Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

sopa de batata doce com caril e cajus tostados, uma delícia vegan, paleo e sem glúten

É cremosa, doce, ligeiramente picante e cheia de sabor. É saudável e vou pedir ao meu querido Marido Mistério para me fazer um panelão gigante desta delícia para eu comer durante uma semana. Se é para estar de dieta que seja em bom. E esta sopa que descobri no ótimo blog Recipe Runner é tudo o que eu preciso neste momento.

Ele só vai precisar de azeite, cebola cortada em pedaços, alho picado, gengibre ralado, pasta de caril vermelho, molho sriracha, batata doce descascada e cortada em cubos, cenouras descascadas e cortadas em pequenos pedaços, sal e pimenta preta moída, caldo de legumes, leite de coco light, rodelas de lima, coentros picados e coco ralado para usar como toppings. Para os cajus tostados, precisa dos propriamente ditos crus, óleo de coco, caril em pó, pasta de caril vermelho, sal a pimenta preta.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, espreite aqui a receita original.

Thai-Sweet-Potato-Carrot-Soup-Photo.jpg

 

 

gaspacho de feijão branco e milho doce, a receita que vai arrasar este verão

O mês de junho já começou, só falta mesmo chegar o verão. Este ano está difícil, mas ele vem aí! Temos de ter fé! O calor vai chegar e há de ficar até ao Natal. E eu já estou a preparar-me para receber o verão de braços abertos: já comprei uma série de burcas para a praia, ingredientes para fazer sangrias e descobri esta receita no blog Vegetarian Ventures que me fez crescer tanta água na boca que parecia um São Bernardo. É ideal para aqueles dias de calor intenso em que uma pessoa foge do fogão e do forno como o Diabo da cruz. Rico em proteínas, este gaspacho é num fundo uma refeição completa mas, se quiser, pode também servir como entrada em copos de vidro mais pequenos.

Só precisa de tomates doces amarelos, milho doce, pimento amarelo, uma chalota, sal, massa de pimentão com alho, feijão branco, vinagre de Jerez, azeite, sumo de limão, pimenta e iogurte para decorar.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 4 pessoas (servido como prato principal), espreite aqui a receita original.

CornGazpacho-24-of-27.jpg

 

 

não leva batata, mas leva cenoura, gengibre e leite de coco! é a sopa perfeita para dias de chuva

Tudo o que me apetece com um tempo destes é chegar a casa e mergulhar nos braços da minha querida e estimada Sopa Mistério. E então se for quentinha, light e ajudar a combater gripes e afins, acho que consigo reunir o apoio de toda a família – crianças incluídas.

Esta delícia do fabuloso blog Dishing Up the Dirt consegue juntar os poderes sobrehumanos da cenoura às capacidades estratosféricas do gengibre. E é assim que nasce uma sopa cremosa, leve (não tem batata) e fantástica para nos ajudar a aquecer em dias de frio e chuva. Além disso, junta o sabor adocicado da cenoura assada ao toque picante do gengibre fresco. E, claro, é fácil de fazer. Como vê, são dezenas de qualidades num único prato de sopa.

Tudo o que precisa para fazer esta maravilha é de cenouras com casca cortadas em pedaços, cebola cortada em quatro, alho, tomilho, caldo de legumes, gengibre ralado e leite de coco. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

Carrot-Ginger-Soup3-better-680x1024.jpg

 

a melhor sopa para combater a gripe: batata doce, lentilhas e leite de coco

Só há uma coisa pior do que um homem doente: uma Mulher Mistério doente. Ela pode vangloriar-se de nunca ficar de cama, pode garantir que não precisa de tomar remédios, pode dizer que tem o corpo turbinado da Ana Malhoa, mas uma coisa é certa: o seu primeiro espirro é o meu último segundo de paz.

Ontem, quando cheguei a casa, Ela estava enterrada numa avalanche de lenços de papel, a gemer entre cada duas palavras que dizia, com três cachecóis à volta do pescoço. Desde então, hibernou para qualquer actividade doméstica: fogão, lava-loiças, vassoura, aspirador passaram a ser da minha exclusiva responsabilidade.

