Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

ainda estou em choque: a receita de pastéis de nata "portugueses" do jamie oliver leva...

portuguese-custard-tart-758547_960_720.jpg

...Peço desculpa pela pausa dramática, mas ainda me estou a tentar recompor do baque: crème fraîche?! Eu repito: crème fraîche?! Os nossos queridos pastéis de nata?! Como é que uma receita típica portuguesa, criada algures no século XVIII, pode levar um ingrediente com um acento circunflexo em cima do "i". Um ingrediente que nem sequer se digna a ter uma tradução para português?! O que é que terá passado pela cabeça do Jamie Oliver?

Estava eu ontem tranquilamente a fazer o desmame de mais uma dieta da minha querida Mulher Mistério (tradução: estava eu ontem, às escondidas, à procura de uma boa receita de pastéis de nata para fazer sorrateiramente em casa) e eis que esbarro com a receita que Jamie Oliver publicou no seu livro 30 Minute Meals. Com direito a vídeo e tudo, tal é o descaramento!

94162-blog2b-2bjamie2boliver2b302bminute2bmeals2bb

Primeiro ponto: o crème fraîche. Desde quando é que uma embalagem de crème fraîche passou do hall de entrada dos Pastéis de Belém? Ou da Manteigaria? Ou da Aloma? O crème fraîche é o Bombarralense do campeonato dos alimentos. É a equipa B das natas frescas. É aquilo que usamos quando não temos mais nada para colocar e precisamos de uma solução desesperada.

Segundo ponto: os pastéis de nata "portugueses" do Jamie Oliver ainda levam uma cobertura de caramelo de laranja! Ora, eu sei que aquele queimadinho por cima dos pastéis de nata intrigou o Jamie. Também me fascina a mim. Mas um pastel de nata não é um leite creme. E também não é uma laranjada. Por isso, onde é que o nosso Jamie foi buscar o caramelo com sumo de laranja espalhado por cima?

Eu compreendo que não queira ver mais nada sobre este tema, eu próprio estou indisposto. Mas se insistir, tem aí em baixo a receita completa dos pastéis de nata "portugueses" segundo o Jamie Oliver. Vade retro!

 

 

hoje é dia de brunch – e destes croissants divinais (e dos capuccinos e dos iogurtes e dos bolos do choupana caffe)

11209596_901638483213477_6208641941403558277_n.jpg

Olá, o meu nome é Ele e sou pastelariómano.

Pronto. Já assumi. Agora vou começar a desintoxicação.

Nas últimas semanas, fui tomado por uma forte dependência de pastelarias, bolos, pastéis, croissants, bolachas, biscoitos e tudo o que seja tão doce quanto calórico. E desde então a minha vida tem sido passada em cafés, lojas de bolos e casas de chá a aguar pelo próximo doce que vou devorar.

Há uns dias a coisa piorou bastante. Especialmente desde que resolvi ir lanchar ao Choupana Caffe. Agora, pense bem antes de continuar a ler este texto. Hoje é dia de brunch, de pequeno-almoço alargado e este sítio é a perdição do pequeno-almoço. Tem mesmo a certeza de que quer continuar?

  

 

está aberta a discussão: será que provei os melhores pastéis de nata de lisboa? (o melhor é voltar lá para confirmar...)

10363336_666293130124728_8559188593685118034_n.jpg

Um preto de cabeleira loira?! Um branco de carapinha?! Uma manteigaria que não faz manteiga?! Não venho aqui, a esta hora da manhã, para falar do saudoso restaurador Olex que tantos cabelos ressuscitou por esse país fora. Estou aqui para falar da manteigaria que não faz manteiga. Mas, em compensação, faz alguns dos melhores pastéis de nata que esta placa dentária já mastigou.