Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

tarte de mousse de abóbora com base de bolacha e gengibre: acho que cheguei ao paraíso!

Enquanto os americanos comemoram o Thanksgiving, eu dedico-me a experimentar as mais espectaculares receitas de tarte de abóbora. Não há coisa mais deliciosa do que um doce feito com a boa e velha abóbora. E não falo só das compotas a acompanhar um saboroso requeijão. Falo das divinais tartes de abóbora que enchem as mesas nos Estados Unidos durante esta época do ano.

Se não acredita em mim, então o melhor é experimentar esta fabulosa receita do site Food52 para entrar neste maravilhoso mundo. Além de levar um cremoso recheio de mousse de abóbora, ainda tem uma divinal base de gengibre e um incrível topping de chantilly.

Para a base, vai precisar de bolachas digestive, gengibre em pó, açúcar mascavado, sal e manteiga derretida sem sal. Para o recheio, separe leite gordo, puré de abóbora, açúcar mascavado, amido de milho, gemas de ovos, manteiga sem sal, extracto de baunilha, sal e meia colher de chá de uma mistura de canela, gengibre em pó, noz moscada e cravinho. Finalmente, para o topping vai precisar de natas para bater, natas azedas (sour cream) e mais açúcar mascavado. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

b647bb47-996d-4377-9441-23de7db65d04--2018-1102_pu

 

Nesta receita, o mais importante é o recheio. É ali que terá a combinação perfeita entre o sabor delicioso e a textura cremosa da abóbora. Comece por fazer um puré triturando bem a polpa da abóbora. Misture o puré com o leite, dentro de uma panela, enquanto aquece em lume brando até começar a largar vapor.

Numa taça à parte, bata as gemas com o açúcar mascavado, o amido de milho, o sal e as especiarias. Depois vá juntando aos poucos o puré quente na taça dos ovos: coloque uma ou duas colheres de sopa de puré, bata e repita o processo até ficar apenas com 1/4 do puré na panela. Nessa altura, deite toda a mistura que está na taça para dentro da panela e volte a ligar o lume no mínimo mexendo sempre sem parar até ficar com um creme suave e denso, tipo uma mousse de chocolate grossa.

Desligue o lume e misture ao creme o extracto de baunilha e a manteiga à temperatura ambiente. Deite a mousse para dentro de uma taça, filtrando-a através de um passador. Cubra a taça com película aderente e leve-a ao frigorífico depois de arrefecer.

A mousse de abóbora está pronta. Falta a base da tarte. Pique as bolachas digestive num robô de cozinha e misture-as, numa taça, com o açúcar mascavado, o gengibre em pó e o sal. Acrescente a manteiga derretida e amasse com as mãos para ligar bem todos os ingredientes. Se for preciso, pode deitar mais manteiga derretida de forma a não ficar com pedaços do crumble de bolacha secos.

Espalhe o crumble por uma forma de tarte, de 23 centímentro, untada e com o fundo amovível. Leve a base ao forno, pré-aquecido a 180º C, durante 13 minutos até começar a tostar. Deixe a base arrefecer e coloque-a no congelador durante, pelo menos, 30 minutos.

Para o topping, só tem de bater as natas azedas com o açúcar mascavado e depois acrescentar as natas até ficar com a consistência do chantilly.

Para terminar, espalhe a mousse de abóbora por cima da tarte e finalize com o chantilly no topo. Volte a levar ao congelador durante, pelo menos, uma hora e pode servir. Eu estou a babar enquanto olho para a consistência desta fabulosa mousse de abóbora. Não sei se consigo esperar até ao Thanksgiving.

 

Uma óptima tarte para si onde quer que a abóbora esteja,

Ele

 

receita e foto: food52