Não me resta outra alternativa que não seja curá-la rapidamente para voltar a descansar. A partir de agora, todas as receitas que fizer serão receitas anti-gripais. Preparem-se, o Dr. Mistério entrou em acção.

sopa.jpeg

 

sopa verde alcalina e detox (socorro, não me reconheço!)

Pronto. O mundo está perdido. Quando começo a usar termos como “alcalina” e “detox” no meu dia-a-dia, sinto-me uma nova mulher. Por enquanto, só me sinto, quando aparecerem os resultados, espero acordar mesmo uma verdadeira top model. Pois é. Continuo com a saga da minha dieta dos 2 dias. Se o primeiro dia de jejum foi um suplício (sim, morri de fome e enchi-me de água, chás e cafés o dia inteiro… mas sobrevivi), os outros dias em que só posso comer 2000 calorias são mais suportáveis, mas igualmente deprimentes. Neste momento, bolos, chocolates, um copo de vinho ou um simples croquete são miragens na minha vida. Agora só penso em bifes de frango grelhados, saladas e sopas sem batata.

Para animar ainda mais a minha dieta decidi fazer esta sopa verde que descobri no blog DetoxDiy. É que, além de ser detox, é alcalina. E o que é que isso significa? Ah, pois é. Também há uma dieta alcalina que, como o próprio nome indica, defende a adoção de uma alimentação com base no PH dos alimentos, neste caso com PH alcalino. Os defensores desta dieta acreditam que a ingestão de alimentos com PH alcalino é mais saudável para o organismo já que o meio ácido é mais suscetível ao aparecimento de doenças, como cancro, artrite, osteoporose, entre outras. E eu estou naquela fase em que quero acreditar em todos os milagres… Nesta dieta, são proibidos o álcool, o açúcar, a carne, os lacticínios, o café, o sal, entre outros. Parece que são demasiado ácidos e tóxicos para o organismo. Já tudo quanto é verde é bom (e maçador também): legumes frescos da época, sementes, frutos secos, abacate, azeite, óleo de coco, ervas aromáticas, especiarias e chás.

alkalizingsoup (1).jpg

 

 

o almoço para a praia mais fácil do mundo: uma sopa fria de iogurte grego e pepino que nem precisa de cozinhar

Eu sei que este não é um post consensual. Nem toda a gente gosta de sopas frias mas confesso que eu adoro! Gaspachos, vichyssoises, sopa de meloa, enfim, todas. E quando descobri esta receita no blog da Sonja Dahlgren, fiquei em êxtase. Não só porque dá um ótimo almoço para a praia como também porque é tão fácil de fazer que nem precisa de acender o fogão.

Ainda por cima, não engorda. Mas não se assuste com a lista de ingredientes: é grande, mas depois é facílimo.

Vai precisar de pepinos descascados e cortados em pedaços, nozes, alho (sem a parte do meio) e cebola picados, folhas de hortelã picadas, endro picado, piripíri, estragão, feijão branco cozinhado, iogurte grego (ou kefir), azeite, caldo de legumes ou de galinha, sumo de meio limão, vinagre balsâmico branco, sal e pimenta.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 6 pessoas, espreite aqui a receita original.

transferir

 

sopa de caril de coco com camarão para um jantar especial

Se está a planear um jantar em casa para convidados especiais, faça esta maravilha. É muito mais fácil do que parece e sobretudo vai deixar as suas visitas de queixo caído. A apresentação é imbatível e o sabor é inacreditável: consegue ser doce e ligeiramente picante ao mesmo tempo.

A receita é do ótimo blog Salted and Styled e vou pedir ao meu querido Marido Mistério para fazer esta sexta-feira, porque vêm cá uns amigos nossos jantar.

Só precisa de óleo vegetal, uma cebola média picada, alho picado, cominho, pasta de caril vermelho, açúcar mascavado, caldo de legumes, gengibre descascado e cortado em pedaços, erva-limão, pimenta em grão, um jalapeño cortado às fatias, coentros, molho de peixe, leite de coco, camarão médio descascado, cogumelos fatiados e sumo de uma lima.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 4 pessoas, espreite aqui a receita original.

20140115_ss_coconut_13.jpg

 

qual é o melhor caldo-verde: o de jamie oliver ou o de maria de lourdes modesto?

