outra.

Mas não desespere. Há cidades lindas por essa Europa fora que também são banhadas por pitorescos canais e ainda não foram inundadas por um tsunami de turistas. Aqui ficam algumas sugestões eleitas pelo site Matador.

 

Annecy, França

Annecy-France-canal.jpg

Situada entre o Lago Annecy e a montanha Semnoz, é conhecida como a “Pérola dos Alpes franceses”. Devido à sua localização, não pode crescer mais, por isso preservou as construções originais com séculos de História. Erguida em volta de um maravilhoso castelo do século XIV, Annecy parece uma aldeia de bonecas com mais canais do que ruas. E o seu charme é irresistível: as casas pitorescas sobre os canais albergam bares, restaurantes e gelatarias.

Sinta-se num autêntico conto de fadas enquanto vagueia por ruelas e canais, pelas dezenas de pontes e pelos mercados, até chegar ao impressionante Castelo de Annecy, no cimo da colina.

 

roteiro de são miguel, um paraíso nos açores: onde dormir, onde comer e o que fazer

A CNN chamou-lhe “o segredo mais bem guardado do Atlântico”, nós chamamos-lhe o sítio mais bonito de Portugal. É uma viagem inesquecível. Voltamos para casa diferentes. Com memórias que nos vão acompanhar para sempre: o verde dos campos, o azul das lagoas, o castanho das águas termais, o aroma do cozido das Furnas, as vistas deslumbrantes, as paisagens de cortar a respiração, as hortênsias em flor, enfim, a beleza natural em cada esquina impressiona o mais cético e trombudo dos seres humanos.  

azor lagoa.jpg

 

 

quinta de são bernardo, um paraíso escondido nas margens do douro

13923831_614031612108487_2697567466493689535_o.jpg

Descobri a Quinta de São Bernardo completamente por acaso. Estava a explorar o Instagram quando vejo uma amiga minha (que não faz a mais pequena ideia que escrevo este blog) a partilhar fotografias deste pequeno paraíso. Não foi difícil descobrir onde era. Disse logo ao meu querido Marido Mistério:

- Prepara a carteira, porque vamos passar o fim-de-semana fora.

Verdade seja dita que, neste campo, Ele é muito obediente. Lá reservámos um quarto duplo, fizemos as malas e partimos novamente rumo ao Douro. Primeira dica: esqueça as coordenadas de GPS e ligue para o hotel quando chegar a Vila Jusã. O GPS vai mandá-lo ribanceira abaixo e não queremos isso. Outra hipótese é perguntar onde fica a estação de comboios de Barqueiros. A Quinta de São Bernardo fica logo a seguir.  

 

roteiro do algarve sem multidões: tavira e cacela, o que fazer, onde dormir e onde comer

Este é daqueles roteiros que já fazemos praticamente de olhos fechados. É a nossa zona preferida do Algarve, onde passamos férias todos os anos. Tem melhor tempo, a água do mar parece uma piscina de água salgada quente e conseguimos encontrar quilómetros de praia deserta até mesmo em agosto. 

E já que íamos a "trabalho" para fazermos no nosso segundo roteiro com a SEAT, fizemos questão de passar um fim-de-semana a dois, sem crianças, agora, fora de época, para explorar as últimas novidades. E qual é a maior atração desta região (além do medronho e da alfarroba que seriam as duas primeiras coisas que viriam à cabeça do meu querido Marido Mistério)? As praias, claro. As opções são várias e todas ótimas.

Ria Formosa.jpg

As Praias

A ilha de Tavira, por exemplo, tem 11 km de comprimento e só quatro praias (o que quer dizer que há muita areia deserta e não concessionada). Em qualquer uma delas pode optar por andar alguns metros para o lado e ter um gigantesco pedaço de areia só para si. O acesso é feito através de barcos que partem de Tavira ou do cais das Quatro Águas. Também pode ir a pé atravessando uma ponte que se situa junto da aldeia de Pedras D’el Rei, onde pode apanhar o mítico comboio até à praia.

Quando sair do comboio vai encontrar mesmo em frente a Praia do Barril, que é concessionada e tem vários apoios de praia com muita gente em agosto. Para a direita, depois de andar bastante a pé, tem a Praia do Homem Nu (não será difícil adivinhar porque é que tem este nome, não é verdade?). É uma praia deserta, selvagem sem qualquer equipamento de apoio, ideal para quem gosta de naturismo. Há ainda a Praia da Ilha de Tavira, mas como tem um parque de campismo mesmo ao lado e vários restaurantes, seria a nossa última escolha no verão. A Praia da Terra Estreita é bem mais tranquila e agradável.

tavira.jpg

 

malhadinha nova, o destino perfeito para passar uns dias de sonho no alentejo

3 (4).jpg

Confesse lá. Já estava com saudades de uma sugestão de um destino romântico para fugir a dois? A sua querida Ela está aqui para animar o seu Dia dos Namorados. Já escrevi várias vezes que não sou fã de jantar fora nesse dia mas ninguém diz que não a uma escapadinha a dois, não é verdade? A não ser que esteja farta ou farto da sua cara-metade mas, nesse caso, arranje outra, porque a vida é demasiado curta para andar a perder tempo. Depois deste meu pequeno momento de conselheira do coração da revista Maria, falemos do que de facto interessa: a romântica Herdade da Malhadinha Nova, no Baixo Alentejo, perto de Beja.

 

 

hotel casa palmela, um refúgio de luxo e tranquilidade com vista para a serra da arrábida

hotel-casa-palmela-gallery_mg_0470_19202.jpg

Confesso que, mal li a notícia de que tinha aberto o primeiro hotel de 5 estrelas em Setúbal, fiquei boquiaberta. Primeiro porque estranhei ainda não haver nenhum naquela cidade, depois porque fiquei encantada com as fotografias. E, claro, não descansei enquanto não fomos lá passar um fim-de-semana.

hotel-casa-palmela-gallery_mg_7047.jpg

 

as 10 ruas mais bonitas do mundo (e uma delas fica em portugal)

São grandes, pequenas, estreitas, compridas, coloridas, floridas, originais, assustadoras ou surpreendentes. Há de tudo, mas são todas maravilhosas. Vale a pena apanhar um avião só para percorrer cada uma delas. Não se apresse. Pode ir a uma de cada vez. Em São Francisco, por exemplo, há duas ruas incríveis que vale mesmo a pena conhecer. Toda a cidade é incrível, a verdade é essa. A prestigiada revista de arquitetura AD elegeu 14 ruas, eu selecionei 10. Mas há mais, muito mais por esse mundo fora. Só assim de repente, lembro-me de ruas lindas de morrer em Bruges, em Veneza, em Óbidos, em Monsaraz, enfim. Todas têm o seu encanto. Mas estas não pode mesmo perder. Ah, é verdade. Claro que nesta lista há uma rua portuguesa. Consegue adivinhar onde fica? Não vale espreitar. Isso é batota. Não resistiu. Eu sei.

 

Tetsugaku no michi, Quioto, Japão  

Tetsugaku no michi 2.jpeg

São quase 2 quilómetros de uma estrada de pedra com estas maravilhosas cerejeiras a criarem uma espécie de túnel natural. A rua, repleta de lojas, cafés, templos e altares, acompanha um canal e passa pelo famoso templo Ginkaku-ji, eleito pela UNESCO património mundial. A melhor altura para visitar aquele que é conhecido como o “Caminho do Filósofo” (em homenagem a Nishida Kitaro, um dos mais famosos filósofos japoneses, que costumava meditar enquanto percorria esta estrada rumo à Universidade de Quioto) é em abril, quando as cerejeiras estão em flor.