Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

santos populares: os 6 melhores arraiais deste ano em lisboa

Durante este mês de junho, Lisboa transforma-se num autêntico arraiódromo. Ao todo, são mais de 50 os arraiais espalhados por toda a cidade, sendo que há zonas como Santos ou Alfama, que nem se percebe onde começa um e acaba outro. É a loucura. E eu adoro, claro. Adoro o cheiro e o sabor das sardinhas, a mostarda a escorrer das bifanas, as imperiais e as sangrias a desaparecerem das mesas a um ritmo avassalador e, sobretudo, as coreografias a encherem as pistas ao ritmo da música pimba. Todos os arraiais têm o seu encanto. Este ano, optámos por selecionar os mais típicos, os mais originais e, claro, os alternativos.

vila berta 2.jpg

 

 

onde comer as melhores sardinhas de lisboa

É a nossa Bíblia de Verão. Todos os anos, mal começa o mês de Junho, saímos em peregrinação em busca das mais deliciosas e suculentas sardinhas assadas. Este ano, já abrimos a época com umas fenomenais sardinhas que encontrámos totalmente por acaso num minúsculo arraial ao lado da Praia do Guincho, em Cascais. Estavam incrivelmente gordas – sem serem grandes demais –, suculentas e deliciosas. Há quem garanta que, como este ano, a época de pesca da sardinha só começou a 1 de Junho, as sardinhas estão melhores do que nunca.

Seja como for, em semana de Santos Populares – ou com menos confusão à volta –, estas são as cinco tascas a que religiosamente vamos todos os anos comer maravilhosas sardinhas assadas na grelha. Com o interior gordo e macio e a pele estaladiça e tostada, ainda com uns maravilhosos grãos de sal a estalar a cada dentada.

sardines-3492588_960_720.jpg

 

isto, sim, é uma grande notícia: a cervejaria ramiro lançou um serviço entregas de marisco em sua casa

É a solução para todos os meus problemas. Está a ver aquelas filas intermináveis de gente à porta do restaurante Ramiro, em Lisboa? Está a ver aqueles quilómetros de turistas à espera das gambas al ajillo? Está a ver toda a gente que sofre, horas a fio, porque a cervejaria Ramiro não aceita reservas?

Senhoras e senhores, amigas e amigos, bivalves e crustáceos, descobri a solução para todos os meus problemas: o Ramiro lançou esta semana um serviço de entregas em casa. Isso mesmo: tipo Telepizza, mas na versão marisco fresco e delicioso. 

MG_2845-1380x1035.jpg

 

 

o pior bife que já comi na vida está na portugália do chiado

O meu pai costumava contar uma história que nunca soube se era verdade. Um dia, entrou na Cervejaria Portugália, em Lisboa, e pediu um bife com molho à Portugália. Entusiasmado, o empregado sossegou-o:

– Está com sorte, hoje foi dia de fazer o molho.

Eu sempre desconfiei da veracidade da conversa e passei anos a entregar-me nos braços de um bife que se autoproclamava como "o bife mais famoso de Portugal e reconhecido nos quatro cantos do mundo". Confesso que nunca vi motivos para tanto entusiasmo, mas também nunca tive uma experiência traumatizante nos vários restaurantes da Portugália que já visitei. Até à semana passada.

Faminto e gelado, corri à hora do almoço para o balcão da Portugália, nos Armazéns do Chiado, em busca de um bife suculento e saboroso. Já não pedia "um sabor inconfundível e uma maciez inimitável", como é prometido no site do restaurante. A mim bastava-me um bife tenrinho e mal passado. E já agora, se também fosse possível, quente.

28783494_2064235450260227_4748949495888841389_n.pn

 

os 10 novos restaurantes que temos mesmo de experimentar em 2019

31791691_429330737511822_1580551095959158784_o.jpg

São as nossas resoluções de Ano Novo. E todos os elementos da Família Mistério têm direito a voto.

No final de Dezembro, eu reúno uma lista de 20 a 30 restaurantes que tenham aberto ao longo dos últimos seis meses e aos quais ainda não tenhamos ido. No nosso tradicional brunch de Ano Novo, toda a família se reúne à mesa para votar nos 10 restaurantes a que cada um mais quer ir. Cada elemento da família tem direito a um voto. No final, ganham os 10 restaurantes em que eu votei.

É assim! Se sou eu que escrevo e assino o texto, também sou eu que decido quais são os restaurantes a visitar no próximo ano. Mesmo que, ao longo dos 12 meses seguintes, toda a família me boicote e eu não consiga visitar muitos destes santuários. Mas não interessa! Pelo menos, um dia por ano tenho o meu momento Pinochet.