É uma das melhores sopas para nos aquecer em dias de frio e de chuva como hoje. A incontornável Maria de Lourdes Modesto diz que é das sopas que mais conservam o calor e que é uma das suas duas preferidas, a par da açorda alentejana. Já o incontestável Jamie Oliver chama-lhe um dos mais tradicionais pratos portugueses, habitualmente servido em casamentos e festas de anos.

Resumindo: estes dois verdadeiros monstros da culinária adoram caldo-verde. Até aqui, tudo bem. O problema é que cada um faz esta delícia da "soparia" nacional à sua maneira. E se Maria de Lourdes Modesto gosta de seguir a receita típica do Norte, em particular de Marco de Canaveses; Jamie Oliver prefere juntar-lhe paprika e cebola. 

E foi assim que nasceu um dos mais relevantes duelos da sociedade moderna: quem faz o melhor caldo-verde? O ideal é comparar as duas receitas e decidir por si.

JM5WKND3-soep-caldo-verde.jpg

 

 

5 deliciosas sopas sem batata para aquecer este dia de frio

Por favor, não me peça para escrever muito porque estou com os dedos entorpecidos do frio que está na rua. Eu sei que é Inverno, mas 8º C de máxima é de mais para mim. A temperatura em Lisboa está quase tão gelada como o clima no Sporting. É preciso tomar medidas urgentes. E, como felizmente não tenho um Bruno de Carvalho em casa, preciso de me desenrascar com um óptimo e escaldante prato de sopa ao jantar.

Estas são as cinco receitas finalistas para o jantar de logo à noite. Agora cabe à Família Mistério e a si votar em qual prefere que eu faça. Todas, claro, sem um único grama de batata porque estamos em época da mais rígida e intransigente dieta. (Algo me diz que esta época será interrompida no fim-de-semana, mas até lá há que incentivar a minha querida e empenhada Mulher Mistério a vencer a balança...).

 

Sopa de Raiz de Aipo e Marmelo

CuZcNVHXEAARYmh.jpg

Sempre que eu preciso de uma receita de sopa deliciosa e saudável viro-me para o imprescindível Jamie Oliver. E foi lá que encontrei esta divinal sopa de raiz de aipo e marmelo com apenas 140 calorias por dose. Tudo o que leva é raiz de aipo (encontra à venda em alguns supermercados), marmelo, chalotas, alho, azeite, um caldo de galinha, cominhos, canela e açúcar. 

Descasque e corte em pedaços a raiz de aipo, o marmelo, as chalotas e o alho. Coloque tudo numa panela com bastante azeite e deixe cozinhar, em lume médio, durante cerca de 20 minutos, juntamente com os restantes ingredientes. Vá mexendo de vez em quando para não deixar a comida agarrar-se ao fundo. Quando os legumes começarem a ficar macios, encha a panela com água a ferver até 2 centímetros acima destes. Coloque a tampa e deixe cozinhar em lume brando durante mais cerca de 25 minutos. 

Agora só tem de bater tudo até ficar com um creme suave. Sirva com nozes salteadas em manteiga, um fio de crème fraîche e um pouco de endro picado. Eu já comia esta maravilha. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, veja a receita completa aqui.

 

 

sopa de caril e castanhas assadas: tudo o que apetece neste dia de outono

Qual é coisa, qual é ela, que é castanha por dentro e castanha por fora? E por acaso é o meu fruto preferido do outono? Pois claro que é a castanha! Amo! Adoro! E devoro! Só que, como tudo o que é bom, engorda, infelizmente. Adoro castanhas assadas, cozidas, doce de castanha e sopa de castanha. Por isso, quando descobri esta incrível receita, no site da Natrel, de sopa de caril com castanhas, disse para mim própria (sim, porque  eu falo imenso comigo!): “é isto mesmo que me apetece hoje”, sendo que ainda por cima tem uma enorme vantagem: é uma receita sem lactose o que vai agradar metade da nossa família que decidiu, por alta recreação, retirar a lactose da alimentação.

Só vou precisar de azeite, alho francês cortado em pequenas rodelas, alho, cenouras descascadas e cortadas em pequenos pedaços, castanhas assadas, descascadas e picadas, caril em pó, açafrão, paprika fumada, tomilho, caldo de legumes, leite sem lactose, sal e pimenta, natas sem lactose e sal marinho fumado (encontra no El Corte Inglés).

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 4 a 6 pessoas, espreite aqui a receita original.

000.jpg

 

 

sopa de cenoura com leite de coco e açafrão: é um caril ou é a sopa mais surpreendente do ano?

Chegou o mau tempo, começaram as sopas deliciosas. E para abrir a época das sopas de nos deixar a babar como o Cavaco Silva cada vez que come uma fatia de Bolo Rei, não há nada como esta faustosa sopa de cenoura com caril e leite coco. A ideia genial é do respeitadíssimo New York Times – há quem vá lá para saber as novidades geopolíticas do conflito indo-paquistanês, eu abro o jornal para conhecer as receitas mais deliciosas da semana.

E esta semana a clara vencedora é esta sopa que consegue misturar a cremosidade da cenoura e do leite de coco com o toque exótico do açafrão e dos cominhos. E nem sequer leva batata, o que faz a minha querida Mulher Mistério dar flique-flaques de alegria. Perante isto, não há chuva que resista.

Tudo o que vai precisar é de manteiga, cebola picada, cenouras cortadas às rodelas, gengibre fresco ralado no momento, cominhos, açafrão e coentros em pó, pimenta caiena, caldo de vegetais ou de galinha, leite de coco sem açúcar, sumo de meia lima, sal, pimenta preta moída no momento e coentros frescos para enfeitar. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

IMG_2487.JPG

 

5 deliciosos jantares com batata doce para ter uma semana mais dietética

Um jantar sem batata doce nesta casa é como uma manifestaçãozinha de taxistas sem cena de pancadaria. A batata doce é algo que já está entranhado no dia-a-dia desta família. Especialmente desde que a minha querida Mulher Mistério passou a encarar a sua dieta como um verdadeiro modo de vida. É verdade, apesar de ter a palavra batata no seu nome, a batata doce é saudável, dietética e deliciosa – tudo isto no mesmo corpinho laroca de batata. E é por isso que esta semana resolvi reunir cinco deliciosas e facílimas receitas para fazer de segunda a sexta-feira com esta preciosidade da Natureza.

 

Batata Doce no Forno com Queijo de Cabra e Molho de Balsâmico

19187766_LhjhZ.jpeg

Para começar bem a semana, nada como este jantar que junta dois dos meus ingredientes preferidos: batata doce e queijo. A receita é do blog Ciao Florentina e é leve e rapidíssima de fazer.

Numa taça pequena, misture azeite, sal e paprica. Descasque e corte as batatas doces em rodelas de cerca de 2 cm. Coloque-as num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel de alumínio sem que se toquem. Despeje por cima de cada uma a mistura de azeite. Deixe-as no forno durante 8 a 10 minutos, de cada lado, até ficarem douradas. Coloque as batatas doces num tabuleiro e ponha por cima de cada uma o queijo de cabra, as nozes pecan e os arandos. Despeje uma colher de mel em cada batata e espalhe por cima raspas de limão. Antes de servir, deite um fio de azeite com infusão de laranja, tempere com uma redução de balsâmico e decore com folhas de manjericão fresco. Não é tão fácil? Veja aqui como fazer.

 

 

gaspacho dourado com tomate amarelo e pêssego, uma receita vegan e sem glúten

Qual é coisa, qual é ela que tem poucos ingredientes, demora 10 minutos a preparar e parece todo o sol de verão num copo ou numa taça? Acertou! Pois claro! É este espetacular gaspacho dourado que descobri no blog Happy Hearted Kitchen. O segredo é encontrar os tomates e os pêssegos mais maduros e sumarentos do mercado. Claro que pode usar tomates encarnados mas, além dos amarelos serem mais doces, corre o risco de o seu gaspacho ficar menos dourado. É uma entrada espetacular para servir num almoço ou num jantar de verão porque pode fazer com antecedência e mantê-la no frigorífico para apurar o sabor. Ainda por cima, é vegan e sem glúten. 