 

 

6 óscares do turismo que ficaram por atribuir a portugal (e havia muitos mais para dar)

16644382_5EH6r.jpeg

Portugal bateu ontem todos os recordes, com 16 prémios atribuídos nos World Travel Awards, os Óscares do Turismo. No entanto, não mereceu o que ganhou. Merecia muito mais! Faltou dar prémios aos Açores, ao Porto, a Aveiro, ao Alentejo e a todos os outros recantos e detalhes que fazem de Portugal o melhor destino do mundo.

Aqui ficam apenas algumas das injustiças desta cerimónia. Nós encontrávamos seguramente 106 Óscares que ficaram por atribuir, mas hoje só vamos falar destes 6.

 

 

a nossa crítica ao BrunchVilla: o bom, o mau e o óptimo

WhatsApp Image 2018-11-10 at 12.12.55.jpeg

Cheguei ao BrunchVilla ao meio-dia. À entrada, a chuva alagava toda a entrada para o evento. A primeira coisa que vi foram homens a correr desesperadamente com baldes na mão, sem saberem bem o que fazer. Arrisquei e entrei. Lá dentro, a água escorria do telhado tipo cataratas do Niagara. Uma poça gigante no chão parecia a Lagoa de Albufeira. A sala estava totalmente vazia. Só se viam cartazes a dizer BrunchVilla e Casal Mistério e os cozinheiros e funcionários parados. 

No primeiro canto, vi o Chef Kiko com um ar de piedade a olhar para mim como se estivesse a ver o Bruno de Carvalho a caminho da cadeia. Ao seu lado, o gerente da Tartine gritava desesperado:

- Mas que loucura! Onde é que nos fomos meter?! Isto é uma irresponsabilidade!

De repente, escorreguei na gigantesca poça de chuva e caí desamparado no chão.

 

 

não resistimos e fomos ao BrunchVilla (e até nos tiraram fotografias)

Ok, não nos aguentámos. Impossível ficar em casa. Tivemos de ir espreitar o nosso primeiro evento. Não imagina o sofrimento que é organizar a primeira feira de brunch em Portugal à distância. E fomos muito bem recebidos. Muito obrigada!

WhatsApp Image 2018-11-10 at 15.40.09.jpeg

Quem sabe não nos encontramos amanhã por aqui no BrunchVilla? 

o BrunchVilla já abriu: veja aqui tudo o que se passa lá dentro

WhatsApp Image 2018-11-10 at 12.13.05.jpeg

Comida, bebida, comida e mais bebida. O BrunchVilla abriu hoje às 10h, no Armazém 6 da Rua Pereira Henriques, em Marvila, e está a ser uma delícia.

WhatsApp Image 2018-11-10 at 12.13.06.jpeg

Logo à entrada, temos um carrinho de castanhas assadas no momento que oferecemos aos visitantes para que possam comemorar o fim-de-semana de São Martinho connosco. Lá dentro tem uns deliciosos brunches, com verdadeiras maravilhas para provar: brunches asiáticos, calóricos, saudáveis e até com uma estrela Michelin.

WhatsApp Image 2018-11-10 at 11.30.01.jpeg

 

 

alerta BrunchVilla: tudo sobre o local onde será a primeira feira de brunch em portugal

23473004_161018527835181_7650422028421441485_n.jpg

Já estava a ficar nervoso, não é verdade? Tantos dias e nada de notícias sobre o local onde será a primeira edição do BrunchVilla...

Nós próprios já estávamos a começar a ficar nervosos. E por isso o melhor é acabar com o sofrimento, mostrando um bocadinho do local onde nos vai encontrar no BrunchVilla, no próximo sábado e domingo, dias 10 e 11 de Novembro, em Marvila.

 

 

os bolos, os gelados, os sumos naturais e o brunch para a ressaca que vai poder provar no BrunchVilla

10441915_882502125110165_3859452724017893952_n.jpg

Faltam 13 rigorosos dias para começar a primeira feira de brunch em Portugal e nós já não aguentamos guardar tantos mistérios durante tanto tempo. Não dá, é mais forte do que eu. Por isso, tenho de desabafar: o BrunchVilla não vai ter só ovos e panquecas. Não senhor, vamos ter muito mais surpresas de o deixar a deitar água da boca como se fosse a Fonte Luminosa. 

Para começar, vamos falar de bolos. Um brunch sem um bolo a largar rios de chocolate derretido por todos os poros é como uma publicação do Facebook sem a Maria Leal. Não dá, não aguentamos. E por isso decidimos criar um Cantinho para a Desgraça no BrunchVilla, nos próximos dias 10 e 11 de Novembro, em Marvila, Lisboa (saiba aqui tudo sobre o evento e receba as últimas novidades em primeira mão).