Só precisa de tomates amarelos picados, pêssegos maduros sem caroço também picados, um pimento amarelo, uma chalota pequena, dois dentes de alho, vinagre de vinho tinto, azeite extra-virgem, sal, folhas de manjericão cortadas e mais uns tomatinhos e uns pêssegos extra para decorar. Se quiser saber a quantidade certa de cada ingrediente, para 4 pessoas, espreite aqui a receita original.

image.jpeg

 

 

sopa tailandesa de camarão e coco, a surpresa light que o meu querido marido mistério me vai preparar (mas ainda não sabe!)

A cozinha tailandesa tem contrastes deliciosos: consegue ser doce e amarga, salgada e picante, tudo ao mesmo tempo.

Exemplo disso é esta maravilhosa receita do blog Taste Love and Nourish que junta o doce do coco, o picante do piripiri e do caril com o sabor ácido da lima e da erva-príncipe. Por isso, vou comprar todos os ingredientes e pedir ao meu querido Marido Mistério para me fazer uma “surpresa” e preparar-me esta maravilha hoje ao jantar. Também é uma ótima sugestão para servir aos seus convidados: é sucesso garantido.

Só precisa de azeite, alho picado, gengibre ralado, erva-príncipe picada, pó de caril, flocos de pimenta vermelha esmagados, caldo de legumes, camarão médio limpo e sem casca, leite de coco, couve chinesa ralada, sal, e fatias de lima, salsa ou coentros e cebolinho picados para decorar. Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 4 a 6 pessoas, espreite aqui a receita original.

Thai-Coconut-Shrimp-Soup.jpg

 

 

 

 

3 receitas para pessoas obcecadas por queijo (como eu e marcelo rebelo de sousa!)

Confesso que estou estafado. Resolvi assistir a cinco minutos da tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa e ainda me encontro a arfar só de o ver andar em passo de marcha com os três seguranças a correrem atrás dele para o tentarem acompanhar. Definitivamente, eu e o corpo de segurança pessoal da PSP estamos a precisar de uma injecção de adrenalina para conseguirmos manter o ritmo durante os próximos cinco anos. E o melhor é começar já a rever a dieta. A começar, claro, por um dos ingredientes preferidos do novo Presidente da República, que por acaso também é o meu: queijo.

Num dos intervalos das repetitivas limpadelas do vidro embaciado do seu carro, que vimos na reportagem da TVI, Marcelo confessou que come queijo todos os dias ao almoço. Eu sou um bocadinho mais fanático: como ao almoço, ao pequeno-almoço, ao lanche e ao jantar. E, por isso, dediquei o meu dia de hoje a procurar as mais fantásticas receitas com queijo. Estas três fantásticas vêm daquela que é uma das mais respeitadas revistas de gastronomia do mundo, a Saveur. E eu estou disponível para mandar um pratinho para Belém, assim que as fizer logo à noite. Basta enviar uma encomenda para o email do Casal Mistério...

 

Costeletas de Vitela Panadas e Cobertas com Parmesão

gallery_veal-parmesan_1500x1000.jpg

É claro que um prato delicioso como este tinha de vir de Itália, aquele que é para mim um dos países com melhor comida do mundo – depois de Portugal, claro! Comece por fazer um molho de tomate: coloque uma folha de louro, um dente de alho e meia cebola picados numa panela com um pouco de azeite, em lume médio, até ficarem moles. Depois acrescente sal, pimenta, uma colher de sopa de salsa picada, meia colher de chá de orégãos, um pouco de tomilho e uma lata de tomate descascado (cerca de 800 g) e deixe cozinhar durante cerca de 20 minutos até ficar com um molho espesso.

A seguir trate das costeletas. Tempere-as com sal e pimenta, salpique-as com farinha, passe-as por ovo batido e cubra-as com pão ralado. Frite-as na frigideira, em azeite, até estarem douradas. Finalmente, ponha-as num tabuleiro, em cima de uma folha de papel vegetal, deite um pouco do molho no topo, uma fatia de queijo provolone e duas colheres de sopa de parmesão ralado. Leve-as ao forno, pré-aquecido na grelha, só para derreter o queijo. Hmmm, que grande jantar que vamos ter cá em casa e no Palácio de Belém! Veja a receita completa aqui