AFP Facebook Capa-01.jpg

É o cantinho onde vamos juntar os melhores bolos artesanais da cidade. Aqueles que são preparados com todos os cuidados que os tornam verdadeiras tentações irresistíveis. 

Aqui não há dietas nem balanças. Há os fabulosos doces da Nós é Mais Bolos. Lembra-se daquele paraíso do bolo de que nós falámos aqui? Exactamente, é aquele spot do Mercado da Ribeira, onde nós vamos sempre que nos apetece mergulhar nos fabulosos bolos com suspiros do Bolo da Marta, nas espectaculares tartes merengadas de limão ou nos estrondosos fondants com soufflé de chocolate. Isto para não falar da mousse de chocolate com salame, do tiramisú de tortas de Azeitão com Moscatel ou da tarte de maracujá com leite condensado.

Tudo na Nós é Mais Bolos é inacreditavelmente delicioso e inexplicavelmente divinal. E por isso é que eles estarão no BrunchVilla para lhe dar os mais maravilhosos bolos para acabar o seu brunch.

 

 

novidade! novidade! o grémio literário vai ter um brunch com música jazz ao vivo

Chama-se Jazz Brunch e recebi esta notícia com um brilho especial nos olhos. Quando era miúda, ia muitas vezes almoçar ao Grémio Literário em família e sempre foi um sítio que me fascinou.

HMM_9912.jpg

 

 

o melhor bolo que provámos este ano: cheesecake de figo e mel

Antes de qualquer outra coisa, vamos às apresentações: caro, ilustre e distinto leitor, apresento-lhe a Madame Cheeselova. Não tenha medo, não é uma "madame" dos anos 50 e não é polaca. É bem portuguesa e começou a vender, há uns anos, cheesecakes nova-iorquinos através do Facebook

Os cheesecakes nova-iorquinos são cozidos lentamente, a baixa temperatura, no forno, o que os deixa com uma massa cremosa e muitíssimo suave. Só isso já me faria encomendar um verdadeiro camião de bolos cá para casa. Mas há mais. À massa, a Madame mistura ainda um fabuloso puré feito com fruta fresca, o lhe que dá ainda mais cremosidade e muitíssimo mais sabor. E depois inunda o cheesecake por cima com os mais variados e criativos toppings: fruta fresca, caramelo salgado, lemon curd, mel, etc..

IMG_20180904_114117.jpg

 

 

mez cais ou mez caos? desde que vi as panelas a serem lavadas no chão da cozinha já não sei bem

Devo confessar que foi das experiências mais traumáticas da minha desinteressante vida mistério. Arrastados pelo entusiasmado conselho de uns amigos nossos, resolvemos ir jantar ao Mez Cais, no LX Factory, em Lisboa.

– A comida é óptima! E o espaço é incrível! Até tem um ringue de boxe no meio da sala.

Não é que eu seja um grande fã do Mike Tyson, mas confesso que a ideia do ringue me entusiasmou. E por isso peguei no telefone e marquei uma mesa para jantar às 22h30, no segundo turno da noite.

Como a minha querida Mulher Mistério já está naquela fase da vida em que, se sair de casa depois da 21h, adormece no sofá, resolvemos ir beber um copo antes, à fabulosa esplanada do Rio Maravilha, para ver se a conseguia manter acordada.

21167475_1614226978629292_4890002286726400040_o.jp

O serviço

E foi assim que chegámos pontualmente, às 22h30, para encontrarmos a mesa pronta e direita à nossa espera. E mergulhada numa eléctrica azáfama de barulho, música alta e empregados a correrem de um lado para o outro. Fomos encaminhados para a mesa por uma empregada simpática. E foi aí que começou o nosso calvário.

 

 

bem-vindo ao paraíso dos ovos para o brunch

22154573_1965604337014834_1130510276801426660_n.jp

Para começo de conversa vou dizer-lhe só um número: oito. São oito os diferentes tipos de ovos à escolha para o seu pequeno-almoço. Quer ovos florentine? Tem. Quer ovos benedict? Tranquilo. Prefere ovos royale? Também há. O que gostava mesmo era de ovos rothko? Não, não me engasguei, é mesmo outro tipo de ovos que encontra no Dear Breakfast, em Lisboa.

Mas há mais boas notícias. Tudo isto está disponível diariamente entre as 9h da manhã e as 16h. Por isso, se lhe apetecer um brunch a uma quarta-feira, às três da tarde, depois de uma noite louca em que conseguiu sobreviver aos seguranças do Urban, este é o sítio ideal. O único constrangimento pode ser mesmo arranjar mesa porque costuma estar cheio.